← Mais dicas

Deus o abençoe ou Deus lhe abençoe, qual é o correto?

O uso dos pronomes é um dos assuntos que mais causa dúvida na língua portuguesa. Na dica de hoje vamos te ajudar a não errar mais e descobrir se o correto é Deus o abençoe ou Deus lhe abençoe?

Deus o abençoe ou Deus lhe abençoe, qual é o correto?

O ato de abençoar alguém é antigo e independe da religião ou do deus que a pessoa resolve cultuar. Mas no Brasil, um país em sua maioria cristã, é comum que as pessoas tenham o ato de abençoar umas as outras. Mas como é a forma correta de dizer?

Devemos falar Deus lhe abençoe ou Deus o/a abençoe?

Na língua portuguesa tanto o termo lhe como o termo o/a são pronomes. E a função do pronome em uma oração é substituir o sujeito para que o texto não fique truncado ou repetitivo.

Mas a sua forma de uso requer algumas regras. Agora que já explicamos o que é o pronome, vamos tirar a sua dúvida.

A forma correta é Deus o/a abençoe.

O verbo abençoar necessita da regência direta sem preposição. E na linguagem coloquial também pode ser usado Deus te abençoe. É errado usar o pronome oblíquo lhe nesta situação, já que o pronome exerce a função de complemento indireto dos verbos.

Quando devemos usar o pronome oblíquo lhe?

Usamos o pronome lhe para substituir o complemento de um verbo transitivo indireto, que são os verbos que precisam de preposição para completar o sentido.

Então nas orações como:

Quero lhe abraçar ou Deus lhe abençoe o uso do pronome está errado. Sendo a forma correta Quero o abraçar ou Deus o abençoe. Isso porque os verbos abraçar e abençoar são transitivos diretos, que não precisam de preposição.

O pronome lhe serve para substituir o sujeito da oração e pode ser usado tanto no masculino quanto no feminino. Vejamos abaixo alguns exemplos do uso do lhe corretamente.

  • Respondeu a Cleide prontamente. Respondeu-lhe prontamente.
  • Disse a você que viria. Disse-lhe que viria
  • Entreguei a Pedro o martel. Entreguei-lhe o martelo.

Quando devemos usar o pronome o/a?

Os pronomes (o/a) são pronomes pessoais. Eles são empregados nas orações como objeto direto logo não precisa do uso da preposição.

Eles estão ligados aos verbos transitivos diretos como: amar, ajudar, abençoar, respeitar, proteger, ouvir, convidar, etc. Vamos ver alguns exemplos do uso da preposição o/a

  • Eu amo a minha esposa – Eu a amo
  • Eu respeito a minha mãe – Eu a respeito
  • Odirlei protege o seu filho – Ele o protege
  • Marina convidou Luana – Marina a convidou.

Realmente o uso dos pronomes não é um dos assuntos mais fáceis na língua portuguesa.

Mas existe uma maneira que pode facilitar o entendimento e ajudar a escolher o pronome correto. Uma das opções é pensar nos elementos da construção do discurso.

Vamos deixar isso um pouco mais claro. Imagine que você está conversando com o seu pai sobre o seu professor. Os pronomes irão definir sobre quem está sendo referido ou citado durante a conversa. Para isso temos três elementos para compreender.

  • 1° o emissor (aquele que fala ). É a primeira pessoa do singular ou do plural representada pelo (eu ou nós).
  • 2° o receptor (aquele com quem se fala). É a segunda pessoa do singular ou plural representada pelo (tu ou vós).
  • 3° o assunto (de quem ou do que se fala). É a terceira pessoa do singular ou plural representado por (ele/ elas – eles/ elas).

Mas se ainda assim ficar alguma dúvida entre usar o lhe ou o/a, outra opção é complementar o verbo com a preposição (para). Se fizer sentido deve-se usar o pronome lhe, caso contrário, deverá substituir o lhe pelo pronome o/a.

Foto de perfil Rafael Thomas
Por Rafael Thomas | Jornalista
Profissional de Comunicação e Marketing com sólida experiência em Comunicação Interna, ações corporativas, treinamento de colaboradores, endomarketing e produção de conteúdo.

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.