Questões de Concursos IPAD

Resolva Questões de Concursos IPAD Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 36588 - Português - Nível Médio - Soldado Bombeiro Militar - Bombeiro Militar PE - IPAD - 2006
  • Profissionais treinam em acidente simulado

        O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
        Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

    Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

    In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.
  • Um dos empregos dos pronomes em uma língua é substituir termos para evitar a sua repetição. Identifique a alternativa em que o pronome destacado substitui o termo ao seu lado.
  • 3 - Questão 36618 - História - Nível Médio - Soldado Bombeiro Militar - Bombeiro Militar PE - IPAD - 2006
  • O golpe de 1964 depôs o presidente João Goulart e instituiu um regime autoritário no Brasil. Sobre este período, analise as afirmativas abaixo

    1. O Ato Institucional nº. I suspendeu garantias constitucionais e cassou mandatos políticos.
    2. O forte sistema de controle foi auxiliado pela criação do SNI (Serviço Nacional de Informação).
    3. Entre os militares havia total convergência quanto aos rumos do novo regime.

    Está (ão) correta(s)
  • 5 - Questão 45953 - Português - Nível Médio - Assistente de Gestão em Metrologia e Qualidade Industrial - IPEM PE - IPAD - 2014
  • Preencha corretamente os espaços em aberto das frases abaixo, com os numerais grifados: QUADRUPLOS– O TRIPLO – UM TERÇO – METADE. 

    1- Helena tirou cinco na prova de Inglês que valia dez pontos. Ou seja, ela acertou _______________ da prova. 
    2- Júlia ganhou três canetas. Seu irmão, três vezes mais do que ela. Logo, ganhou ________________ canetas. 
    3- Sônia descobriu que estava esperando quatro bebes. Assustou-se, pois teria ____________! 
    4- Dividimos o bolo em três partes. Portanto, cada um ficou com ___________ do bolo.
  • 6 - Questão 36598 - Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Bombeiro Militar - Bombeiro Militar PE - IPAD - 2006
  • TEXTO 1 -  QUESTÕES 1, 2 e 3

    Três idades

    A primeira vez que te vi,
    Eu era menino e tu menina.
    Sorrias tanto... Havia em ti
    Graça de instinto, airosa e fina.
    Eras pequena, eras franzina...
    (...)
    Quando te vi segunda vez,
    Já eras moça, e com que encanto
    A adolescência em ti se fez!
    Flor e botão... Sorrias tanto...
    E o teu sorriso foi meu pranto...
    (...)
    Vejo-te agora. Oito anos faz,
    Oito anos faz que não te via...
    Quanta mudança o tempo traz
    Em sua atroz monotonia!
    Que é do teu riso de alegria?

    Foi bem cruel o teu desgosto.
    Essa tristeza é que mo diz...
    Ele marcou sobre o teu rosto
    A imperecível cicatriz:
    És triste até quando sorris...

    BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. 20ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993. pp. 62-63.


    TEXTO 2 - QUESTÕES 4, 5, 6 e 7

    Um jogo de palavras

        Nunca a língua portuguesa esteve tão representada numa Copa do Mundo quanto nesta 18ª edição, na Alemanha. As presenças de Brasil, Angola e Portugal mobilizaram boa parte dos 205 milhões de falantes desses países.
        No Brasil, a influência do futebol é sentida na linguagem. Não só porque nosso vocabulário ficou elástico com as expressões do esporte que incorporamos no dia-a-dia. Nem pela movimentação inversa, com termos que tomam outro significado devido ao uso boleiro. O futebol está no léxico, mas também em nossa retórica, no espírito que sustenta a cultura, na música, na literatura, no cinema, enfim, na abordagem que fazemos do mundo.
        A relação criativa com as palavras é um dos diferenciais do nosso futebol. A começar pela idéia de que, quando o assunto é de fato importante para o brasileiro, como é a bola, nenhum estrangeirismo nos domina ̛ nós o dominamos. (...) Parte do inventário sociológico e cultural do país, o futebol imprime várias marcas na vida brasileira. A da linguagem não é menos notável.

    Revista Língua Portuguesa Especial, Carta ao Leitor, abril 2006.
  • Em “Não só porque nosso vocabulário ficou elástico com as expressões do esporte que incorporamos no dia-a-dia (...)” (linhas 6/7), a locução conjuntiva grifada precisa de outra para construir a idéia de concomitância. Aponte a alternativa que completa esse paralelismo.
  • 7 - Questão 51992 - Medicina - Nível Superior - Médico cardiologista - Prefeitura de Caruaru PE - IPAD - 2010
  • Todas as alternativas abaixo se configuram como principais objetivos do processo de programação pactuada e integrada, exceto:
  • 8 - Questão 45955 - Português - Nível Médio - Assistente de Gestão em Metrologia e Qualidade Industrial - IPEM PE - IPAD - 2014
  • Leia o texto de Lya Luft, Pensar é Transgredir, a seguir e identifique, nas alternativas abaixo, a ideia transmitida pela autora ao empregar a expressão “ pegar o touro pelos chifres “ 

    “Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos. Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. 

    Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido. Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo. Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante:"Parar pra pensar, nem pensar!" O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar (...) Sem ter programado, a gente para pra pensar (...) Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se. Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto. Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores (...) Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar. Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo. Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos. Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem. Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada. (...)Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança. Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade. Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.” 

    Ainda com relação ao texto acima, seu título é uma síntese do texto, fundamental para sua interpretação. Baseado na análise de “Pensar é transgredir”, título e texto, assinale a alternativa correta:
  • 10 - Questão 36623 - Direito Constitucional - Direitos e Garantias Fundamentais - Nível Médio - Soldado Bombeiro Militar - Bombeiro Militar PE - IPAD - 2006
  • Assinale a alternativa incorreta sobre o direito de reunião e de associação: