Simulado IFES - Interpretação de Texto - Pedagogo - 2016

Categoria: Simulados | Questões: 3 | Disciplina: Português | Assunto: Interpretação de Textos | Ensino: Superior | Cargo: Pedagogo | Órgão: IFES | Banca: BD

  • 2 gabaritaram
  • Difícil
  • 36 resolveram
barra ótimo 2 Ótimo
barra bom 3 Bom
barra ruim 15 Ruim
barra péssimo 16 Péssimo

    Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples, fácil e grátis!

  • A próxima questão,terão como base os dois textos seguintes. Leia-os:

    Texto 1:
    ESSES TEXTOS


    O texto primeiro existe
    só, como ponto.
    Se transforma depois em linha
    com sua própria força 
    de deslocação,
    sua velocidade própria.

    Depois,
    o leitor institui
    outra linha, lendo.
    O leitor constitui
    um feixe de linhas cruzadas
    organizando os textos.

    No percurso do texto
    e no trânsito da leitura,
    as linhas se chocam,
    se repudiam, se perdem,
    correm pararelas
    e podem se amar.
    Depois, saber fazer
    retorná-las a ponto.

    (Mas o importante é o leitor. Você.)

    É preciso ter calma.
    Saber ir abotoando
    os elementos vários
    à espera do clique de colchete.
    Quando dois ou mais
    se engatam,
    fecha-se um sentido
    único e exclusivo.
    Mas que você pode emprestar
    a alguém,
    desde que o diga
    (Não tenha medo da alta-velocidade.
    Não tenha receio de dar marcha à ré.)

    É preciso ter pressa.
    Saber ir desabotoando
    os colchetes de sentido
    como quem quer tirar
    camisa usada e suada
    de dia de trabalho.
    Cada camisa,
    depois de surrada,
    é fonte
    de novo esforço.
    Ou então vira
    camisa-de-força.

    É preciso saber vestir
    o texto,
    como tatuagem na própria
    pele.

    É preciso saber tatuar
    o texto,
    como sulcos feitos
    na bruta realidade.

    O duplo estilete
    do texto e da leitura,
    do autor e do leitor.

    A dupla tatuagem
    contra o próprio corpo
    e a realidade bruta.

    A tatuagem que se imprime
    para poder forçar
    a barra.
    A tatuagem que o corpo,
    depois de violado
    tatua. Violentando.
    (SANTIAGO, Silviano, Crescendo durante a guerra numa província ultramarina. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.)

    Texto 2:
    LEITURA NAS DIVERSAS DISCIPLINAS


    Heloisa Amaral

    O ensino, na escola, não existe sem a leitura. Ou é leitura direta pelo aluno, ou explicações do professor sobre textos que ele, o professor, leu. Ou seja, a linguagem falada pelo professor é uma didatização do conhecimento acumulado pela escrita (em letras ou números e sinais) na disciplina que ele leciona. Quando a fala é uma transposição de leituras, ela não é uma fala similar a uma conversa casual, como as que usamos no cotidiano. Ao contrário, está carregada de conceitos e de relações complexas entre os conceitos provenientes de estudos sobre os diferentes conhecimentos, seja qual for a matéria que esteja sendo ensinada. E em geral é preciso acrescentar, para complementar as aulas expositivas ou dialogadas feitas pelos professores, textos (didáticos ou não) relacionados às disciplinas ministradas.

    Assim, o que se tem como prática constante em todas as disciplinas escolares é a leitura de textos. Antes ou depois da aula expositiva, leituras. Leitura de textos escritos, de imagens, de gráficos, mas leitura. Isso significa que sem desenvolver capacidades de leitura o aluno não consegue aprender as disciplinas escolares na dimensão proposta pelos conteúdos programáticos. Significa, também, que os professores das diversas disciplinas precisam ensinar o aluno a ler os gêneros próprios de suas matérias, uma vez que eles são gêneros textuais produzidos de forma particular em cada área de conhecimento. Ler literatura, por exemplo, não é o mesmo que ler enunciados de problemas; ler textos de história não é o mesmo que ler gráficos em geografia. O aluno não lê textos de cada uma das disciplinas com facilidade sem ter compreendido os conceitos e as relações entre eles, do modo particular como são abordados nelas. Seja qual for a disciplina, a leitura se dá de forma particular, e exige conhecimentos específicos para ser bem-sucedida.

    Então, ler é uma competência indispensável para a aprendizagem em cada uma das áreas, uma competência que precisa ser ensinada pelos professores de cada uma delas. Mas, o que é necessário para que os alunos leiam verdadeiramente em qualquer disciplina, compreendendo o que leem? A compreensão dos textos de diferentes gêneros está relacionada a dois aspectos: primeiramente, à natureza dos próprios textos e, em segundo lugar, às capacidades de leitura desenvolvidas pelo leitor.

    Em primeiro lugar, não há como ler textos, gráficos ou imagens, sem ter compreendido bem a natureza dos gêneros textuais das diferentes áreas de conhecimento, ou seja, a situação particular em que textos, gráficos ou imagens foram produzidos. A situação de produção de um texto é sempre histórica, isto é, está ligada ao momento histórico atual e, ao mesmo tempo, faz referências a um conhecimento produzido em um dado momento da história da humanidade. Em matemática, por exemplo, o professor pode ensinar a situação de produção de um gênero textual matemático trabalhando com o nascimento de conceitos a eles relacionados, registrados na história da matemática.

    Em segundo lugar, não há leitores que leiam bem sem ter suas capacidades de leitura, necessárias para ler qualquer gênero de texto, bem desenvolvidas. As capacidades de leitura, portanto, podem e devem ser desenvolvidas em qualquer disciplina escolar. (...)

    Publicado originalmente no site da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
    (Disponível em: https://dialogosassessoria.wordpress.com/2014/09/11/leitura-nas-diversas-disciplinas/)
  • 1 - Questão 35183.
  • Pensemos no texto como algo vivo.

    Um bom exemplo da relação existente entre texto e leitor está no poema “Esses Textos”, de Silviano Santiago. Esse poema deixa-nos algumas pistas, a fim de que, através destas, um contato mais próximo, entre leitor e texto, se estabeleça.
    Leia as citações a seguir (que se apresentam em sentido figurado), sabendo que nem todas podem exprimir essa relação interativa:

    I) “O texto primeiro existe / só, como ponto. Se transforma depois em linha / com sua própria força / de deslocação”.
    II) “Depois, / o leitor institui / outra linha, lendo.”
    III) “No percurso do texto / e no trânsito da leitura, / as linhas se chocam, / se repudiam, se perdem, / correm paralelas / e podem se amar.
    IV) “O duplo estilete / do texto e da leitura, / do autor e do leitor.”

    Agora, escolha a opção que representa a adequação dessa interação entre leitor e texto:
  • 2 - Questão 35184.
  • Observe os destaques, nas frases retiradas de ambos os textos, e escolha a opção que apresenta uma explicação CORRETA quanto à sintaxe:
  • 3 - Questão 35185.
  • Marque a única opção que apresenta uma frase com a justificativa CORRETA sobre a classificação do verbo em destaque:

Mais IFES

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Não elaboramos as questões, apenas as transcrevemos de provas já aplicadas em concursos públicos anteriores.