Simulado ENEM - Português - Exame Nacional do Ensino Médio - 2014

Categoria: Simulados | 7 questões | Português | Ensino Médio | Exame Nacional do Ensino Médio | ENEM | INEP

  • 3 gabaritaram
  • Difícil
  • 425 resolveram
  • barra ótimo 9 Ótimo
  • barra qtd_bom 63 Bom
  • barra ruim259 Ruim
  • barra péssimo94 Péssimo

Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples, fácil e grátis!

  • 1 - Questão 25093.
  • O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.

    ROSA, J . G. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

    No romance Grande sertão: veredas, o protagonista Riobaldo narra sua trajetória de jagunço. A leitura do recho permite identificar que o desabafo de Riobaldo se aproxima de um(a)
  • 2 - Questão 25094.
  • Blog é concebido como um espaço onde o blogueiro é livre para expressar e discutir o que quiser na atividade da sua escrita, com a escolha de imagens e sons que compõem o todo do texto veiculado pela internet, por meio dos posts. Assim, essa ferramenta deixa de ter como única função a exposição de vida e/ou rotina de alguém — como em um diário pessoal —, função para qual serviu inicialmente e que o popularizou, permitindo também que seja um espaço para a discussão de ideias, trocas e divulgação de informações.

    A produção dos blogs requer uma relação de troca, que acaba unindo pessoas em torno de um ponto de interesse comum. A força dos blogs está em possibilitar que qualquer pessoa, sem nenhum conhecimento técnico, publique suas ideias e opiniões na web e que milhões de outras pessoas publiquem comentários sobre o que foi escrito, criando um grande debate aberto a todos.

    LOPES, B. O. A linguagem dos blogs e as redes sociais. Disponível em: www.fateczl.edu.br. Acesso em: 29 abr. 2013 (adaptado).

    De acordo com o texto, o blog ultrapassou sua função inicial e vem se destacando como
  • 3 - Questão 25095.
  • No Brasil, a origem do funk e do hip-hop remonta aos anos 1970, quando da proliferação dos chamados “bailes black nas periferias dos grandes centros urbanos. Embalados pela black music americana, milhares de jovens encontravam nos bailes de final de semana uma alternativa de lazer antes inexistente. Em cidades como o Rio de Janeiro ou São Paulo, formavam-se equipes de som que promoviam bailes onde foi se disseminando um estilo que buscava a valorização da cultura negra, tanto na música como nas roupas e nos penteados. No Rio de Janeiro ficou conhecido como “Black Rio". A indústria fonográfica descobriu o filão e, lançando discos de “equipe" com as músicas de sucesso nos bailes, difundia a moda pelo restante do país.

    DAYRELL, J. A música entra em cena: o rap e o funk na socialização da juventude. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

    A presença da cultura hip-hop no Brasil caracteriza-se como uma forma de
  • 4 - Questão 25096.
  • TEXTO I

    Ditado popular é uma frase sentenciosa, concisa, de verdade comprovada, baseada na secular experiência do povo, exposta de forma poética, contendo uma norma de conduta ou qualquer outro ensinamento.

    WEITZEL, A. H. Folclore literário e lingüístico. Juiz de Fora: Esdeva, 1984 (fragmento).

    TEXTO II

    Rindo brincalhona, dando-lhe tapinhas nas costas, prima Constança disse isto, dorme no assunto, ouça o travesseiro, não tem melhor conselheiro.
    Enquanto prima Biela dormia no assunto, toda a casa se alvoroçava.
    [Prima Constança] ia rezar, pedir a Deus para iluminar prima Biela. Mas ia também tomar suas providências. Casamento e mortalha, no céu se talha. Deus escreve direito por linhas tortas. O que for soará. Dizia os ditados todos, procurando interpretar os desígnios de Deus, transformar os seus desejos nos desígnios de Deus. Se achava um instrumento de Deus.

    DOURADO, A. Uma vida em segredo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990 (fragmento).

    O uso que prima Constança faz dos ditados populares, no Texto II, constitui uma maneira de utilizar o tipo de saber definido no Texto I, porque
  • 5 - Questão 25097.
  • Em uma escala de 0 a 10, o Brasil está entre 3 e 4 no quesito segurança da informação. “Estamos começando a acordar para o problema. Nessa história de espionagem corporativa, temos muita lição a fazer. Falta consciência institucional e um longo aprendizado. A sociedade caiu em si e viu que é uma coisa que nos afeta”, diz S.P., pós-doutor em segurança da informação. Para ele, devem ser estabelecidos canais de denúncia para esse tipo de situação. De acordo com o conselheiro do Comitê Gestor da Internet (CGI), o Brasil tem condições de desenvolver tecnologia própria para garantir a segurança dos dados do país, tanto do governo quanto da população. “Há uma massa de conhecimento dentro das universidades e em empresas inovadoras que podem contribuir propondo medidas para que possamos mudar isso [falta de segurança] no longo prazo”. Ele acredita que o governo tem de usar o seu poder de compra de softwares e hardwares para a área da segurança cibernética, de forma a fomentar essas empresas, a produção de conhecimento na área e a construção de uma cadeia de produção nacional.

    SARRES,C.Disponível em: www.ebc.com.br. Acesso em: 22 nov. 2013 (adaptado).

    Considerando-se o surgimento da espionagem corporativa em decorrência do amplo uso da internet, o texto aponta uma necessidade advinda desse impacto, que se resume em
  • 6 - Questão 25098.
  • Tarefa

    Morder o fruto amargo e não cuspir
    Mas avisar aos outros quanto é amargo
    Cumprir o trato injusto e não falhar
    Mas avisar aos outros quanto é injusto
    Sofrer o esquema falso e não ceder
    Mas avisar aos outros quanto é falso
    Dizer também que são coisas mutáveis...
    E quando em muitos a não pulsar
    — do amargo e injusto e falso por mudar —
    então confiar à gente exausta o plano
    de um mundo novo e muito mais humano.

    CAMPOS, G. Tarefa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981.

    Na organização do poema, os empregos da conjunção “mas” articulam, para além de sua função sintática,
  • 7 - Questão 25099.
  • Vida obscura

    Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro,
    ó ser humilde entre os humildes seres,
    embriagado, tonto de prazeres,
    o mundo para ti foi negro e duro.

    Atravessaste no silêncio escuro
    a vida presa a trágicos deveres
    e chegaste ao saber de altos saberes
    tornando-te mais simples e mais puro.

    Ninguém te viu o sentimento inquieto,
    magoado, oculto e aterrador, secreto,
    que o coração te apunhalou no mundo,

    Mas eu que sempre te segui os passos
    sei que cruz infernal prendeu-te os braços
    e o teu suspiro como foi profundo!

    SOUSA, C. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1961.

    Com uma obra densa e expressiva no Simbolismo brasileiro, Cruz e Sousa transpôs para seu lirismo uma sensibilidade em conflito com a realidade vivenciada. No soneto, essa percepção traduz-se em

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Não elaboramos as questões, apenas as transcrevemos de provas já aplicadas em concursos públicos anteriores.