Questões de Concursos FUNDEP

Resolva Questões de Concursos FUNDEP Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 29564 - Conhecimentos Gerais - Nível Superior - Analista de Recursos Humanos - CODEMIG - FUNDEP - 2013
  • Considerando que Pedro é, desde o ano de 2004, empregado público de uma sociedade de economia mista do Estado de Minas Gerais, é INCORRETO afirmar, segundo o que dispõe a Constituição da República, que:
  • 2 - Questão 22019 - Pedagogia - Nível Superior - Pedagogo - BHTRANS - FUNDEP - 2013
  • De acordo com Lopes (1993), são características do planejamento educacional participativo e transformador, EXCETO:
  • 3 - Questão 46349 - Português - Nível Superior - Médico Veterinário - Prefeitura de Bela Vista MG - FUNDEP - 2017
  • Ter carro ainda é símbolo de status, diz especialista
    Os governos precisam conscientizar a população para que priorize o transporte público, disse hoje (7/12/16) o pesquisador da Universidade Técnica de Berlim, Marcus Jeutner, ao participar, em São Paulo, do Seminário Desafios Contemporêneos: Empresas, Mobilidade Urbana e Direitos Humanos, promovido pelo Instituto Ethos. “As pessoas querem ter um carro porque é um símbolo de status. Elas querem mostrar para os vizinhos que podem ter, financiar um carro”, afirmou.
    Especialista em mobilidade urbana, o alemão Jeutner é autor de estudo sobre o assunto, produzido na cidade de Chennai, na Índia. “Os carros são bons, eu gosto de dirigir. Mas estamos aumentando custos e causando problemas. É uma questão de educação, explicar [à população] que o uso do carro é pior”, disse. Jeutner é defensor do conceito de cidades inteligentes, que apresentam áreas dedicadas à circulação de pessoas a pé.
    Segundo o especialista, as prefeituras erram ao buscar implementar o conceito de cidades inteligentes a partir das melhores práticas de exemplo, como o de Londres. “Nós não focamos na estrutura já existente, combinamos uma ideia adaptada aos desafios locais, ao contexto local. Gosto de me basear nos piores planos e replicar o que pode ser melhorado, não repetir os mesmos erros”, acrescentou.
    Segundo a última pesquisa feita em Chennai, em 2008, 26% da população opta por ônibus, 25% utiliza motocicleta, 6% prefere carro e 5% anda de trem. A maior parcela, 28%, anda a pé, já que o custo do transporte público ainda é alto para grande parte dos indianos. “As pessoas não gostam do transporte público, se puderem pagar, preferem o transporte individual, como motocicleta”, ressaltou.
    Em comparação, na capital paulista, a circulação dos automóveis reduziu 1,3%, passando de 80,2% em 2014 para 78,9% no ano passado, segundo estudo divulgado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O percentual de motocicletas aumentou 1,2%, um salto de 15,1% em 2014 para 16,3% no ano passado.
    Intermodalidade
    No seu estudo em Chennai, o especialista concluiu que a intermodalidade “é uma dor de cabeça” para o gestor público, já que o seu mau funcionamento está entre as razões que mais afastam os usuários. “No centro de Chennai, o trem não tem conexão, [o pedestre] tem de cruzar ruas sem faixa de pedestres, andar por viaduto, não tem mapas sobre trajetos dos ônibus”, conta.
    Jeutner explicou que a infraestrutura é o esqueleto das cidades, pois a partir dela é possível direcionar o crescimento urbano. No caso do município indiano, as ferrovias que existem há mais de 100 anos determinaram os caminhos da expansão, das periferias e grande número de indústrias, localizadas nos arredores.
    Com aumento de renda da população, a quantidade de carros em circulação elevou e foram criadas novas ruas, que se tornaram, desordenadamente, cheias e caóticas. “Em Chennai, as pessoas não confiam no transporte público, elas acabam preferindo o carro e levam três horas [nos seus deslocamentos], assim como ocorre em São Paulo”, disse.
    Tanto em São Paulo, quanto em Chennai, o transporte público com intermodalidade são as melhores alternativas ao carro. “Pensem na perda de produtividade das pessoas que estão travadas no trânsito. Elas poderiam brincar com o filho, estudar, trabalhar. Isso causa impacto muito grande na economia global”, afirmou o especialista.
    EBC. Ter carro ainda é símbolo de status, diz especialista. Agência Brasil. Disponível em: . Acesso em: 7 dez. 2016 (fragmento adaptado).

    Analise as afirmativas a seguir.

    I. No trecho “É uma questão de educação, explicar [à população] que o uso do carro é pior”, os colchetes foram utilizados para sinalizar uma informação inserida pelo autor do texto.
    II. No trecho “[...] segundo estudo divulgado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).”, o autor poderia ter optado por utilizar travessão para separar a sigla.
    III. No trecho “As pessoas querem ter um carro porque é um símbolo de status. Elas querem mostrar para os vizinhos que podem ter, financiar um carro”, as aspas foram utilizadas para marcar mudança de interlocutor.

    De acordo com o texto e com a norma padrão, estão corretas as afirmativas:
  • 4 - Questão 33169 - Direito Constitucional - Nível Superior - Defensor Público - DPE MG - FUNDEP - 2014
  • Sobre mandado de segurança, com base na lei e na jurisprudência sumulada dos tribunais superiores, assinale a alternativa CORRETA.
  • 5 - Questão 33196 - Direito do Consumidor - Nível Superior - Defensor Público - DPE MG - FUNDEP - 2014
  • Analise o caso a seguir.

    João Caetano adquiriu uma passagem aérea de uma determinada companhia. A passagem seria utilizada para o trecho Recife/Belo Horizonte, com saída prevista para o dia 04/12/2013, às 14 horas e 30 minutos. A aeronave, contudo, somente decolou por volta de 23 horas, com atraso de mais de 8 horas. O motivo da viagem era a realização da segunda fase de um concurso público no dia 05/12/2013, às 9 horas da manhã, sendo que o receio de perder a prova gerou abalo psíquico e físico ao consumidor, não conseguindo dormir durante três noites seguidas após o fato, tendo permanecido durante todo esse tempo com o ânimo exaltado.

    Considerando o que dispõe a teoria da qualidade prevista no âmbito do Direito do Consumidor a respeito desse caso, assinale a alternativa CORRETA.
  • 7 - Questão 43417 - Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - COPASA - FUNDEP - 2014
  • Afiando o Machado 

    No Alasca, um esporte tradicional é cortar árvores. Há lenhadores famosos, com domínio, habilidade e energia no uso do machado. Querendo tornar-se também um grande lenhador, um jovem escutou falar do melhor de todos os lenhadores do país. Resolveu procurá-lo. 

    - Quero ser seu discípulo. Quero aprender a cortar árvore como o senhor. O jovem empenhou-se no aprendizado das lições do mestre, e depois de algum tempo achou-se melhor que ele. Mais forte, mais ágil, mais jovem, venceria facilmente o velho lenhador. Desafiou o mestre para uma competição de oito horas, para ver qual dos dois cortaria mais árvores. 

    O desafio foi aceito, e o jovem lenhador começou a cortar árvores com entusiasmo e vigor. Entre uma árvore e outra, olhava para o mestre, mas na maior parte das vezes o via sentado. O jovem voltava às suas árvores, certo da vitória, sentindo piedade pelo velho mestre. 

    Quando terminou o dia, para grande surpresa do jovem, o velho mestre havia cortado muito mais árvores do que o seu desafiante. 
    Mas como é que pode? - surpreendeu-se. Quase todas as vezes em que olhei, você estava descansando! 
    Não, meu filho, eu não estava descansando. Estava afiando o machado. Foi por isso que você perdeu. 

    Aprendizado é um processo que não tem fim. Sempre temos algo a aprender. O tempo utilizado para afiar o machado é recompensado valiosamente. O reforço no aprendizado, que dura a vida toda, é como afiar sempre o machado. 

    Continue afiando o seu. 

    Do livro: Comunicação Global - Dr. Lair Ribeiro
  • “... Mais forte, mais ágil, mais jovem, venceria facilmente o velho lenhador. Desafiou o mestre para uma competição de oito horas, para ver qual dos dois cortaria mais árvores.” 

    Considerando que, em português, todas as palavras proparoxítonas devem ser acentuadas, as palavras que obedecem, no fragmento acima, a essa regra de acentuação são em número de
  • 8 - Questão 28812 - Nutrição - Nível Superior - Nutricionista - Prefeitura de Bela Vista MG - FUNDEP - 2014
  • A técnica dietética engloba a sistematização e o estudo dos procedimentos para tornar possível a utilização de alimentos, preservando o seu valor nutritivo com a obtenção das características sensoriais desejadas.

    Nesse contexto, analise as afirmativas a seguir.

    I. As leguminosas secas devem ser submetidas à cocção sob calor seco para o aumento da digestibilidade e acentuação do sabor.
    II. O uso de clara em neve ou clara de ovo batida proporciona esponjosidade e leveza à bolos e souffés, pois a viscosidade da albumina permite a retenção de ar na massa.
    III. A carne submetida à cocção em meio úmido perde grande parte das proteínas (mioalbumina e mioglobulina).
    IV. As hortaliças verdes devem ser cozidas rapidamente para que o ácido contido nas células vegetais não venha a modificar o tom verde da clorofila.
    V. Quanto mais refinada a farinha, pior é a qualidade nutricional.

    Estão CORRETAS as afirmativas
  • 9 - Questão 28796 - Direito Tributário - Nível Superior - Fiscal de Rendas e Tributos - Prefeitura de Bela Vista MG - FUNDEP - 2014
  • Nos termos da Constituição vigente, cabe à lei complementar em matéria tributária:
  • 10 - Questão 29574 - Recursos Humanos - Gestão de Pessoas - Nível Superior - Analista de Recursos Humanos - CODEMIG - FUNDEP - 2013
  • Diversas novas abordagens sobre liderança surgiram recentemente. Entre elas, estão o papel da inteligência emocional na eficácia dos lideres e as implicações éticas na liderança e a necessidade de adequação dos estilos às diferenças culturais.

    Considerando essas informações, com relação aos estilos ou abordagens contemporâneas da liderança, é INCORRETO afirmar que