Economia é um curso de exatas ou humanas?

Sumaia Santana | Economia, Cursos, Economista | Comentar (0)

Embora a grade curricular seja repleta de disciplinas exatas, a Economia é um curso de Humanas. Então, se você pretende cursar Economia não pense que sua habilidade com números é a única exigência.

Economia é um curso de exatas ou humanas?
Economia é um curso de exatas ou humanas?.

O curso de Economia aborda a produção e distribuição de bens e serviços.

Na graduação o aluno também aprende a interpretar cenários econômicos e elaborar análises e relatórios de âmbito socioeconômico.

Por isto, acredita-se que seja da área de exatas, mas será mesmo? Descubra aqui se economia é curso de exatas ou de humanas e surpreenda-se com a resposta. 

Como se tornar um economista?

Para ser economista é preciso fazer a graduação em Economia com duração de quatro anos. A grade curricular varia conforme à instituição, mas trazem assuntos equivalentes.

No primeiro semestre reúne disciplinas introdutórias ligadas à Economia, Matemática e Cálculos.

Ao longo dos semestres, os assuntos são aprofundados e algumas universidades trazem disciplinas relacionadas à iniciação científica.

Como é a graduação em Economia?

O curso é robusto em matérias exatas, mas também possui assuntos de humanas.

Conheça um pouco da grade curricular do curso de Economia de duas das maiores instituições da área, FGV (Fundação Getúlio Vargas) e Insper:

Grade Curricular Economia FGV (aprovada em 2017)

  • Introdução à Economia;
  • Matemática e Matemática Financeira;
  • Contabilidade e Contabilidade Social;
  • Probabilidade;
  • Estatística;
  • Introdução à Finanças e Sistema Monetário Brasileiro;
  • Finanças Bancárias e Finanças Corporativas;
  • Engenharia Financeira;
  • Controladoria;
  • Gerenciamento de Risco.

Grade Curricular Economia Insper 

Na instituição, as matérias dos cursos de Economia e Administração são comuns, por isto, as turmas são mistas até o terceiro semestre.

No quarto semestre começa o chamado “Ciclo Específico” com as disciplinas específica do curso.

Confira um pouco da grade curricular:

  • Contabilidade Financeira;
  • Econometria;
  • Microeconomia e Macroeconomia;
  • Macroeconomia Internacional;
  • História do Pensamento Econômico;
  • História Econômica do Brasil;
  • Comércio Internacional;
  • Desenvolvimento Econômico;
  • Problemas em Economia;
  • Direito e Economia das Políticas Públicas.

Na instituição, as matérias dos cursos de Economia e Administração são comuns, por isto, as turmas são mistas até o terceiro semestre.

No quarto semestre começa o chamado “Ciclo Específico” com as disciplinas específica do curso.

Confira um pouco da grade curricular:

  • Contabilidade Financeira;
  • Econometria;
  • Microeconomia e Macroeconomia;
  • Macroeconomia Internacional;
  • História do Pensamento Econômico;
  • História Econômica do Brasil;
  • Comércio Internacional;
  • Desenvolvimento Econômico;
  • Problemas em Economia;
  • Direito e Economia das Políticas Públicas.

Além das matérias obrigatórias, as instituições possuem disciplinas optativas.

Na FGV (Fundação Getúlio Vargas) o aluno pode optar entre Iniciação Científica e Francês e no Insper, Tópicos Avançados em Avaliações de Empresas e Agronegócio são algumas opções.

Instituições como o Insper há estágio obrigatório.

De acordo com o programa do curso disponível no site, o aluno faz o estágio regular no 3º ano quando o curso passa a ser meio período, até o sexto semestre, as aulas são em período integral.

Ao término do curso o aluno faz um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e o título de Bacharel está condicionado à obtenção da nota mínima estipulada.

Afinal, Economia é curso de humanas ou exatas?

Embora a grade curricular seja repleta de disciplinas exatas, a Economia é um curso de Humanas.

Então, se você pretende cursar Economia não pense que sua habilidade com números é a única exigência.

O futuro economista precisa ser curioso, gostar de ler e pesquisar, ter conhecimentos em tecnologia, fluência em inglês e estar em contato com o coletivo.

As áreas de atuação da Economia provam porque esta ciência é humanas.

Por exemplo, na Economia Agroindustrial e Economia Ambiental, que estão em alta atualmente, o profissional precisa conviver com diferentes pessoas para entender o cotidiano do negócio e, então, traçar estratégias que tragam resultados satisfatórios.

Contudo, mesmo nas áreas de atuação tradicionais, o economista precisará ser observador, estudar e realizar pesquisas constantes porque a profissão é bastante dinâmica. 

Onde o economista pode trabalhar?

  • Mercado Financeiro: análise do mercado financeiro para indicar os melhores investimentos, caso trabalhe em corretoras de seguros e também pode atuar também na bolsa de valores;
  • Comércio Internacional: análise do mercado internacional e operar transações de importação e exportação para mediar negócios entre empresas de países diferentes;
  • Planejamento Estratégico: estudar quais são as melhores oportunidades para uma empresa e seus possíveis riscos, além de estar à frente de operações de compra e fusões;
  • Mediação e Arbitragem: buscar a melhor solução para resolver conflitos comerciais empresariais que podem ou não acabar em litígio;
  • Políticas Públicas: estudar a realidade econômica da cidade, estado ou do país, a fim de traçar a melhor política econômica para o local;
  • Perícia: atuação em consultoria e acompanhamento de operações financeiras em processos judiciais;
  • Pesquisa: estudo do custo de vida, desemprego, variação de preços, inflação;
  • Compliance: estruturar uma empresa para ela trabalhar em concordância com as leis e regulamentações específicas do setor;
  • Economia Ambiental: atuação em instituições públicas, ONGs e indústrias para análises ambientais e projetos de sustentabilidade;
  • Economia Agroindustrial: análise de transações e estudo de como impor produtos e serviços no mercado nacional e internacional.

Quais são as melhores faculdades de Economia?

  1. Universidade de São Paulo (USP): a USP está na lista dos 10 melhores cursos de Economia dos países em desenvolvimento. A graduação é oferecida em São Paulo, Piracicaba e Ribeirão Preto;
  2. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP): responsável por 15% da produção científica do país;
  3. Escola de Economia de São Paulo (FGV): o curso de Economia da Fundação Getúlio Vargas é integral nos quatro primeiros anos;
  4. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): eleita a segunda melhor universidade federal do Brasil em 2013 pela QS World University Rankings;
  5. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): grande centro de pesquisa, tem campus em Duque de Caxias, Angra dos Reis, Macaé e Itaperuna;
  6. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC SP): eleita a 21ªmelhor universidade da América Latina em 2013 pela QS World University Rankings;
  7. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS): eleita a 4ª melhor universidade do país em 2012 pela QS World University Rankings;
  8. Escola Brasileira de Economia e Finanças  (FGV Rio);
  9. Universidade Federal do Paraná (UFPR): campus nas cidades de Toledo, Matinhos, Pontal do Paraná e Jandaia do Sul;
  10. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC RJ): está entre as 10 melhores universidades da América Latina de acordo com o Times Higher Education. 

Deixe seu comentário (0)

Seja o primeiro a comentar!