Simulado Câmara de São Paulo SP - Significação Contextual de Palavras e Expressões - 2014

Categoria: Simulados | Questões: 4 | Disciplina: Português | Assunto: Significação Contextual de Palavras e Expressões | Ensino: Médio | Cargo: Consultor Técnico Legislativo | Órgão: Câmara de São Paulo SP | Banca: FCC

  • 9 gabaritaram
  • Regular
  • 51 resolveram
barra ótimo 9 Ótimo
barra bom 20 Bom
barra ruim 16 Ruim
barra péssimo 6 Péssimo

    Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples, fácil e grátis!

  • Reféns da palavra

    Durante muito tempo, os gregos desconfiaram da palavra escrita como a linguagem cifrada de um mundo obscuro que só levava à danação, diferentemente do que se aprende “de cor”, ou com o coração, como está na etimologia. Homero, o inventor da literatura ocidental, era maior porque também nunca escrevera nada e suas estrofes inaugurais tinham sido transmitidas oralmente, de coração em coração.
    Meu convívio forçado com o computador, sua conveniência, seus mistérios e seus perigos, me faz pensar muito sobre a precariedade da palavra. Pois um pré-eletrônico como eu está sempre na iminência de ver textos inteiros desaparecerem sem deixar vestígio na tela. O computador nos transforma todos em reféns sem fuga possível da palavra e pode acabar, num segundo, com um dia inteiro de trabalho da pobre musa dos cronistas em trânsito. Ao mesmo tempo, nos transformou na primeira geração da História que tem toda a memória do mundo ao alcance de um dedo.
    O computador resgata a memória como mestre da História ou, ao contrário, nos exime de ter memória própria, e decreta o domínio definitivo da escrita sobre quem a pratica? Sei lá. É melhor acabar aqui antes que este texto desapareça.

    (Adaptado de: VERISSIMO, Luis Fernando. Diálogos impossíveis. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012. p. 58)
  • 1 - Questão 28184.
  • Ao lembrar o que significa, desde sua origem, a expressão "de cor", o autor se vale dessa etimologia para lembrar
  • 2 - Questão 28185.
  • Atente para as seguintes afirmações:

    I. No 2o parágrafo, o autor se vale da expressão precariedade da palavra para referir a indeterminação semântica que ela assume por conta da multiplicidade de sentidos que pode abrigar.
    II. No 2o parágrafo, a expressão reféns sem fuga possível sugere a condição daqueles que, uma vez contando com os serviços de um computador, não conseguem mais dispensá-los.
    III. No 3o parágrafo, o autor considera indiscutível o fato de que nossa confiança na prodigiosa memória de um computador acabará acarretando o negligente esquecimento de nossa própria História.

    Em relação ao texto está correto o que se afirma APENAS em
  • 3 - Questão 28186.
  • Com a chegada do computador, passamos a reconhecer no computador não apenas os predicados eletrônicos, mas a admitir o computador como um parceiro de todas as ciências, artes e conhecimentos, passamos a cultuar o computador como um aliado superior.

    Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados, respectivamente, por:
  • 4 - Questão 28187.
  • Considerando-se o contexto, o autor utiliza

+Simulados Câmara de São Paulo SP

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Não elaboramos as questões, apenas as transcrevemos de provas já aplicadas em concursos públicos anteriores.