Questões de Adjetivos para Concursos

Resolva Questões de Adjetivos para Concursos Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 54976.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2019
  • Todas as alternativas apresentam um coletivo, um aumentativo e um diminutivo de palavras, exceto:
  • 2 - Questão 5905.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2010
  • Assinale a opção em que ambos os termos não admitem flexão de gênero:
  • 3 - Questão 54970.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2019
  • Lei anticanudo: engodo que não salvará os oceanos
    Alexander Turra

    A cidade de São Paulo, seguindo um movimento recente, está propondo uma lei proibindo a fabricação, comercialização e oferta de canudos plásticos. Essa onda, literalmente, é motivada pelo fato de os canudos estarem associados a imagens marcantes de degradação dos oceanos, problema que o banimento “pretende” solucionar.
    De fato, canudos e outros itens de uso único têm sido questionados quanto ao antagonismo entre seu uso efêmero, muitas vezes virando resíduos após poucos minutos, e o longo tempo que permanecem no ambiente, dada sua baixa capacidade de degradação, porém grande capacidade de ser reciclado. Esses itens podem ser considerados uma conveniência inconveniente. Apesar da praticidade que proporcionam, aumentam a quantidade de resíduos destinados aos aterros e causam problemas ambientais quando descartados incorretamente.
    Mas será que o banimento dos canudos é a solução para esses problemas, em especial para o lixo no mar? Essa política pública pode soar assertiva, mas esconde peculiaridades que não podem ser desconsideradas.
    O banimento, diferentemente de campanhas de conscientização, não cria o nexo entre o não uso do canudo e seu eventual benefício ambiental. Um exemplo: após o banimento dos canudos na cidade do Rio de Janeiro, a água de coco passou a ser servida em copos plásticos igualmente de uso único.
    É necessário educar a população para tomar decisões autônomas e ambientalmente adequadas, pois a escolha de usar ou não um canudo não é a única que ela terá que fazer. As campanhas contra os canudos, ainda que esse item seja icônico, podem ser inócuas. O combate ao lixo no mar deve promover uma discussão mais abrangente sobre as variadas fontes e as diferentes estratégias para combatê-lo, não somente banimento.
    Ainda que qualquer redução da entrada de lixo no mar seja relevante, os canudos representam apenas 2,6% dos itens coletados em praias de São Paulo pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo. Uma das principais causas do lixo no mar é a ocupação irregular, problema socioambiental associado à pobreza, ordenamento territorial e falta de saneamento básico. Esse cenário afeta todo o território nacional, em especial a cidade de São Paulo.
    O banimento baseia-se no pressuposto de que o canudo tem o ambiente como destino, não encontrando um sistema adequado de coleta e destinação de resíduos sólidos. Isso deveria ser garantido pelos municípios, com a coleta seletiva, a reciclagem e a economia circular, impedindo a contaminação ambiental.
    Não é lógico investir no banimento dos canudos sem atuar de forma mais abrangente e sistêmica em três frentes para combater as principais fontes de lixo para o mar: educação ambiental, gestão de resíduos e ordenamento territorial. Por outro lado, caso o banimento dos canudos seja colocado em prática, deve-se cobrar coerência dos tomadores de decisão quanto a outros itens de uso único e efêmero que são mais abundantes nas ruas e no mar, como as bitucas de cigarro. Deve-se também proibir a produção, a venda e o uso de cigarros na cidade. Mas nesse caso a conveniência não parece ser conveniente, a coerência um tanto quanto incoerente e o banimento dos canudos uma cortina de fumaça aparente.

    Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2019.

    Considere o período:

    Mas nesse caso a conveniência não parece ser conveniente, a coerência um tanto quanto incoerente e o banimento dos canudos uma cortina de fumaça aparente.

    As palavras em destaque, no contexto linguístico em que surgem, classificam-se, respectivamente, como
  • 4 - Questão 5896.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2010
  • Marque o item em que o termo "cego" está empregado como adjetivo:
  • 5 - Questão 8477.   Português - Adjetivos - Nível Médio
  • Ainda sobre os adjetivos gentílicos, diz-se que quem nasce em “Lima”, “Buenos Aires” e “Jerusalém” é:
  • 6 - Questão 5903.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2010
  • O adjetivo que os autores utilizam no título é uma das palavras que costumeiramente geram dúvidas ortográficas. Nos casos abaixo, a grafia de ambas as palavras só está correta em:
  • 7 - Questão 54977.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2019
  • Aponte, dentre as alternativas abaixo o adjetivo de valor nitidamente subjetivo.
  • 8 - Questão 8479.   Português - Adjetivos - Nível Médio
  • Assinale a alternativa em que todos os adjetivos têm uma só forma para os dois gêneros:
  • 9 - Questão 54973.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2019
  • TEXTO 1
    Se o governo ouvisse a ciência, aumentaria a carga horária de esportes na escola


    Sabine Righeti

    Os educadores podem não saber disso, mas estudos que envolvem neurociência têm mostrado evidências importantes que relacionam a prática regular de exercícios ao desempenho acadêmico. Trocando em miúdos: mais tempo na quadra de esportes pode significar melhores notas na escola. 
    Então não seria interessante que cientistas e educadores trabalhassem juntos a fim de desenvolver estudos para guiar tomadas de decisão na área de educação? Pois é. Essa é a proposta da Rede Nacional de Ciência para Educação, que conecta educadores e cientistas com o objetivo de embasar decisões na área de educação. A relação entre esportes e desempenho acadêmico é um exemplo clássico desse trabalho “em rede”.
    De acordo com o neurocientista Roberto Lent, que trabalha com plasticidade e evolução do cérebro na UFRJ, e que coordena a rede, uma série de estudos recentes mostram que exercícios físicos melhoram a memória e até a produção de novos neurônios no hipocampo – área do cérebro responsável pela aprendizagem. Ele abordou o tema em um evento da rede promovido nesta quarta-feira (26) pelo Instituto Ayrton Senna, em São Paulo.
    Em experimentos com ratinhos, é possível “contar” os novos neurônios produzidos. Já em humanos, os resultados são observados a partir de imagens do cérebro.
    “Baseado nisso, o governo não deveria tornar educação física uma disciplina opcional”, diz Lent. Vale lembrar: na proposta de reforma curricular do ensino médio, anunciada por meio de Medida Provisória em setembro, educação física e artes passam a ser disciplinas eletivas. A proposta tem sido criticada por especialistas que receiam que algumas escolas simplesmente não tenham essa opção para os alunos.
    Outros trabalhos mostram também que a endorfina, neurotransmissor produzido com a prática de exercícios, melhora a disposição de maneira geral – o que ajuda na concentração e nas aulas. Mais: exercícios físicos ajudam no sono, que, por sua vez, tem um papel importantíssimo na memória. Para a psicologia, os exercícios físicos ajudam a desenvolver o trabalho em grupo, a liderança e a disciplina.
    A ideia da Rede Nacional de Ciência para Educação, criada em 2012, é justamente prover de informações científicas políticas públicas na área de educação que possam ajudar a tomada de decisão. Hoje há educadores, cientistas, economistas, fonoaudiólogos e pesquisadores de várias áreas do conhecimento envolvidos no trabalho.
    “Isso significa que se o governo tivesse ouvido os cientistas, aumentaria as horas de educação física”, diz Lent
    De acordo com Daniele Botaro, pós-doutoranda do Instituto Ayrton Senna, que também integra a rede, uma das propostas é que os próprios professores tragam temas de pesquisa para a ciência.“Um professor pode observar um fenômeno em sala de aula e trazer uma pergunta para os cientistas responderem”, diz. Isso é muito comum em países como os Estados Unidos.

    Disponível em: https://abecedario.blogfolha.uol.com.br/2016/10/27/se-governo-ouvisse-a-ciencia-aumentaria-a-carga-de-esportes-na-escola/ Acesso em: 21 set. 2018. Adaptado. 

    Releia o enunciado: “Hoje há educadores, cientistas, economistas, fonoaudiólogos e pesquisadores de várias áreas de conhecimento envolvidos no trabalho.”. Acerca do emprego das diversas classes gramaticais, analise as afirmativas a seguir.

    1) O termo “Hoje” introduz no enunciado uma circunstância de tempo e cumpre, assim, um papel próprio da classe dos advérbios.
    2) O plural dos substantivos da sequência “educadores, cientistas, economistas, fonoaudiólogos e pesquisadores” cumpre, também, o papel de universalizar essas categorias profissionais.
    3) O termo “várias”, estabelecendo um sentido quantitativo, exerce a função comum à classe dos numerais.
    4) No segmento “áreas de conhecimento”, o termo “de conhecimento” (destacado) limita o sentido de ‘áreas’, uma função própria dos adjetivos.

    Estão corretas:
  • 10 - Questão 54975.   Português - Adjetivos - Nível Médio - 2019
  • O adjetivo pode mudar de significado conforme seu posicionamento em relação ao substantivo ao qual se relaciona. Aponte a alternativa em que a colocação do adjetivo antes ou depois do substantivo não altera o significado: