Complemento Nominal X Objeto Indireto: Qual a diferença?

Publicado por Dinake Núbia em 14/02/2020

Não é todo mundo que tem facilidade com a Gramática da Língua Portuguesa. Pensando nisso, o Gabarite preparou um texto para explicar, de forma clara, a diferença entre o complemento nominal e o objeto indireto.

Mas antes, você precisa saber o que é o complemento nominal e o que é o objeto indireto. Veja abaixo as definições:

O que é complemento nominal?

O complemento nominal é o termo da oração que completa o significado de um substantivo abstrato, de um adjetivo ou de um advérbio.

De forma mais clara, o complemento nominal completa o sentido de uma palavra que não seja verbo, por meio de preposição.

Exemplos:

  • Temos respeito (substantivo) pelos (preposição) mais velhos (complemento nominal)
  • Temos respeito pelos mais velhos
  • Luiza tem orgulho (substantivo) do filho (complemento nominal)
  • Luiza tem orgulho do filho
  • Ele viu a casa e gostou muito (adjetivo) de tudo (complemento nominal)
  • Ele viu a casa e gostou muito de tudo

O que é objeto indireto?

O objeto indireto completa o sentido de um verbo transitivo na oração. Mas o que é o verbo transitivo?

O verbo transitivo é aquele que precisa de um termo que complemente o seu sentido, como no caso, o objeto indireto.

O objetivo indireto é acompanhando de uma preposição, só não quando ele for expresso pelos pronomes pessoais oblíquos me, te, lhe, nos, vos, lhes e pelo reflexivo se.

Exemplo:

  • Maria gosta (verbo) de (preposição) pizza

Se a oração acima fosse escrita somente até o verbo, ficaria incompleta e sem sentido (Maria gosta).

Mas ao acrescentarmos a preposição de, o verbo de relaciona com o complemento, dando sentido a oração = Maria gosta de pizza.

Este elemento pode ser representado por um substantivo ou palavra substantivada, por um pronome (substantivo), numeral ou uma oração.

Veja abaixo os exemplos:

1. Substantivo ou palavra substantivada.

Exemplos:

  • João gosta de música clássica.
  • A professora confia em seus alunos

2. Pronome (substantivo)

Exemplos:

  • Eu viajaria com eles
  • Ela convidou a mãe para conhecer as amigas

3. Numeral

Exemplos:

  • A sorveteria pertencia aos dois filhos
  • Eu tinha os três livros que exigiam

4. Oração Substantivada

Exemplos:

  • Você duvida de que iremos conquista-los?
  • Você duvida de nossa capacidade?

E atenção!

O objeto indireto também pode ser composto por mais de um substantivo ou por mais de uma palavra que se equivale o objeto.

Exemplo:

  • Nós assistimos a dois filmes de romance

Na frase acima, os objetos indiretos complementam o verbo “assistir”, com um numeral (a dois) e dois substantivos (filmes de romance).

Qual a diferença entre o Complemento Nominal e Objeto Indireto?

Enquanto o complemento nominal completa o sentido de uma palavra que não seja verbo, por meio de preposição, o objeto indireto completa o sentido de um verbo na oração. Essa é a principal diferença entre os dois termos.

Observação:

Tanto o Objeto Indireto quanto o Complemento Nominal são Termos Integrantes da Oração. Além deles, também integram o grupo os Objeto Direto e Agente da Passiva.

Resumindo, o objeto direto complementa um verbo transitivo direto, que não exige o uso de uma preposição obrigatória. Esse termo indica o ser para a qual se dirige a ação verbal.

Assim como o objeto indireto, o objeto direto pode ser apresentado por meio de um substantivo, pronome, numeral, palavra ou expressão substantivada ou oração substantiva.

Já o agente da passiva é o complemento, acompanhado de uma preposição, que representa o ser que pratica a ação descrita por um verbo na voz passiva. Para reforçar: o agente da passiva é o sujeito na voz ativa.

Você pode testar os seus conhecimentos sobre esse tema usando nossos simulados. É totalmente online e gratuito. Treine quantas vezes quiser! Acesse os Simulados Gabarite.

Comentar Dica

Para comentar esta dica é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!