← Início

Questões de Concursos - Gastroenterologia - Exercícios com Gabarito

Questões de Concursos Públicos - Gastroenterologia - com Gabarito. Exercícios com Perguntas e Respostas, Resolvidas e Comentadas. Acesse Grátis!


Acerca das diversas causas que podem levar à colelitíase ou à icterícia obstrutiva, julgue os itens subsequentes.

A colangite esclerosante primária tem forte associação com a retocolite ulcerativa, mas isso não aumenta o risco de esses pacientes desenvolverem colangiocarcinoma, quando comparados à população em geral, ou seja, os que não tenham essa doença.
Um homem com 62 anos de idade procurou assistência médica com relato de que, há vários meses, vem sentindo desconforto epigástrico, com irradiação para o dorso, que piorava em torno de 30 minutos após a alimentação. Informou, também, diarreia e importante perda de peso nos últimos seis meses. No exame clínico, apresentava-se emagrecido, com índice de massa corporal de 15 kg/m2, com leve dor à palpação profunda da região epigástrica, sem outras anormalidades. Os exames laboratoriais mostraram: glicemia de jejum = 200 mg/dL (valores de referência de 74 mg/dL a 106 mg/dL); hemograma sem alterações, bilirrubina total = 0,8 mg/dL (valores de referência de 0,3 mg/dL a 1,2 mg/dL), TGO = 28 U/L (valores de referência de 10 U/L a 30 U/L) e TGP = 38 U/L (valores de referência de 10 U/L a 40 U/L), amilase sérica = 130 U/L (valores de referência de 27 U/L a 131 U/L), lipase sérica = 180 U/L (valores de referência de 31 U/L a 186 U/L). Os exames de imagem confirmaram o diagnóstico de pancreatite crônica.

Com relação a esse caso clínico, julgue os itens que se seguem.

A principal causa associada a esse diagnóstico clínico é a litíase biliar.
Acerca das diversas causas que podem levar à colelitíase ou à icterícia obstrutiva, julgue os itens subsequentes. 

A colangite esclerosante primária tem forte associação com a retocolite ulcerativa, mas isso não aumenta o risco de esses pacientes desenvolverem colangiocarcinoma, quando comparados à população em geral, ou seja, os que não tenham essa doença.
Mulher, 62 anos, ex-tabagista e hipertensa de longa data, refere que há cinco meses apresenta, ao subir ladeira íngrime, dor retroesternal, em aperto, de moderada intensidade, sem irradiação, que cessa com o repouso. Nas três últimas aferições, apresentou pressão arterial acima de 175 x 100 mmHg. Está em uso de clortalidona 12,5 mg/dia, losartana 100 mg/dia e anlodipina 10 mg/dia. Não apresenta comorbidades e os exames de função renal e eletrólitos são normais.

Atualmente assintomática e sem novos episódios de dor na última semana. A melhor opção terapêutica, além do início de AAS, neste momento, é
Em relação ao esôfago de Barret, é correto afirmar:
Um paciente, de sessenta e cinco anos de idade, em uso de sinvastatina e ácido acetil salicílico, para a prevenção de eventos cardiovasculares, realizou uma endoscopia digestiva alta (EDA), devido a uma investigação de anemia. O paciente não apresentava sinais que indicavam perda de peso, hematoquezia ou melena, mas a EDA revelou gastrite do antro erosiva leve e um pólipo gástrico de 1,4 cm. Realizou-se biópsia sem a excisão completa do pólipo gástrico. O resultado da biópsia mostrou gastrite sem evidências de Helicobacter pylori e um adenoma tubular com baixo grau de displasia.

Nesse caso clínico, o médico deve
Acerca das diversas causas que podem levar à colelitíase ou à icterícia obstrutiva, julgue os itens subsequentes.

A icterícia é o sinal ou sintoma mais comum da colecistite calculosa aguda.

A base do tratamento da doença inflamatória intestinal leve a moderada consiste na administração de

Na pancreatite aguda são sinais de mau prognóstico, EXCETO

Além de estar implicada na gênese de úlcera péptica existem evidências de que há relação entre a infecção pelo H. pylori e a presença de