A Evolução e a representação da Escrita

Nickolas Laprovita História, Pré História Erramos?

O nativa papel da escrita está além da comunicação, é a partir de seu surgimento que os pesquisadores dividem temporalmente o fim da chamada Pré-História e o Início da História

Titulo: A Evolução e a representação da Escrita: primeiras formas comunicativas humanas

A escrita pode ser definida como a representação gráfica da oralidade e de aspectos cotidianos, ou seja, não são apenas as letras que definem a escrita mais está baseada na ideia de representação.

O papel da escrita está além da comunicação, é a partir de seu surgimento que os pesquisadores dividem temporalmente o fim da chamada Pré-História e o Início da História.

Isso não quer dizer que antes delas os povos não possuíam formas de se comunicar além da fala, mas que a representação gráfica de certos signos como forma de entendimento criou um novo ordenamento social.

As primeiras formas de representação da oralidade: a comunicação como fator da organização social

Existem distintas formas de representação da escrita, as mais famosas são as pictografias e as ideografias.

Os pictogramas foram uma das primeiras formas de representação. Feitas através de desenhos figurativos não representavam uma oralidade e si, mas uma estilização de representações do cotidiano dos indivíduos.

Na Pré-História ainda no paleolítico, utilizava-se principalmente no interior das cavernas as pinturas rupestres como forma de expressar os acontecimentos do cotidiano, desde fauna, flora ou representação de conflitos.

Categorizadas como arte, as pinturas rupestres são importantes formas de comunicação e nos proporcionam entender um pouco mais do modo de vida do homem pré-histórico.

As pinturas rupestres representavam as mais variadas cenas do cotidiano. Tornaram-se importantes fontes para se conhecer os povos da época

Acredita-se que os ideogramas evoluíram a partir das pictografias. A escrita ideográfica passa a formar a ideia de caracteres separados representando palavras, objetos e ideias. Era mais complexa possuindo um vasto número de símbolos para identificar seu sentido.

Diferente da pictografia, seus sentido não era mais tão abstrato, mas sim de destacar um maior entendimento e significação a comunicação. As mais diversas civilizações do mundo passam a usar a ideografia como importante forma de comunicação.

Nas mais diversas partes do mundo formaram-se seus próprios tipos de códigos de linguagem, no Oriente com os chineses, na região da África com os egípcios e no chamado Oriente Próximo na Mesopotâmia.

Os Sumérios e a escrita cuneiforme

Com a sedentarização dos primeiros assentamentos humanos, manifestou-se a necessidade de se criar alguma forma de registrar questões do cotidiano, principalmente do mundo do trabalho.

Ao sul da Mesopotâmia foram criadas as primeiras pictografias sumérias, chamadas de escritas cuneiformes. Conhecidas como a mais antiga forma de escrita encontrada eram feitas em tábuas de argila que eram colocadas no fogo para endurecer e durar.

Normalmente usadas para registros administrativos das Cidades-estados como contabilidade, registros de leis e comunicações oficiais.

Legenda: Tábua de argila com escrita cuneiforme

Era uma escrita de certo grau de complexidade, possuía mais de 2.000 signos e seu domínio era exercido principalmente por indivíduos restritos ligados as altas camadas da sociedade mesopotâmica.

A escrita egípcia

Os egípcios apresentavam uma marcante característica em sua escrita, as mais conhecidas delas são os hieróglifos, utilizados para representação do sagrado.

Encontravam-se inscritas principalmente no interior de templos e pirâmides. Como na Mesopotâmia seu domínio era restrito a alguns membros da elite real egípcia como sacerdotes, membros da realeza e aos escribas.

Havia no Egito antigo a existência de outros tipos de escrita, são elas a Hierática, utilizada mais para fins administrativos e a Demótica, utilizada para assuntos do cotidiano, principalmente para escrituras biográficas e religiosas.

Os Escribas eram respeitados na sociedade egípcia. Desempenhavam o papel de registrar todo o cotidiano e história do Antigo Egito. Era uma posição que exigia certa especialização e pertencimento a camadas mais abastadas da sociedade da época.

Hieróglifos (esquerda) e egípcio demótico (esquerda). A tradução da escrita egípcia só foi possível graças a Pedra Roseta, que possibilitou o entendimento de alguns significados desses símbolos.

A escrita na atualidade

Com o passar do tempo a escrita foi sendo aperfeiçoada por outros povos até chegar ao que conhecemos hoje.

A influência dos Fenícios na criação do alfabeto fonético e seu aperfeiçoamento pelos gregos nos deram bases para o alfabeto atual, conhecido como alfabeto latino.

Por muito tempo a escrita e leitura ficou reservada a membros de reservadas castas sociais que dispunham de recursos para exercer essa tarefa.

Na atualidade a escrita e a linguagem modificaram-se bastante, principalmente por causa da internet. Termos foram abreviados, emojis substituem palavras inteiras de uma sentença que ganham novos significados.

Mas mesmo assim uma parcela significativa da sociedade é analfabeta ou semianalfabeta e não possui acesso descente a escrita e leitura. A desigualdade ainda é um problema a ser enfrentado.