← Mais notícias

Curso de Formação Pedagógica para não Licenciados: quem pode fazer?

Por Sumaia Santana em 10/07/2021 18:25:31 | Cursos, Brasil, Pedagogia, Professor, Licenciatura

O Curso de Formação Pedagógica para Não Licenciados é uma porta de entrada para quem quer trabalhar como professor, mas não tem formação em cursos de licenciatura. Saiba quem pode fazer.


Curso de Formação Pedagógica para não Licenciados: quem pode fazer?
Curso de Formação Pedagógica para não Licenciados: quem pode fazer?.

Você sabe o que é o curso de formação pedagógica para não licenciados? Aqui você descobre o que é, o que diz a lei, qual a estrutura curricular e quem pode fazer esse curso de formação.

Curso de Formação Pedagógica para não Licenciados: o que é e quem pode fazer?

O Curso de Formação Pedagógica para Não Graduados dá direito aos formados em cursos de bacharelado e tecnólogo para atuarem como professores no Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Profissional

O objetivo é suprir a falta de professores habilitados e a duração do curso é de 1 ano, dividido em dois semestres. O aluno estuda disciplinas relacionadas ao ensino, como Metodologias de Ensino, Didática, Psicologia da Educação, entre outras. 

O critério para ingressar nesse curso é ter formação de no mínimo 180 horas na área que pretende lecionar, por exemplo, um Engenheiro Civil deve fazer um curso R2 em Matemática. 

Os formados no curso são profissionais credenciados e reconhecidos pelo MEC, de acordo com a Portaria nº 3.445 de 19 de novembro de 2003.

Resolução nº2, de 26 de junho de 1997: entenda

O Curso de Formação Pedagógica para Não Graduados é chamado de R2 por ser regulamentado pela Resolução nº 2, de 26 de junho de 1997. Veja o que diz o texto dessa resolução:

Resolução nº 2, de 26 de de junho de 1997

Dispõe sobre os programas especiais de formação pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamental, do ensino médio e da educação profissional em nível médio. 

Art.1 A formação de docentes do nível superior para as disciplinas que integram as quatro séries finais do ensino fundamental, o ensino médio e a educação profissional de ensino médio, será feita em cursos regulares de licenciatura, em cursos regulares para portadores de diplomas de educação superior e, bem assim, em programas especiais de formação pedagógica estabelecidos por esta Resolução.

Parágrafo Único: Estes programas destinam-se a suprir a falta de nas escolas de professores habilitados, em determinadas disciplinas e localidades, em caráter especial.

Art.2 O programa especial a que se refere o art.1 é destinado a portadores de diploma de nível superior, em cursos relacionados à habilitação pretendida, que ofereçam sólida base de conhecimentos na área de estudos ligada a essa habilitação.

Quais as diferenças entre R2 e licenciatura?

A primeira diferença é a carga horária. Segundo a Resolução nº 2, o R2 deve ter, no mínimo, 540 horas entre teoria e prática, sendo que a teoria precisa ter duração mínima de 300 horas, a licenciatura regular tem duração de 760 horas, 400 dedicadas ao estágio supervisionado.

A segunda diferença é em relação ao conteúdo estudado. Enquanto o foco do R2 é a questão pedagógica, na licenciatura a grade curricular aborda aspectos filosóficos e históricos da Pedagogia, metodologias de ensino para diferentes idades e disciplinas da área de atuação.

Grade curricular dos cursos R2

Segundo a Resolução nº 2 de 26 de junho de 1997, os Cursos R2 de Formação Pedagógica devem seguir a estrutura abaixo:

Núcleo Contextual: visando à compreensão do processo de ensino-aprendizagem referido à prática de escola, considerando tanto as relações que se passam no seu interior, com seus participantes, quanto às suas relações, como instituição, com o contexto imediato e o contexto geral de onde está inserida;

Núcleo Estrutural: abordando conteúdos curriculares, sua organização sequencial, avaliação e integração com outras disciplinas, os métodos adequados ao desenvolvimento do conhecimento em pauta, bem como sua adequação ao processo de ensino-aprendizagem;

Núcleo Integrador: centrado nos problemas concretos enfrentados pelos alunos na prática de ensino, com vistas ao planejamento e reorganização do trabalho escolar, discutidos a partir de diferentes perspectivas teóricas, por meio de projeto interdisciplinares, com a participação articulada dos professores das várias disciplinas do curso.

Conheça as grades curriculares de cursos de Formação Pedagógica para Não Graduados em Geografia, História e Química:

Grade Curricular R2 Formação de Professores em Geografia

  • Didática;
  • Educação Inclusiva;
  • Legislação da Educação Básica e Políticas Educacionais;
  • Prática de Ensino em Geografia no Ensino Médio;
  • Metodologia de Ensino de Geografia;
  • Prática de Ensino em Geografia nos anos finais do Ensino Fundamental.

Grade Curricular R2 Formação de Professores em História

  • Didática;
  • Educação Inclusiva;
  • Legislação da Educação Básica e Políticas Educacionais;
  • Prática de Ensino em História no Ensino Médio;
  • Metodologia de Ensino de História;
  • Prática de Ensino em História nos anos finais do Ensino Fundamental;
  • Tecnologias da Informação e da Comunicação;
  • Diversidade étnico-cultural.

Grade Curricular R2 Formação de Professores em Química

  • Didática;
  • Educação Inclusiva;
  • Prática de Ensino em Química no Ensino Médio;
  • Metodologia de Ensino de Química;
  • Prática de Ensino em Química nos anos finais do Ensino Fundamental;
  • Legislação da Educação Básica e Políticas Educacionais.
Foto de perfil Sumaia Santana
Por Sumaia Santana em 10/07/2021 18:25:31
Redatora Web
Redatora freelancer com conhecimentos em SEO para produção de textos. Experiência na criação de artigos sobre concursos públicos, saúde física e mental, alimentação, autoconhecimento, seguros, locação de imóveis, construção/reforma e materiais de construção.

Deixe seu comentário (0)

Seja o primeiro a comentar!