Questões de Concursos QUADRIX

Resolva Questões de Concursos QUADRIX Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 11 - Questão 32014.   Português - Nível Médio - Técnico em Informática - CRMV SP - QUADRIX - 2013
  • Para responder à questão, leia o texto abaixo.

    Mãe
    (Crônico dedicado o o Dia das Mães, embora com o final inadequado, ainda que autêntico)
    Rubem Braga

    O menino e seu amiguinho brincavam nas primeiras espumas; o pai fumava um cigarro na praia, batendo papo com um amigo. E o mundo era inocente, na manhã de sol
    Foi então que chegou a Mãe (esta crônica é modesta contribuição ao Dia das Mães), muito elegante em seu short, e mais ainda em seu maiô. Trouxe óculos escuros, uma esteirinha para se esticar, óleo para a pele, revista para ler, pente para se pentear — e trouxe seu coração de Mãe que imediatamente se pôs aflito achando que o menino estava muito longe e o mar estava muito forte.
    Depois de fingir três vezes não ouvir seu nome gritado pelo pai, o garoto saiu do mar resmungando, mas logo voltou a se interessar pela alegria da vida, batendo bola com o amigo. Então a Mãe começou a folhear a revista mundana — "que vestido horroroso o da Marieta neste coquetel" — "que presente de casamento vamos dar à Lúcia? tem de ser uma coisa boa" — e outros pequenos assuntos sociais foram aflorados numa conversa preguiçosa. Mas de repente: 
    — Cadê Joãozinho?
    O outro menino, interpelado, informou que Joãozinho tinha ido em casa apanhar uma bola maior.
    — Meu Deus, esse menino atravessando a rua sozinho! Vai lá, João, para atravessar com ele, pelo menos na volta! 
    O pai (fica em minúscula; o Dia é da Mãe) achou que não era preciso: 
    — O menino tem OITO anos, Maria! 
    — OITO anos, não, oito anos, uma criança. Se todo dia morre gente grande atropelada, que dirá um menino distraído como esse! 
    E erguendo-se olhava os carros que passavam, todos guiados por assassinos (em potencial) de seu filhinho. 
    — Bem, eu vou lá só para você não ficar assustada.
    Talvez a sombra do medo tivesse ganho também o coração do pai; mas quando ele se levantou e calçou a alpercata para atravessar os vinte metros de areia fofa e escaldante que o separavam da calçada, o garoto apareceu correndo alegremente com uma bola vermelha na mão, e a paz voltou a reinar sobre a face da praia.
    Agora o amigo do casal estava contando pequenos escândalos de uma festa a que fora na véspera, e o casal ouvia, muito interessado — "mas a Niquinha com o coronel? não é possível!" — quando a Mãe se ergueu de repente: 
    — E o Joãozinho? 
    Os três olharam em todas as direções, sem resultado. O marido, muito calmo — "deve estar por aí", a Mãe gradativamente nervosa — "mas por aí, onde?" — o amigo otimista, mas levemente apreensivo. Havia cinco ou seis meninos dentro da água, nenhum era o Joãozinho. Na areia havia outros. Um deles, de costas, cavava um buraco com as mãos, longe. 
    — Joãozinho! 
    O pai levantou-se, foi lá, não era. Mas conseguiu encontrar o amigo do filho e perguntou por ele. 
    — Não sei, eu estava catando conchas, ele estava catando comigo, depois ele sumiu
    A Mãe, que viera correndo, interpelou novamente o amigo do filho. "Mas sumiu como? para onde? entrou na água? não sabe? mas que menino pateta!" O garoto, com cara de bobo, e assustado com o interrogatório, se afastava, mas a Mãe foi segurá-lo pelo braço: "Mas diga, menino, ele entrou no mar? como é que você não viu, você não estava com ele? hein? ele entrou no mar?". 
    — Acho que entrou... ou então foi-se embora. 
    De pé, lábios trêmulos, a Mãe olhava para um lado e outro, apertando bem os olhos míopes para examinar todas as crianças em volta. Todos os meninos de oito anos se parecem na praia, com seus corpinhos queimados e suas cabecinhas castanhas. E como ela queria que cada um fosse seu filho, durante um segundo cada um daqueles meninos era o seu filho, exatamente ele, enfim — mas um gesto, um pequeno movimento de cabeça, e deixava de ser. Correu para um lado e outro. De súbito ficou parada olhando o mar, olhando com tanto ódio e medo (lembrava-se muito bem da história acontecida dois a três anos antes, um menino estava na praia com os pais, eles se distraíram um instante, o menino estava brincando no rasinho, o mar o levou, o corpinho só apareceu cinco dias depois, aqui nesta praia mesmo!) — deu um grito para as ondas e espumas — "Joãozinho!".
    Banhistas distraídos foram interrogados — se viram algum menino entrando no mar — o pai e o amigo partiram para um lado e outro da praia, a Mãe ficou ali, trêmula, nada mais existia para ela, sua casa e família, o marido, os bailes, os Nunes, tudo era ridículo e odioso, toda essa gente estúpida na praia que não sabia de seu filho, todos eram culpados — "Joãozinho!" — ela mesma não tinha mais nome nem era mulher, era um bicho ferido, trêmulo, mas terrível, traído no mais essencial de seu ser, cheia de pânico e de ódio, capaz de tudo — "Joãozinho!" — ele apareceu bem perto, trazendo na mão um sorvete que fora comprar. Quase jogou longe o sorvete do menino com um tapa, mandou que ele ficasse sentado ali, se saísse um passo iria ver, ia apanhar muito, menino desgraçado!
    O pai e o amigo voltaram a sentar, o menino riscava a areia com o dedo grande do pé, e quando sentiu que a tempestade estava passando fez o comentário em voz baixa, a cabeça curva, mas os olhos erguidos na direção dos pais: 
    — Mãe é chaaata... 

    Maio, 1953
    (http://www. releituras. com/rubembraga_mae. asp)
  • A oração que está sublinhada em "A Mãe, que viera correndo" é classificada como:
  • 12 - Questão 23766.   Português - Nível Médio - Telefonista - CFP - QUADRIX - 2012
  • Leia o texto abaixo para responder às questões abaixo.

    Personalidade versus conhecimento

    Durante o processo seletivo, companhias dão mais valor à avaliação pessoal dos candidatos do que a competências na área de atuação

    14 de maio de 2012 - Márcia Rodrigues, de O Estado de S. Paulo 

          O aquecimento econômico, que vem gerando uma verdadeira caçada de profissionais qualificados, não impede as empresas de dar prioridade à avaliação do perfil psicológico dos candidatos, antes mesmo de pesar a experiência técnica durante os processos seletivos. É o que aponta pesquisa da Catho Online com 46.067 entrevistados entre candidatos e profissionais da área de recursos humanos.
          De acordo com o levantamento, 52,1% das empresas pesquisadas aplicam algum tipo de teste no processo seletivo. Destas, 71,7% valorizam a avaliação da personalidade, aptidão e as competências dos candidatos em testes psicológicos ou de análise de comportamento durante a seleção. O conhecimento técnico também é analisado no currículo, em entrevistas ou em testes situacionais - quando a empresa simula um conflito do dia a dia da função para ver se o candidato consegue solucioná-lo - , mas somente depois da aprovação do perfil comportamental.  
          "Normalmente, as pessoas são contratadas por suas habilidades técnicas e são demitidas por problemas de comportamento. Por isso, é natural que as companhias deem prioridade a este tipo de avaliação. Afinal, é muito mais fácil oferecer um curso técnico para aprimorar os conhecimentos do profissional na área e, assim, suprir a sua deficiência, do que "moldar" a personalidade de alguém", comenta diretor de educação da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Luiz Edmundo Rosa.
          A gerente de recursos humanos da rede hoteleira Grupo Salinas, Eliana Castro, concorda com Rosa. Para ela, em muitos casos é importante avaliar se a personalidade do candidato se encaixa com a dos demais funcionários da equipe para não prejudicar o clima amistoso no ambiente de trabalho.
          "Há candidatos que nós desencorajamos o chefe do setor a contratar, porque sua personalidade destoa dos demais da equipe. Claro que não eliminamos o candidato logo de cara, mas é algo que conta ponto", diz Eliana.
          Recém-contratadas pelo grupo hoteleiro de Alagoas, Natalia Pinto Rabelo, de 22 anos, e Karina Sencades, de 32 anos, passaram por vários testes antes de obterem a efetivação.
          Por ser psicóloga, Karina, que assumiu o cargo de consultora de recursos humanos em março, não passou por testes psicológicos, já que não se aplica este tipo de exame em profissionais da área. "Mas passei por entrevistas, provas situacionais e de competência, que também ressaltam características que possibilitam ao recrutador traçar meu perfil psicológico", conta Karina.
          Natália, contratada este mês como assistente de vendas, fez testes de personalidade, passou por três entrevistas e ainda pela prova situacional. "De todos os testes, o mais difícil foi a simulação de um problema corriqueiro da função. "Tirei de letra" as entrevistas e o teste psicológico."

    (www.estadao.com.br)
  • Sobre a forma "solucioná-lo", em destaque no texto (segundo parágrafo), pode-se afirmar corretamente que:
  • 14 - Questão 13973.   Direito Processual Civil - Nível Superior - Advogado - CRM PR - QUADRIX - 2014
  • Quando do cumprimento da sentença, segundo o Código de Processo Civil, a impugnação somente poderá versar sobre:

    I. excesso de execução.
    II. penhora incorreta ou avaliação errônea.
    III. qualquer causa impeditiva, modificativa ou extintiva da obrigação, como pagamento, novação, compensação, transação ou prescrição, desde que anterior à sentença.
    IV. evicção.

    Estão incorretos somente os incisos:
  • 16 - Questão 31346.   Português - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CREFONO - QUADRIX - 2013
  • Para responder às questões de 1 a 5, leia o texto abaixo.

    Profissional pode assessorar políticos e atores para aprimorar a comunicação

        A vice-diretora da graduação em fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Kátia de Almeida, afirma que a profissão é regulamentada desde 1981. Segundo ela, o objetivo do curso é formar profissionais que possam prevenir, avaliar, diagnosticar e tratar os distúrbios da comunicação humana e da audição, além de aperfeiçoar padrões de audição, voz, fala e linguagem. "Também visamos à formação de professores e pesquisadores", completa.
         Kátia diz que o estágio supervisionado começa no terceiro ano, mas que o quarto ano é todo dedicado a ele, com carga de 1.080 horas."Além de atuarem na clínica de fonoaudiologia da Santa Casa, os alunos também trabalham no complexo hospitalar da instituição, além de unidades básicas de saúde, creches e escolas."     Segundo ela, o aluno precisa gostar da área da saúde e da comunicação humana, de relações interpessoais e de se atualizar constantemente. Depois de formados, é possível atuar tanto em serviço público quanto privado. "Eles também podem trabalhar com assessoria empresarial, atendendo políticos, atores e outros profissionais, para o aprimoramento da comunicação humana." Kátia diz que a questão da saúde auditiva é importante para toda a polução, incluindo músicos e outros profissionais que estão expostos a níveis elevados de pressão sonora no ambiente de trabalho. "Todos os profissionais da música correm o risco de ter uma perda de audição, e só agora estão começando a se conscientizar."
        A médica conta que a audiologia é uma das especializações da fonoaudiologia e, neste ano, foi considerada uma das mais remuneradas e menos estressantes num ranking americano. 
         Segundo ela, o mercado de trabalho está em expansão em decorrência do aumento da expectativa de vida dos brasileiros. "A população de idosos faz com que apareçam novos serviços, porque eles querem envelhecer com qualidade."

    (Disponível em www.estadao.com.br)
  • O sujeito da forma verbal "correm", em destaque no quarto parágrafo do texto, tem como núcleo:
  • 17 - Questão 30528.   Atualidades - Nível Superior - Assistente de Informática - CRA AC - QUADRIX - 2016
  • Em 2016 completam-se 30 anos da pior tragédia já ocorrida envolvendo usinas nucleares: o desastre de Chernobyl, na Ucrânia. Com a explosão de um dos reatores da usina, estima-se que centenas de milhares de pessoas sofreram e ainda sofrem até hoje os efeitos da radiação. A lembrança desse incidente reacende o debate acerca do uso de usinas nucleares como fontes de energia, sobretudo pelos países mais desenvolvidos. Com base em seus conhecimentos sobre o setor energético, considere as seguintes afirmativas.

    I. Anos após o desastre de Chernobyl, ocorreu ainda o vazamento nuclear em Fukushima, no Japão, após a cidade ser atingida por um tsunami.
    II. A matriz energética brasileira é completamente dependente de usinas nucleares, cuja produção responde por mais de 80% das fontes energéticas brasileiras.
    III. Apesar dos riscos envolvidos, a energia gerada por usinas nucleares é ainda a que mais cresce no mundo, respondendo por mais da metade da produção energética mundial.

    Está correto o que se afirma em:
  • 18 - Questão 45270.   Biologia - Nível Médio - Assistente Administrativo - CRBio - QUADRIX - 2012
  • Constituem deveres dos Profissionais Biólogos:

    I. Exercer sua atividade profissional com dedicação, responsabilidade, diligência, austeridade e seriedade, somente assumindo responsabilidades para as quais esteja capacitado, não se associando a empreendimento ou atividade que não se coadune com os princípios de ética do Código de Ética Profissional e não praticando nem permitindo a prática de atos que comprometam a dignidade profissional.
    II. Contribuir para a melhoria das condições gerais de vida, intercambiando os conhecimentos adquiridos por meio de suas pesquisas e atividades profissionais.
    III. Contribuir para a educação da comunidade por meio da divulgação de informações cientificamente corretas sobre assuntos de sua especialidade, notadamente aqueles que envolvam riscos à saúde, à vida e ao meio ambiente.

    É correto o que se afirma em:
  • 19 - Questão 31834.   Raciocínio Lógico - Equivalência Lógica e Negação de Proposições - Nível Médio - Assistente Administrativo - CRN SP MS - QUADRIX - 2014
  • Considere a afirmativa: "Comer de forma saudável contribui para o bem-estar e ajuda a prevenir doenças crônico- degenerativas."

    Uma negação lógica para essa afirmativa está contida na alternativa:
  • 20 - Questão 31644.   Recursos Humanos - Gestão de Pessoas - Nível Médio - Assistente Administrativo Operacional - CRF PR - QUADRIX - 2016
  • No desenvolvimento de uma estrutura organizacional, devem ser considerados seus componentes, condicionantes, níveis de influência e níveis de abrangência. Quando de sua implementação e respectivos ajustes, é bastante importante o processo participativo de todos os profissionais da empresa, visando a uma maior integração e motivação. E, finalmente, é necessário avaliar a estrutura organizacional implementada, principalmente quanto ao alcance dos objetivos estabelecidos, bem como as influências dos aspectos formais e informais da empresa. Entre os fatores internos que influenciam a natureza da estrutura organizacional (Drucker – Prática de Administração de Empresas), apontam-se os seguintes, exceto: