Questões de Concursos Significação Contextual de Palavras e Expressões

  • Questão 25635.   Conhecimentos Específicos - Nível Fundamental - CLIN - COSEAC - 2015

  • Texto anexado à questão Texto anexado à questão
  • A maior curiosidade da menina, conforme o texto, era saber:
  • Questão 21049.   Português - Nível Superior - ALGÁS - COPEVE-UFAL - 2012

  • Dados os seguintes enunciados, no que se refere à concordância verbal,

    I. O problema das línguas indígenas brasileiras estão no fato de, em sua maior parte, elas serem ágrafas.
    II. Ainda que houvessem muitas soluções para que as línguas fossem preservadas, nenhuma delas alcançaria resultados imediatos.
    III. Quem de nós ousaria afirmar que as línguas hoje existentes no país serão preservadas por políticas linguísticas sérias?
    IV. É surpreendente os dados sobre a quantidade de línguas ainda faladas no Brasil, pois muitas são desconhecidas.

    verifica-se correção em
  • Questão 26602.   Português - Nível Médio - Cobra Tecnologia - QUADRIX - 2014

  • Texto anexado à questão Texto anexado à questão
  • Sobre os verbos destacados no texto, observa-se que:
  • Questão 25662.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - CLIN - COSEAC - 2015

  • Texto anexado à questão Texto anexado à questão
  • "A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome.." (1º §)

    Para que seja mantido o sentido original da segunda oração do fragmento acima, pode-se redigi-la da seguinte forma:
  • Questão 21045.   Português - Nível Superior - ALGÁS - COPEVE-UFAL - 2012

  • Existem pessoas que moram em lan houses. Explico: em Tóquio, há lan houses com espaços privativos. A pessoa chega de mochila. Pendura-se no computador noite e dia. Dorme algumas horas num colchonete e volta a viver no fantástico mundo da web. Quando sai, leva tudo o que tem na mochila. Alimenta-se e arruma dinheiro de algum jeito e volta a se instalar na lan house de sua preferência (Walcyr Carrasco,Época, 23 de janeiro/2012, p. 96).

    Existem pessoas que moram em lan houses". Considerando a peculiaridade do fato, é possível admitir que se trata
  • Questão 28185.   Português - Nível Médio - Câmara de São Paulo SP - FCC - 2014

  • Texto anexado à questão Texto anexado à questão
  • Atente para as seguintes afirmações:

    I. No 2o parágrafo, o autor se vale da expressão precariedade da palavra para referir a indeterminação semântica que ela assume por conta da multiplicidade de sentidos que pode abrigar.
    II. No 2o parágrafo, a expressão reféns sem fuga possível sugere a condição daqueles que, uma vez contando com os serviços de um computador, não conseguem mais dispensá-los.
    III. No 3o parágrafo, o autor considera indiscutível o fato de que nossa confiança na prodigiosa memória de um computador acabará acarretando o negligente esquecimento de nossa própria História.

    Em relação ao texto está correto o que se afirma APENAS em
  • Questão 21050.   Português - Nível Superior - ALGÁS - COPEVE-UFAL - 2012

  • Assinale a opção cujo período, resultante da combinação das informações das frases de a-d, foi obtido de acordo com as instruções nos parênteses.

    a. Durante séculos, antes da Reforma, a veneração de relíquias sagradas tinha sido um elemento importante do culto católico (ideia mais importante).

    b. Acreditava-se que os objetos usados por Cristo, pela Virgem e pelos santos possuíssem uma milagrosa virtude curativa ou protetora para qualquer pessoa que os tocasse ou lhes chegasse perto (causa de d).

    c. Era inevitável que tal crença desse ensejo a inúmeras fraudes (consequência de a).

    d. Muitos negociantes de relíquias se beneficiavam dessas fraudes (atributo do objeto indireto do verbo dar na frase c).
  • Questão 21051.   Português - Nível Superior - ALGÁS - COPEVE-UFAL - 2012

  • O homem, por sua própria natureza, hesita entre a segurança e a aventura, a tranquilidade e a emoção. Por isso, ao mesmo tempo em que aceita a rotina do cotidiano, é induzido a violá-la; preserva seu casamento tedioso e busca no cinema ou na novela de televisão a paixão fictícia que não pode viver. Isso tanto vale para o expectador e leitor como para o autor: de algum modo, através dos personagens que cria, das melodias que concebe, o artista vive uma outra vida, experimenta outras emoções, em suma, escapa à pobreza e aos limites de sua vida banal (Ferreira Gullar).

    Em que opção se encontra uma premissa verdadeira que sustenta o ponto de vista de Ferreira Gullar?
  • Questão 25089.   Português - Nível Médio - ENEM - INEP - 2014

  • Era um dos meus primeiros dias na sala de música. Afim de descobrirmos o que deveríamos estar fazendo ali, propus à classe um problema. Inocentemente perguntei: — O que é música?
    Passamos dois dias inteiros tateando em busca de uma definição. Descobrimos que tínhamos de rejeitar todas as definições costumeiras porque elas não eram suficientemente abrangentes.
    O simples fato é que, à medida que a crescente margem a que chamamos de vanguarda continua suas explorações pelas fronteiras do som, qualquer definição se torna difícil. Quando John Cage abre a porta da sala de concerto e encoraja os ruídos da rua a atravessar suas composições, ele ventila a arte da música com conceitos novos e aparentemente sem forma.

    SCHAFER, R. M. O ouvido pensante. São Paulo: Unesp, 1991 (adaptado).

    A frase “Quando John Cage abre a porta da sala de concerto e encoraja os ruídos da rua a atravessar suas composições”, na proposta de Schafer de formular uma nova conceituação de música, representa a
  • Questão 25091.   Português - Nível Médio - ENEM - INEP - 2014

  • Só há uma saída para a escola se ela quiser ser mais bem-sucedida: aceitar a mudança da língua como um fato. Isso deve significar que a escola deve aceitar qualquer forma da língua em suas atividades escritas? Não deve mais corrigir? Não!
    Há outra dimensão a ser considerada: de fato, no mundo real da escrita, não existe apenas um português correto, que valeria para todas as ocasiões: o estilo dos contratos não é o mesmo do dos manuais de instrução; o dos juízes do Supremo não é o mesmo do dos cordelistas; o dos editoriais dos jornais não é o mesmo do dos cadernos de cultura dos mesmos jornais. Ou do de seus colunistas.

    POSSENTI, S. Gramática na cabeça. Língua Portuguesa, ano 5, n. 67, maio 2011 (adaptado).

    Sírio Possenti defende a tese de que não existe um único “português correto”. Assim sendo, o domínio da língua portuguesa implica, entre outras coisas, saber