Questões de Concursos História do Brasil

  • Questão 31075.   História - História do Brasil - Nível Superior - Professor de História - SEDUC RO - FUNCAB - 2013

  • “Vargas seria veiculado junto aos jovens e às crianças como um ser superior – estratégia usada pelas políticas de culto à personalidade. Por isso mesmo, foi durante o Estado Novo que se construiu definitivamente o mito Vargas, fruto do carisma do presidente, mas também da eficiente máquina de propaganda existente.” (D"ARAUJO,MariaCelina.O Estado Novo .Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000, p. 36).

    Com relação à cultura, à educação e à propaganda no Estado Novo, é correto afirmar que:
  • Questão 31076.   História - História do Brasil - Nível Superior - Professor de História - SEDUC RO - FUNCAB - 2013

  • “Nesse sentido, discordamos de uma explicação baseada num só fator – que consideramos, entretanto, muito importante – e sugerimos questionar a estabilidade em torno de três temas fundamentais: o papel dos partidos políticos (especificamente a aliança PSD/PTB); o papel das Forças Armadas (notadamente o Exército, sob a chefia do General Lott) e o papel do Executivo, através de sua política econômica-administrativa.” (BENEVIDES, Maria Victoria de Mesquita. O governo Kubitschek – Desenvolvimento e Estabilidade política . Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976. p. 26).

    Com relação à política econômica de Juscelino Kubitschek, é correto afirmar que:
  • Questão 31077.   História - História do Brasil - Nível Superior - Professor de História - SEDUC RO - FUNCAB - 2013

  • “Na noite de 24 para 25 de janeiro de 1835, um grupo de escravos de origem africana, adeptos do Islã, saiu às ruas de Salvador e, durante mais de três horas, enfrentou tropas da cavalaria e milícias. Centenas de escravos e libertos participaram, cerca de setenta morreram e mais de quinhentos foram punidos com penas de morte, prisão, açoites e deportação.” (A Construção do Brasil . In: Revista Nossa História. São Paulo: Editora VeraCruz, 2006. p. 79).

    O episódio ficou conhecido como:
  • Questão 31078.   História - História do Brasil - Nível Superior - Professor de História - SEDUC RO - FUNCAB - 2013

  • “Portugal nunca se conformou com o decréscimo da produção aurífera, atribuindo a queda da arrecadação do quinto ao extravio e ao contrabando. Para os colonos mineiros, a percepção da pobreza e da dependência da Metrópole foi crescendo lentamente, até atingir uma verdadeira tomada de consciência, expressa na Inconfidência.” (BARROS, Edgar Luiz de. Os Sonhadores de Vila Rica . São Paulo: Atual, 1989. p. 22).

    Com relação à Inconfidência Mineira, é correto afirmar que:
  • Questão 31079.   História - História do Brasil - Nível Superior - Professor de História - SEDUC RO - FUNCAB - 2013

  • A produção de açúcar no período colonial voltava-se efetivamente para a exportação e, por gerar vultosos lucros, comandava a economia. A escolha do açúcar como solução para desenvolver a colonização portuguesa no Brasil pode ser explicada pelo fato de que:
  • Questão 25202.   História - História do Brasil - Nível Médio - Vestibular - UFF - 2010

  • “ (...) foi relativamente rápida a tragédia dos Waimiri-Atruahi. Foram derrotados, mas como os Txukahamai, impuseram imensas derrotas a seus inimigos brancos, através de muitos ataques entre 1968 e 1975. Depois disso, a doença, as muitas mortes, a invasão do território pela estrada, pela hidrelétrica, pela mineradora. A história se repete, mais ou menos a mesma, com os Arara, na Transamazônica, com os Parakanã, removidos três vezes em conseqüência da invasão de seu território pela estrada e pelas águas da hidrelétrica de Tucuruí.”
    MARTINS, José de Souza. A chegada do estranho. São Paulo, Hucitec, 1993, p.75.

    Se é possível falarmos hoje de uma História do índio no Brasil, é preciso considerar as rupturas e continuidades nos projetos de proteção ou de destruição de comunidades indígenas. Sobre isso, pode-se afirmar que
  • Questão 25203.   História - História do Brasil - Nível Médio - Vestibular - UFF - 2010

  • Um dos elementos decisivos no tocante à simbologia do regime republicano que foi inaugurado no Brasil em 1889 foi a definição de sua bandeira, de adoção obrigatória e legalmente estabelecida. Segundo alguns autores, essa foi uma batalha decisiva, que revelou clivagens entre os próprios republicanos, apesar de a vitória ter pertencido a um grupo: os positivistas. Sua vitória, nesse caso, pode ser explicada pelo fato de
  • Questão 25204.   História - História do Brasil - Nível Médio - Vestibular - UFF - 2010

  • A abertura política brasileira, ocorrida em meados da década de 1980, teve início na gestão do general Ernesto Geisel em 1974, levando mais de treze anos para desaguar em um regime democrático, seguindo uma estratégia “lenta, gradual e segura”. A longa duração desse processo pode ser explicada por alguns conflitos, sobretudo aquele entre
  • Questão 25205.   História - História do Brasil - Nível Médio - Vestibular - UFF - 2010

  • “Visto que, de fato, a Constituição de 1946 estabeleceu normas e medidas para a instalação de uma estrutura democrática no país, dando ensejo a uma abertura do processo político nos dezoito anos subseqüentes, ao observador mais descuidado a redemocratização pode parecer mais radical do que na realidade o foi.”
    SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). São Paulo: Alfa-Omega, 1976, p. 105.

    Com base nas afirmações contidas no texto, é possível afirmar que
  • Questão 25039.   História - História do Brasil - Nível Médio - ENEM - INEP - 2014

  • O índio era o único elemento então disponível para ajudar o colonizador como agricultor, pescador, guia, conhecedor da natureza tropical e, para tudo isso, deveria ser tratado como gente, ter reconhecidas sua inocência e alma na medida do possível. A discussão religiosa e jurídica em torno dos limites da liberdade dos índios se confundiu com uma disputa entre Jesuítas e colonos. Os padres se apresentavam como defensores da liberdade, enfrentando a cobiça desenfreada dos colonos.

    CALDEIRA, J . A nação mercantilista. São Paulo: Editora 34, 1999 (adaptado).

    Entre os séculos XVI e XVIII, os jesuítas buscaram a conversão dos indígenas ao catolicismo. Essa aproximação dos jesuítas em relação ao mundo indígena foi mediada pela