Questões de Interpretação de Texto para Concursos

Resolva Questões de Interpretação de Texto para Concursos Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 55568.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • 1 Terminou mais um round na luta entre palestinos e israelenses. E pode-se dizer que há um empate técnico. Feridos, os dois duelistas - Ariel Sharon e Yasser Arafat - seguem 4 para seus cantos do ringue a fim de avaliar os danos. Arafat deixou seu isolamento forçado de cinco meses - mas será que venceu? Sharon aparentemente se curvou às pressões 7 americanas - mas também não se pode dizer que o premier israelense tenha sido derrotado, na opinião de analistas.

    Douglas McMillan. Round empatado. In: Jornal do Brasil, 2/5/2002, p. 7 (com adaptações).

    A partir do texto acima, julgue os itens que se seguem.

    Infere-se do texto que a complexidade da questão do Oriente Médio é de tal ordem que, no momento, não há certeza absoluta acerca de quem venceu o episódio entre palestinos e israelenses mencionado no texto.
  • 2 - Questão 55571.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • 1 Abrir conta em banco é mais simples do que encerrá-la, mas também exige alguns cuidados. Veja abaixo os procedimentos mais adequados para os correntistas.

    Para abrir uma conta

    › Leia com atenção o contrato (ou carta-proposta). Não assine nada sem antes esclarecer todas as dúvidas.
    7 › Leve uma cópia e o original da carteira de identidade, do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e de um comprovante de residência.
    10 › Peça uma cópia de todos os documentos assinados.
    < Deposite pelo menos o valor mínimo pedido pelo banco. A quantia varia de acordo com cada banco.
    13 › Comunique ao banco, por escrito, qualquer mudança de endereço ou número de telefone.

    Para encerrar uma conta

    16 › Entregue ao banco uma correspondência em que solicite o encerramento da conta (exija recibo na cópia), ou mande-a pelo correio, por meio de carta registrada.
    19 › Verifique se todos os cheques emitidos foram compensados para evitar que seu nome vá parar no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo.
    22 › Devolva ao banco os cheques que ainda estão com você. Eles serão incinerados.
    › Peça um nada-consta depois do encerramento da conta.

    Fonte: IDC/PROCON-DF e Banco Central do Brasil.

    Com base no texto acima, julgue os itens a seguir.

    Segundo o texto, o fato de um cheque emitido não ter sido compensado nem destruído antes do encerramento da conta representa risco de o nome do emitente ser encaminhado ao Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo.
  • 3 - Questão 55584.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • [Valores da propaganda]

    Na sociedade moderna, a mesma voz que prega sobre as coisas superiores da vida, tais como a arte, a amizade ou a religião, exorta o ouvinte a escolher uma determinada marca de sabão. Os panfletos sobre como melhorar a linguagem, como compreender a música, como ajudar-se etc. são escritos no mesmo estilo de propaganda que exalta as vantagens de um laxativo. Na verdade, um redator hábil pode ter escrito qualquer um deles.
    Na altamente desenvolvida divisão de trabalho, a expressão tornou-se um instrumento utilizado pelos técnicos a serviço do mercado. Um romance é escrito tendo-se em mente as suas possibilidades de filmagem, uma sinfonia ou poema são compostos com um olho no seu valor de propaganda. Outrora pensava-se que cada expressão, palavra, grito ou gesto tivesse um significado intrínseco; hoje é apenas um incidente em busca de visibilidade.

    (Adaptado de: HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão. Trad. Sebastião Uchoa Leite. Rio de Janeiro: Editorial Labor do Brasil, 1976, p. 112) 

    No primeiro parágrafo do texto, o autor
  • 4 - Questão 55581.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • A era das compras

    A economia capitalista moderna deve aumentar a produção constantemente, se quiser sobreviver, como um tubarão que deve nadar para não morrer por asfixia. Mas a maioria das pessoas, ao longo da história, viveu em condições de escassez. A fragilidade era, portanto, sua palavra de ordem. A ética austera dos puritanos e a dos espartanos são apenas dois exemplos famosos. Uma pessoa boa evitava luxos e nunca desperdiçava comida. Somente reis e nobres se permitiam renunciar publicamente a tais valores e ostentar suas riquezas.
    O consumismo vê o consumo de cada vez mais produtos e serviços como algo positivo. Encoraja as pessoas a cuidarem de si mesmas, a se mimarem e até a se matarem pouco a pouco por meio do consumo exagerado. A frugalidade é uma doença a ser curada. Não é preciso olhar muito longe para ver a ética do consumo em ação – basta ler a parte de trás de uma caixa de cereal: “Para uma refeição saborosa no meio do dia, perfeita para um estilo de vida saudável. Um verdadeiro deleite com o sabor maravilhoso do “quero mais!”.
    Durante a maior parte da história, as pessoas teriam sido repelidas, e não atraídas, por esse texto. Elas o teriam considerado egoísta, indecente e moralmente corrupto. O consumismo trabalhou duro, com a ajuda da psicologia e da vontade popular, para convencer as pessoas de que a indulgência com os excessos é algo bom, ao passo que a frugalidade significa auto-opressão.

    (Adaptado de: HARARI, Yuval Noah. Sapiens – uma breve história da humanidade. 38. ed. Porto Alegre: L&PM, 2018, p. 357-358) 

    O que se lê na parte de trás de uma caixa de cereal deixa ver que a propaganda 
  • 5 - Questão 55582.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • Educação familiar

    A família cumpre cada vez menos a sua função de instituição de aprendizagem e educação. Ouve-se dizer hoje, repetidamente, o mesmo a respeito dos filhos de famílias das camadas superiores da sociedade, “nada trouxeram de casa”. Os professores universitários comprovam até que ponto é escassa a formação substancial, realmente experimentada pelos jovens, que possa ser considerada como pré-adquirida.
    Mas isso depende do fato de que a formação cultural perdeu a sua utilidade prática. Mesmo que a família ainda se esforçasse por transmiti-la, a tentativa estaria condenada ao fracasso porque, com a certeza dos bens familiares hereditários, esvaziaram-se alguns motivos de insegurança e sentimento de desproteção. Por parte dos filhos, a tendência atual consiste em furtarem-se a essa educação, que se apresenta como uma introversão inoportuna, e em orientarem-se, de preferência, pelas exigências da chamada “vida real”.
    O momento específico da renúncia pessoal, que hoje mutila os indivíduos, impedindo a individuação, não é a proibição familiar, ou não o é inteiramente, mas a frieza, a indiferença tanto mais penetrante quanto mais desagregada e vulnerável a família se torna.

    (Adaptado de: HORKHEIMER, Max, e ADORNO, Theodor (orgs.). Temas básicos da Sociologia. São Paulo: Cultrix, 1973, p. 143) 

    Está plenamente clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto: 
  • 6 - Questão 55586.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • O motorista do 8-100

    Fui convidado por um colega da redação de jornal, outro dia, a ver um belo espetáculo. Que eu estivesse pela manhã bem cedo junto ao último edifício da Avenida Rio Branco para assistir à coleta de lixo. Fui. Vi chegar o caminhão 8-100 da Limpeza Urbana e saltarem os ajudantes que se puseram a carregar e despejar as latas de lixo. Enquanto isso, que fazia o motorista? O mesmo de toda manhã. Pegava um espanador e um pedaço de flanela, e fazia o seu carro ficar rebrilhando de beleza.
    É costume dizer que a esperança é a última que morre. Nisso está uma das crueldades da vida: a esperança vive à custa de mutilações. Vai minguando e secando devagar, se despedindo dos pedaços de si mesma, se apequenando e empobrecendo, e no fim é tão mesquinha e despojada que se reduz ao mais elementar instinto de sobrevivência e ao conformismo.
    Esse motorista, que limpa seu caminhão, não é um conformado, é o herói silencioso que lança um protesto superior. A vida o obriga a catar lixo e imundície; ele aceita a sua missão, mas a supera com esse protesto de beleza e dignidade. Muitos recebem com a mão suja os bens mais excitantes e tentadores da vida; e as flores que vão colhendo no jardim de uma existência fácil logo têm, presa em seus dedos frios, uma corrupção que as desmerece e avilta. O motorista do caminhão 8-100 parece dizer aos homens da cidade: “O lixo é vosso: meus são estes metais que brilham, meus são estes vidros que esplendem, minha é esta consciência limpa”.

    (Adaptado de: BRAGA, Rubem. O homem rouco. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1963, p. 145-146) 

    Os três parágrafos em que se estrutura o texto podem ser identificados, nesta ordem, pelos seguintes procedimentos: 
  • 7 - Questão 55579.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • Fertilidade das utopias

    Um ideal de vida pessoal ou coletivo precisa estar lastreado numa avaliação realista das circunstâncias e restrições existentes. Ocorre, porém, que a realidade objetiva não é toda a realidade. A vida dos povos, não menos que a dos indivíduos, é vivida em larga medida na imaginação.
    A capacidade de sonho e o desejo de mudar fertilizam o real, expandem as fronteiras do possível e reembaralham as cartas do provável. Quando a vontade de mudança e a criação do novo estão em jogo, resignar-se a um covarde e defensivo realismo é condenar-se ao passado e à repetição medíocre. Se o sonho descuidado do real é vazio, o real desprovido de sonho é deserto. No universo das relações humanas, o futuro responde à força e à ousadia do nosso querer. O desejo move.

    (Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p 145) 

    Demonstra-se perfeito entendimento de uma expressão do texto em: 
  • 8 - Questão 55572.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • Texto IX – questões 27 e 28
    Ano internacional da água: alerta para crise sem precedentes

    1 O Programa Mundial para a Avaliação dos Recursos de Água Doce, uma colaboração entre 23 agências das Nações
    Unidas, apresentou seu Relatório Mundial de Desenvolvimento da Água durante o 3.º Fórum Mundial da Água, realizado em
    Kyoto, Japão.
    4 O informe mundial sobre a água adverte os governos sobre a “inércia política”, que só agrava a situação, marcada pela
    permanente redução dos mananciais do planeta, pelo alto grau de poluição e pelo aquecimento global. De acordo com o
    documento, o agravamento da escassez de água dificultará o combate à fome no mundo, comprometendo a meta mundial de
    7 erradicar a fome até 2050. Atualmente, 25 mil pessoas morrem de fome a cada dia e outras 815 milhões sofrem de desnutrição.
    Com o agravamento da falta de água, esses números tendem a piorar.
    O alerta de que o mundo enfrenta uma crise sem precedentes no abastecimento de água, feito pela ONU, está contido
    10 no estudo coordenado pela UNESCO e apresenta dois cenários sobre escassez. No primeiro, são 2 bilhões de pessoas sem água
    em 48 países. No segundo, mais pessimista, são 7 bilhões em 60 nações. Em 2050, a população mundial estimada será de
    9,3 bilhões de pessoas.

    Notícias UNESCO, 2003, p. 6-7 (com adaptações).

    Julgue os itens a seguir, relativos a aspectos da língua portuguesa e à temática do texto IX.
    De acordo com o texto, 23 agências das Nações Unidas mantêm, em colaboração, um programa para a avaliação dos recursos de água doce.
  • 9 - Questão 55573.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • PODER

    Etimologia. Sobre as formas verbais latinas potes, "pode", potui, "pude", poteìram, "pudera", poteìro, "poderei", potens, potentis, "aquele que pode" etc. (todos do verbo lat. posse, "poder, ter o poder de, ser capaz de"), forma-se o infinitivo lat. vulg. poteìre, "poder, ter o poder de, ser capaz de", que conviveu com o lat. cláss. posse até suplantá-lo por volta do séc. VIII d.C. Poteìre é a origem do port. esp. poder, do século XII-XIII, it. potere, fr. pouvoir, ambos do séc. XII, ing. power, de 1297-1325, que já se registram como substantivo nessas datas. O vocábulo al. Macht traduz o port. esp. poder e demais vernacularizações.

    Enciclopédia Mirador Internacional. São Paulo - Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica do Brasil. Publicações Ltda. 1977, p. 9.001 (com adaptações).

    Julgue os itens subseqüentes, relativos ao sentido e às estruturas morfossintática, semântica e discursiva do texto I.

    Segundo o verbete de enciclopédia acima, o vocábulo "poder" existe na língua portuguesa desde o século XII e sua forma primitiva foi o vocábulo do latim clássico "posse".
  • 10 - Questão 55570.   Português - Interpretação de Texto - Nível Médio
  • 1 Abrir conta em banco é mais simples do que encerrá-la, mas também exige alguns cuidados. Veja abaixo os procedimentos mais adequados para os correntistas.

    Para abrir uma conta

    › Leia com atenção o contrato (ou carta-proposta). Não assine nada sem antes esclarecer todas as dúvidas.
    7 › Leve uma cópia e o original da carteira de identidade, do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e de um comprovante de residência.
    10 › Peça uma cópia de todos os documentos assinados.
    < Deposite pelo menos o valor mínimo pedido pelo banco. A quantia varia de acordo com cada banco.
    13 › Comunique ao banco, por escrito, qualquer mudança de endereço ou número de telefone.

    Para encerrar uma conta

    16 › Entregue ao banco uma correspondência em que solicite o encerramento da conta (exija recibo na cópia), ou mande-a pelo correio, por meio de carta registrada.
    19 › Verifique se todos os cheques emitidos foram compensados para evitar que seu nome vá parar no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo.
    22 › Devolva ao banco os cheques que ainda estão com você. Eles serão incinerados.
    › Peça um nada-consta depois do encerramento da conta.

    Fonte: IDC/PROCON-DF e Banco Central do Brasil.

    Com base no texto acima, julgue os itens a seguir.

    Pode-se inferir que o "recibo na cópia" (l.17) e o registro da carta têm função semelhante.