O Renascimento comercial e urbano para a sociedade europeia

Nickolas Laprovita | História, Europa, Renascimento, Idade Média | Comentar (0)

O processo de expansão comercial durante o período medieval proporcionou uma drástica mudança na forma como a Europa se desenvolveria a partir daquele momento.

O Renascimento comercial e urbano para a sociedade europeia
O Renascimento comercial e urbano para a sociedade europeia.

O Renascimento comercial e urbano europeu se deu após o conturbado período da Alta Idade Média (séc. V – séc. X) novas lógicas sociais e econômicas começaram a trilhar caminhos distintos dos tradicionais.

Esse período de mudanças ficou conhecido como Baixa Idade Média (séc. XI – séc. XIII) foi importante para os rumos da Europa.

As consequências da Alta Idade Média

A sociedade medieval possuía uma rígida pirâmide social onde a nobreza e o clero aumentava seu poder em relação ao campesinato.

O medo das guerras, invasões bárbaras e epidemias aliadas ao discurso religioso da Igreja Católica acarretaram no isolacionismo social d os feudos.

Como consequência houve a diminuição das relações comerciais, pois muitas das importantes rotas comerciais já não eram mais tão seguras ou estavam sobre o controle de outros povos.

“Renascimento ou Expansão?” o papel das cruzadas na reabertura das rotas comerciais.

As incursões cruzadistas dirigiram-se ao Oriente pelas principais rotas comerciais do período. Nesses pontos seus assentamentos também serviam como importantes entrepostos de trocas comerciais locais.
As incursões cruzadistas dirigiram-se ao Oriente pelas principais rotas comerciais do período. Nesses pontos seus assentamentos também serviam como importantes entrepostos de trocas comerciais locais.

A Baixa Idade Média foi um período de aparente “tranquilidade”, os conflitos e guerras não eram tão frequentes ou eram extremamente localizados, foi um período de poucas epidemias e moléstias.

As Cruzadas desempenharam um papel importante na sociedade feudal, mesmo sabendo do uso a violência e a imposição da fé pelas incursões causaram inúmeras consequências para ao envolvidos.

Com os objetivos de conversão de infiéis ao catolicismo e de retomada de territórios conquistados pelos Mouros, as cruzadas também contribuíram para a reabertura das antigas rotas comerciais.

Esse processo de expansão retomou importantes rotas como as do Mediterrâneo, cidades como Veneza e Gênova mesmo que distantes da Europa ainda mantinham o monopólio do comercio marítimo na região com cidades da Ásia e do Norte da África.

O papel da agricultura na mudança da sociedade feudal

Juntamente com a expansão territorial, a agricultura sofreu grandes mudanças. Com a reconquista de territórios aumentou-se também as áreas habitáveis e para plantio.

O crescimento e o desenvolvimento de novas técnicas cultivo resultaram no crescimento populacional e consequentemente do mercado consumidor.

O crescimento comercial das cidades europeias caminhou junto com a expansão territorial, os antigos feudos medievais começavam a se abrir e a se beneficiar desses novos mercados consumidores.

A rotatividade dos campos de plantio, o uso de charruas e moinhos hidráulicos proporcionou a produção de excedentes da agricultura que foram direcionados para o mercado, impulsionando novamente as relações comerciais.

Os Burgos, antigos feudos ou feiras comerciais que se fortificavam transformando-se em poderosos polos comerciais começaram a ganhar espaço e a serem vistos como uma possibilidade de ascensão econômica e social.

As fugas em massa de camponeses escapando da servidão feudal tornaram-se comuns, esses em busca de novas formas de ascender na já rígida pirâmide social feudal.


Alguns burgos permanecem como atrações turísticas. As imagens acima são da cidade de Buonconvento na região da Toscana, um antigo burgo medieval.

Novas formas de organização social: o surgimento da burguesia e da especialização do trabalho

O crescimento dos burgos começou a gerar novas organizações na sociedade medieval, classes comerciais como os burgueses, artesãos e banqueiros levaram a conflitos de interesse.

Por se localizarem em interiores de feudos, os senhores feudais começaram a sentir seu poder ameaçado em relação ao poder e a influência de alguns comerciantes da região.

Em contrapartida alguns desses grandes comerciantes exigiam certa autonomia em relação aos feudos principalmente em relação às ameaças e as cargas de impostos.

Os banqueiros, acusados do pecado da usura, enriquecimento a partir do tempo da perspectiva divina, também foram perseguidos pela Igreja.

O surgimento de instituições burocráticas como as corporações de ofício onde se regulava os processos de produção artesanal e as ligas de comércio marítimo que tutelavam o monopólio o comércio nas rotas pelos mares.

Conclusão...

O processo de expansão comercial durante o período medieval proporcionou uma drástica mudança na forma como a Europa se desenvolveria a partir daquele momento.

Cidades começaram a crescer e tomarem o lugar de destaque no cenário político, social e econômico no continente, principalmente em regiões que estavam próximas ao litoral que se tornariam poderosas potências econômicas a partir do século XV.

Deixe seu comentário (0)

Seja o primeiro a comentar!