← Mais dicas

Como lidar com a violência na escola?

Por Luana Caroline em 24/02/2021 11:07:12 | Pedagogia, Escola, Educação Escolar

São necessárias ações preventivas e punitivas para os casos de violência no ambiente escolar, de modo a não perpetuar essa “cultura” tão nociva.


Os atos violentos nas escolas são um reflexo da própria violência que ocorre na sociedade como um todo. Existem vários tipos de violência, as quais se estendem desde as agressões físicas até as ofensas verbais, a exclusão de grupos e as repressões.

As escolas são marcadas pela diversidade. São muitas pessoas com experiências de vida diferentes convivendo em um mesmo espaço.

Isso faz com que os casos de violências sejam intensificados. Apesar de ser uma realidade histórica, a violência nas escolas não pode ser tratada com naturalidade.

São necessárias ações preventivas e punitivas para os casos de violência no ambiente escolar, de modo a não perpetuar essa “cultura” tão nociva.

Violência na escola

A escola é um espaço de grande diversidade, e nem sempre há a aceitação das diferenças por parte de alguns alunos. Muitas violências que ocorrem nas escolas são um reflexo das próprias vivências dos alunos fora do espaço escolar.

Os próprios agressores são também vítimas de agressão em outros contextos. Convivem com pessoas agressivas, veem situações de agressividade ou não foram ensinadas a respeitar os limites do outro.

A violência na escola não abrange apenas brigas entre alunos, mas também agressões aos professores e servidores do espaço escolar.

O Brasil é um dos países com maior índice de violência contra professores, o que se reflete no intenso adoecimento de docentes e desistência da carreira. É uma situação que precisa ser evitada e combatida cotidianamente.

Ações para evitar a violência na escola

Há várias ações que auxiliam na prevenção e combate à violência nas escolas. É preciso também que a violência ocorrida não fique só no interior da instituição, mas que seja denunciada aos órgãos competentes.

A violência na escola não pode ser encoberta, mas descortinada e eliminada da realidade escolar. Algumas ações importantes neste sentido são:

  • Realizar ações coletivas para debater a questão da violência na escola, como palestras, gincanas, ações solidárias;
  • Integrar as famílias na realidade escolar, de modo que saibam o que ocorre nesta, e possam também identificar casos de violência;
  • Criar uma campanha permanente de combate ao Bullying, de modo que estas ações não se tornem esporádicas, mas que seja uma discussão sempre presente no cotidiano dos alunos;
  • Investimento em prática de esportes ou desenvolvimento de atividade coletivas, nas quais os alunos possam interagir com os colegas e conhecê-los melhor;
  • Exigir que outras instâncias da sociedade também abordem a questão da violência na escola, de modo que esta não fique restrita ao ambiente escolar, como se a violência ocorresse apenas nesta;
  • Observar sinais de que um aluno possa estar sofrendo violência, como marcas pelo corpo, falta de interesse em atividades, demonstração de medo diante de algum colega, isolamento social, etc.;
  • Estabelecimento de normas de conduta bem definidas no ambiente da escola, reconhecendo limites e impondo consequências nos casos de violência;
  • Detectar alunos com tendências a ações violentas e realizar junto com as famílias um trabalho de conscientização. Quando se nota que a violência ocorre também no âmbito familiar, contatar os órgãos responsáveis pelas questões neste sentido (Conselho Tutelar, por exemplo);
  • Nunca encobrir um caso de violência que ocorreu na escola, mas notificar as instâncias responsáveis e aplicar as atitudes previstas em regulamento para estes casos (suspensão, expulsão, transferência, etc.).

Violência as escolas brasileiras

O dia 7 de abril marca o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência nas Escolas. A data em questão foi instituída em 2016, por meio da Lei nº 13.277.

Os casos de violência nas escolas do Brasil são muito significativos. Estes atos atingem não apenas alunos, mas também professores e demais profissionais da área da educação.

O Brasil lidera os índices de violência contra professores no mundo (ranking da OCDE), o que torna a profissão de professor cada vez menos procurada, já que os índices de adoecimento dos professores são muito grandes.

Isso é um reflexo da própria sociedade brasileira, historicamente marcada pelas violências físicas e simbólicas.

Foto de perfil Luana Caroline
Por Luana Caroline em 24/02/2021 11:07:12
Professora de Geografia
Mestra em Geografia (2014), Especialista em Neuropedagogia (2013), Especialista em Educação Profissional e Tecnológica (2018) e Graduada em Licenciatura em Geografia (2011).

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.