Questões de Concursos FJG

Resolva Questões de Concursos FJG Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Q2292.   Português - Nível Médio - Guarda Municipal - Prefeitura de Rio de Janeiro RJ - FJG
  • Cidade

    Uma cidade é uma área urbanizada que se diferencia
    de vilas e de outras entidades urbanas através de vários
    critérios, os quais incluem população, densidade
    populacional ou estatuto legal, embora sua definição não
    seja precisa, sendo alvo de intensas discussões. As cidades
    são as áreas mais densamente povoadas do mundo. O
    termo “cidade” é geralmente utilizado para designar uma
    determinada entidade político-administrativa urbanizada.
    Muitos estudiosos, ao longo da história, viram na
    cidade não só uma das mais perfeitas invenções humanas
    como o ambiente propício à criação e ao desenvolvimento
    humano, pois uma cidade geralmente consiste no
    agrupamento de áreas de funções diversas, entre as quais
    destacam-se aquelas residenciais, comerciais e
    industriais, assim como as zonas mistas (principais
    caracterizadoras das cidades contemporâneas).
    A definição legal de cidade, do ponto de vista
    demográfico, adotada pelo país é a do Instituto Brasileiro
    de Geografia e Estatística (IBGE), órgão oficial responsável
    pelos censos demográficos. Segundo tal critério, qualquer
    comunidade urbana caracterizada como sede de município
    é considerada uma cidade, independentemente de seu
    número de habitantes, sendo a parte urbanizada de seus
    distritos incluída como prolongamento destas cidades.

    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cidade (consulta em 20/10/2008,
    com adaptação)
  • Em “cidades contemporâneas”, pode-se substituir a expressão em destaque, sem alteração de sentido, por:
  • 2 - Q13127.   Administração Financeira e Orçamentária - Nível Superior - Administrador - Câmara de Rio de Janeiro RJ - FJG - 2014
  • Em abril de 2013, verificou-se que um determinado município tinha ultrapassado o seu limite com despesa total com pessoal, sem conseguir eliminar a parcela excedente até o final do exercício financeiro. Nesse caso, conforme a legislação vigente, o município sofrerá algumas sanções. Entre essas sanções, NÃO se inclui:
  • 3 - Q10651.   Português - Nível Médio - Assistente Técnico Administrativo - Comlurb - FJG - 2008
  • TEXTO 1

                O certo é que os lixeiros são acolhidos como anjos e a sua tarefa de remover os restos da existência do dia anterior é circundada de um respeito silencioso, como um rito que inspira a devoção, ou talvez apenas porque, uma vez que as coisas são jogadas fora, ninguém mais quer pensar nelas.
                Ninguém se pergunta para onde os lixeiros levam os seus carregamentos: para fora da cidade, sem dúvida; mas todos os anos a cidade se expande e os depósitos de lixo devem recuar para mais longe; a imponência dos tributos aumenta e os impostos elevam-se, estratificam-se, estendem-se por um perímetro mais amplo. Acrescente-se que, quanto mais Leônia [a cidade] se supera na arte de fabricar novos materiais, mais substancioso torna-se o lixo, resistindo ao tempo, às intempéries, à fermentação e à combustão. É uma fortaleza de rebotalhos indestrutíveis que circunda Leônia, domina-a de todos os lados como uma cadeia de montanhas.

    Ítalo Calvino. “As cidades contínuas” IN: As cidades invisíveis. Tradução de Diogo Mainardi. Rio de Janeiro: O Globo; São Paulo: Folha de São Paulo, 2003, pp. 109 - 110.
  • todos os anos a cidade se expande e os depósitos de lixo devem recuar para mais longe...” Para explicitar a relação de causa e efeito, a conjunção e deve ser substituída por:
  • 5 - Q12058.   Português - Nível Superior - Advogado - Prefeitura de Rio de Janeiro RJ - FJG - 2014
  • É preciso ir além da Lei Seca no trânsito

         A aprovação da Lei 11.705, em junho de 2008, que modificou (e tornou mais rígido) o Código de Trânsito Brasileiro, com a adoção da chamada Lei Seca, representou um passo importante para conter a violência nas ruas e estradas do país, responsável por um flagelo que se mede, a cada ano, em milhares de mortos e feridos (e, como extensão das tragédias em si, na desgraça que atinge as famílias das vítimas de acidentes). Num primeiro momento, principalmente nas regiões que adotaram ações diretas de fiscalização, como as blitzes contra a mistura de álcool e direção, os índices sofreram quedas acentuadas, voltaram a crescer e retomaram a curva descendente nos dois últimos anos. Mas, em geral, os números de mortos, feridos e de acidentes ainda são elevados.
         Relatório da Polícia Rodoviária Federal com os índices registrados nas estradas sob sua jurisdição em 2013 mostra o tamanho da tragédia. Foram 8.375 óbitos, ou 23 pessoas por dia a perder a vida, e 103 mil feridos em quase 186 mil acidentes. A PRF estima que, somados os registros em vias urbanas e estradas estaduais, o total de mortos tenha alcançado 50 mil somente no ano passado, quase tanto quanto o número de soldados americanos que tombaram em toda a Guerra do Vietnã.
         Isso corresponde a algo entre 20 a 25 mortos por cada grupo de cem mil habitantes, bem distante da relação registrada em países nos quais a guerra do trânsito parece ter sido contida em limites aceitáveis, sete óbitos por grupo de cem mil. Mesmo que em 2013 tenha sido consignada uma queda nos índices de violência nas estradas, como captou o relatório da PRF, o Brasil ainda está longe de atingir a meta estabelecida pelas Nações Unidas para o país, de, até 2020, reduzir à metade a estatística sobre mortos/feridos/acidentes.
        A evidência de que mesmo com a Lei Seca em vigor o país não consiga reduzir drasticamente os registros do flagelo das estradas não significa que a legislação seja ineficiente. Ao contrário, não fosse o endurecimento do CTB, por certo a curva de tragédias seria ascendente - portanto, com números ainda mais apavorantes que os atuais. A questão reside, entre outras razões, no fato de, por leniência, descaso ou inapetência do poder público por ações de fiscalização mais rígida, esperar-se que os efeitos da Lei 11.705, por si só, sejam bastantes para conter grande parte dos abusos no trânsito. As estatísticas mostram que não são. A Lei Seca pode ter atingido seu limite de eficácia.
         O comportamento do brasileiro ao volante, em grande medida, ainda é de desrespeito a normas e desapreço pela vida alheia. Não por acaso, as infrações mais comuns são excesso de velocidade, ultra-passagens temerárias e outras nas quais estão implícitos riscos assumidos, álcool à parte. Uma cultura inapropriada, que, para ser revertida, implica punições sistemáticas, fiscalização permanente e ações educativas - um desafio de que não se pode desviar para reduzir a níveis aceitáveis os atuais indicadores de uma carnificina que o país precisa enfrentar e acabar.

    O Globo - Editorial - 19/01/14
  • Mesmo que em 2013 tenha sido consignada uma queda nos índices de violência nas estradas...” – 3º parágrafo. O conectivo em destaque estabelece uma relação lógica com a sequência da frase que NÃO se preserva ao reescrever esse início da seguinte forma:
  • 6 - Q9170.   Conhecimentos Gerais - Atualidades - Nível Médio - Assistente Técnico Legislativo - Câmara de Rio de Janeiro RJ - FJG - 2014
  • “É uma vertente do ambientalismo. Seus seguidores atuam na busca do uso racional dos elementos dos ambientes naturais da Terra. Embasados no conhecimento científico e tecnológico dos sistemas naturais, eles defendem uma apropriação humana cautelosa dos recursos naturais, que respeite a capacidade de reprodução e/ou reposição natural das fontes de recursos”.

    [RIBEIRO, Wagner Costa. A Ordem AmbientalInternacional. São Paulo: Contexto, 2010. p. 62]

    A vertente ambientalista a que se refere o texto é o:
  • 7 - Q9172.   Direito Constitucional - Nível Médio - Assistente Técnico Legislativo - Câmara de Rio de Janeiro RJ - FJG - 2014
  • A constituição dogmática pode ser conceituada como:
  • 8 - Q9179.   Direito Administrativo - Nível Médio - Assistente Técnico Legislativo - Câmara de Rio de Janeiro RJ - FJG - 2014
  • As sociedades de economia mista podem ser conceituadas como:
  • 9 - Q2277.   Português - Nível Médio - Guarda Municipal - Prefeitura de Rio de Janeiro RJ - FJG
  • Carta Mundial do Direito à Cidade

    As cidades são, potencialmente, territórios com
    grande riqueza e diversidade econômica, ambiental,
    política e cultural.
    A partir do I Fórum Social Mundial, representantes
    de organizações e entidades comprometidas com as
    lutas sociais por cidades mais justas, democráticas,
    humanas e sustentáveis vêm construindo uma carta
    mundial do direito à cidade que estabeleça os
    compromissos e medidas que devem ser assumidos por
    toda sociedade civil, pelos governos locais e nacionais
    e pelos organismos internacionais para que todas as
    pessoas vivam com dignidade em nossas cidades.
    Para os efeitos desta carta, se consideram
    cidadãos(ãs) todas as pessoas que habitam de forma
    permanente ou transitória as cidades. (...) Portanto,
    compreende-se o Direito à Cidade como interdependente a
    todos os direitos humanos internacionalmente
    reconhecidos, concebidos integralmente e inclui os direitos
    civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais.

    Fonte: V Fórum Social Mundial. Porto Alegre, janeiro de 2005
    (texto adaptado)
  • “...vêm construindo uma carta mundial do direito à
    cidade...”; a palavra acentuada pela mesma razão
    por que leva acento a forma verbal vêm é:
  • 10 - Q10655.   Português - Nível Médio - Assistente Técnico Administrativo - Comlurb - FJG - 2008
  • TEXTO 1

                O certo é que os lixeiros são acolhidos como anjos e a sua tarefa de remover os restos da existência do dia anterior é circundada de um respeito silencioso, como um rito que inspira a devoção, ou talvez apenas porque, uma vez que as coisas são jogadas fora, ninguém mais quer pensar nelas.
                Ninguém se pergunta para onde os lixeiros levam os seus carregamentos: para fora da cidade, sem dúvida; mas todos os anos a cidade se expande e os depósitos de lixo devem recuar para mais longe; a imponência dos tributos aumenta e os impostos elevam-se, estratificam-se, estendem-se por um perímetro mais amplo. Acrescente-se que, quanto mais Leônia [a cidade] se supera na arte de fabricar novos materiais, mais substancioso torna-se o lixo, resistindo ao tempo, às intempéries, à fermentação e à combustão. É uma fortaleza de rebotalhos indestrutíveis que circunda Leônia, domina-a de todos os lados como uma cadeia de montanhas.

    Ítalo Calvino. “As cidades contínuas” IN: As cidades invisíveis. Tradução de Diogo Mainardi. Rio de Janeiro: O Globo; São Paulo: Folha de São Paulo, 2003, pp. 109 - 110.
  • “domina-a de todos os lados”. Na última frase do texto 1, o pronome pessoal oblíquo a substitui o substantivo: