Simulados > Técnico Administrativo - Português - MPU - FCC - ii

14 questões | Português | Nível Médio | FCC | Técnico Administrativo | MPU

  • Média 51%
  • Médio
  • 949 resolveram
22 Gabaritaram
61 Muito bom
464 Bom
402 Ruim

Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É grátis!

    Atenção: As questões de números 1 a 14  referem-se ao texto
    seguinte.

    A propósito de uma aranha

    Fiquei observando a aranha que construía sua teia, com
    os fios que saem dela como um fruto que brota e se alonga de
    sua casca. A aranha quer viver, e trabalha nessa armadilha caprichosa
    e artística que surpreenderá os insetos e os enredará
    para morrer. Tua morte, minha vida − diz uma frase antiga,
    resumindo a lei primeira da natureza. A frase pode soar amarga
    em nossos ouvidos delicados, enquanto comemos nosso
    franguinho. Sua morte, vida nossa.

    Os vegetarianos não fiquem aliviados, achando que,
    além de terem hábitos mais saudáveis, não dependem da morte
    alheia para viver. É verdade que a alface, a cenoura, a batata, o
    arroz, o espinafre, a banana, a laranja não costumam gritar
    quando arrancados da terra, decepados do caule, cortados e
    processados na cozinha. Mas por que não imaginar que
    estavam muito bem em suas raízes, e se deleitavam com o
    calor do sol, com a água refrescante da chuva, com os sopros
    do vento? Sua morte, vida nossa.

    Mas voltemos à aranha. Ela não aprendeu arquitetura ou
    geometria, nada sabe sobre paralelas e losangos; vive da
    ciência aplicada e laboriosa dos fios quase invisíveis que não
    perdoam o incauto. Uma vez preso na teia, o inseto que há
    pouco voava debate-se inutilmente, enquanto a aranha caminha
    com leveza em sua direção, percorrendo resoluta o labirinto de
    malhas familiares. Se alguém salvar esse inseto, num gesto de
    misericórdia, e se dispuser a salvar todos os outros que caírem
    na armadilha, a aranha morrerá de fome. Em outras palavras: a
    boa alma tomará partido entre duas mortes.

    A cada pequena cena, a natureza nos fala de sua
    primeira lei: a lei da necessidade. O engenho da aranha, a
    eficácia da teia, o vôo do inseto desprevenido compõem uma
    trama de vida e morte, da qual igualmente participamos todos
    nós, os bichos pensantes. Que necessidade tem alguém de ser
    cronista? − podem vocês me perguntar. O que leva alguém a
    escrever sobre teias e aranhas? Minha resposta é crua como a
    natureza: os cronistas também comem. E como não sabem
    fazer teias, tecem palavras, e acabam atendendo a necessidade
    de quem gosta de ler. A pequena aranha, com sua pequena
    teia, leva a gente a pensar na vida, no trabalho, na morte. A
    natureza está a todo momento explicando suas verdades para
    nós. Se eu soubesse a origem e o fim dessas verdades todas,
    acredite, leitor, esta crônica teria um melhor arremate.

    (Virgílio Covarim)

    1. questão 1480

  • A observação de uma aranha e sua teia levam o cronista a tratar
  • a) da crueldade e da irracionalidade das leis naturais.

    b) do universo extravagante em que vivem os insetos.

    c) do princípio da necessidade, pelo qual se regula a natureza.

    d) da dificuldade de se relacionar a vida com a morte.

    e) das leis da natureza, que só o homem consegue desafiar.

  • 2. questão 1481

  • Considerando-se o contexto, traduz-se corretamente o sentido de frase ou expressão do texto em:
  • a) armadilha caprichosa e artística (1o parágrafo) = cilada cruel e atraente.

    b) não perdoam o incauto (3o parágrafo) = não consideram o medroso.

    c) percorrendo resoluta (3o parágrafo) = dirigindo-se orgulhosa.

    d) compõem uma trama (4o parágrafo) = articulam uma relação.

    e) um melhor arremate (4o parágrafo) = uma conclusão hipotética.

  • 3. questão 1482

  • Estabelece-se, no primeiro parágrafo, uma comparação direta entre estes dois elementos:
  • a) um fruto e sua casca.

    b) os fios da teia e um fruto.

    c) a aranha e o franguinho.

    d) os fios da teia e a aranha.

    e) a aranha e um fruto.

  • 4. questão 1483

  • A concordância verbal está plenamente respeitada na frase:
  • a) Nem a banana, nem a laranja, nem a batata, nenhum desses vegetais escolheria morrer, se lhes fosse dada uma escolha.

    b) Não devem aliviar os vegetarianos a presunção de que eles não matam nada para comer.

    c) Os fios de uma laboriosa e artística teia de aranha costuma enredar fatalmente um inseto desprevenido.

    d) Atribuem-se às aranhas um comportamento cruel, como se elas pudessem escolher qualquer outro.

    e) Entre as leis que regulam a vida natural, competem-nos obedecer, em primeiro lugar, à da própria sobrevivência.

  • 5. questão 1484

  • A frase que NÃO admite transposição para a voz passiva é:
  • a) Fiquei observando a construção caprichosa da teia da aranha.

    b) Os vegetarianos não fiquem aliviados.

    c) Tudo isso compõe uma trama de vida e morte.

    d) Eu teria reservado um melhor arremate para esta crônica.

    e) A natureza vai explicitando suas verdades o tempo todo.

  • 6. questão 1485

  • Está clara, coerente e correta a redação da seguinte frase:
  • a) Assim como um fruto parece sair de sua casca, à medida que a aranha tece sua teia, que em suas malhas acabam aprisionando o inseto desprevenido.

    b) Sempre houveram os que não se lembram que a morte se verifica tão somente no reino animal, ao passo que os vegetais não.

    c) Não adianta de nada salvar-se um inseto, conquanto algum outro virá a cair igualmente em cuja armadilha o primeiro foi salvo.

    d) Não imagine o homem que, por ser um animal racional, esteja imune às mais cruas leis da natureza.

    e) Todo escritor almeja de que compor um texto tão belo e eficaz assim como uma teia da aranha, é uma tarefa de cuja tem muita necessidade.

  • 7. questão 1486

  • Está adequada a correlação entre os tempos e os modos verbais na frase:
  • a) Nenhum inseto acabaria aprisionado numa teia, caso esta não tivesse sido tecida com tanto engenho e arte.

    b) Os vegetarianos não deveriam alegar que não matassem nada, apenas porque não viessem a comer a carne dos animais.

    c) Se um inseto cair na teia, a aranha terá caminhado para ele com a segurança de quem soubesse o que fazer.

    d) Não costuma ocorrer aos que se insurgissem contra a morte de animais que também os vegetais morreriam.

    e) O autor da crônica lamentara que não tenha um melhor arremate para seu texto, uma vez que desconheça as razões e os fins da natureza.

  • 8. questão 1487

  • A expressão "com que" preenche corretamente a lacuna da seguinte frase:
  • a) Os fios ...... se vale a aranha para tecer sua teia são praticamente invisíveis.

    b) As mais duras leis da natureza, ...... é impossível para nós combater, são ditadas pela necessidade de viver e de morrer.

    c) Pergunto-me ...... armas pode contar essa aranha, afora os fios da magnífica teia que sabe tecer.

    d) A necessidade de escrever, ...... o autor nos confessa ao fim do texto, é compreendida como uma lei também natural.

    e) A comparação ...... o cronista estabelece entre uma teia de aranha e um texto não deixa de ser justificável.

  • 9. questão 1488

  • Está inteiramente correta a pontuação do período:
  • a) Sejam animais, sejam vegetais, tudo o que se alimenta e é alimento está sujeito, não há dúvida, à lei da necessidade de sobreviver.

    b) Sejam animais sejam vegetais, tudo o que se alimenta, e é alimento está sujeito, não há dúvida, à lei, da necessidade de sobreviver.

    c) Sejam animais, sejam vegetais, tudo, o que se alimenta, e é alimento, está sujeito − não há dúvida à lei da necessidade de sobreviver.

    d) Sejam animais; sejam vegetais: tudo o que se alimenta e é alimento, está sujeito, não há dúvida, à lei da necessidade de sobreviver.

    e) Sejam animais; sejam vegetais, tudo o que se alimenta e é alimento, está sujeito não há dúvida: à lei da necessidade de sobreviver.

  • 10. questão 1489

  • Quando a aranha tece sua teia, ela "faz sua teia" com fios muito finos, de modo que os insetos não "vêem esses fios", e não conseguem desvencilhar-se "desses fios".
    Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo- se os elementos DESTACADOS, respectivamente, por
  • a) faz-lhe − lhes vêem − deles

    b) a faz − vêem eles − dos mesmos

    c) faz ela − os vêem − deles

    d) lhe faz − vêem-lhes − daqueles

    e) a faz − os vêem − deles

  • 11. questão 1490

  • O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do PLURAL para preencher corretamente a lacuna da frase:
  • a) Não ...... (dever) espantar-nos o fato de que mesmo os grandes insetos não consigam escapar dos fios de uma teia.

    b) Os desenhos formados pelos fios de uma teia ...... (assemelhar-se) à trama dos fios de uma rede de pescar.

    c) ...... (queixar-se) dos incômodos de uma teia quem precisa demovê-la do alto de uma cumeeira.

    d) Tal como as aranhas fazem com seus fios, ...... (fazer) com as palavras todo aquele que se dispõe a articular um texto com precisão.

    e) Não nos ...... (caber) atribuir adjetivos como cruéis ou maldosos aos atos praticados pelos animais.

  • 12. questão 1491

  • É preciso corrigir a redação da seguinte frase:
  • a) Qualquer assunto − inclusive uma aranha e sua teia − pode despertar o interesse de um cronista que está em busca de um tema.

    b) Nas disputas entre os insetos, o vencedor pode ser o mais habilidoso e não, necessariamente, o mais forte.

    c) É possível que, para muitos leitores, proceda a comparação que o autor faz entre o trabalho de uma aranha e o de um escritor.

    d) Muita gente acredita de que as aranhas são perniciosas quando suas teias são elaboradas, tendo preso os insetos.

    e) Não deixa de ser um espetáculo, para um observador atento, a segura caminhada que faz a aranha em direção à sua presa.

  • 13. questão 1492

  • Justifica-se o uso do sinal de crase apenas em:
  • a) As aranhas tecem à toda hora, seja para construir, seja para reforçar a teia.

    b) Os vegetais também ficam à desfrutar o sol, a chuva, o vento.

    c) A aranha assiste pacientemente à luta do inseto para livrar-se da teia.

    d) A conclusão à que aspira o cronista seria a explicação da vida e da morte.

    e) Os vegetarianos levam à sério a idéia de que não matam nada para comer.

  • 14. questão 1493

  • Todas as formas verbais estão corretamente flexionadas na frase:
  • a) O cronista dá a entender que jamais interveio para libertar um inseto.

    b) Se não convisse matar para comer, a natureza não o determinaria.

    c) Nunca me aprouveu matar para comer; aguardo que matem por mim.

    d) Se a natureza revesse sua principal lei, que tipo de vida haveria?

    e) Se a vida não se compor com a morte, romper-se-á todo o equilíbrio.

Mais simulados

Comentários simulado

  • 14. eduardodudu comentou em 01/10/2014 às 15:52:17
  • Achei Médio
  • 13 de 14 MUITO BOM!. MAS PRA MIM FOI GABARITADA, PORQUE EU MARQUEI A CORRETA E TECLEI AS SETAS DE DIREÇÃO PARA DECER A PÁGINA E ACABOU MARCANDO "LETRA E"...HUSHUSHU DROGA!!! 13 PONTOS PERDIDOS!
  • Status: foco e entusiasmo, eis aí o segredo...
  • 9. lombardinho comentou em 31/12/2012 às 13:51:42
  • Achei Difícil
  • Acertei 12 de 14, prova complicada...
  • Status: Yes we can!
  • 8. dionespfc comentou em 04/10/2012 às 02:06:08
  • Achei Médio
  • em minha conclusão as questões transcorridas trás muito a desejar para o leitor, o fácil entendimento. muito complexo..
    thau
  • 7. rrattes comentou em 02/03/2012 às 12:10:58
  • Achei Médio
  • Alguém me explica a 13?
  • 6. kelzinha comentou em 30/01/2012 às 21:05:53
  • Achei Médio
  • Tiro o chapéu pra essa banca!Sempre tive facilidade em português mas essas provas estão me surpreendendo...na verdade,estou assustada!
  • Status: Estudando até passar.
  • 5. anamartorelli comentou em 29/01/2012 às 21:04:06
  • Achei Médio
  • Preciso estudar mais!!! errei questões por falta de atenção!!! mas valeuuu...
  • 4. den comentou em 13/11/2011 às 00:05:24
  • Achei Médio
  • na questão 4 nem... nem... pode ser posto no plural ou singular.
    é facultativo.
  • 3. narc22 comentou em 12/11/2011 às 22:15:37
  • Achei Médio
  • Na questão 4... Nenhum ... escolheria
  • 2. biaonishi comentou em 29/03/2011 às 22:58:42
  • Achei Médio
  • A questão numero 4 está com o gabarito errado. A letra A não está respeitando a concordancia verbal pois: banana,laranja e batata formam mais de um elemento os verbos deveriam estar no plural
  • 1. gian1976 comentou em 16/03/2011 às 16:00:34
  • Achei Difícil
  • no final já cheguei cansado. Conseguiram complicar onde parecia não se possível.Mérito da banca.

Comentar simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É grátis!

O gabarite não elabora as questões aqui publicadas apenas as trancreve de provas que já foram aplicadas em concursos públicos anteriores.