Questões de Concursos FEC

Resolva Questões de Concursos FEC Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Q20471.   Direito Sanitário - Nível Superior - Temporário Superior 1 - ANS - FEC - 2010
  • Por débito (para com a Agência Nacional de Saúde Suplementar) consolidado das operadoras de planos de assistência à saúde entende-se o débito:
  • 2 - Q20454.   Administração Financeira e Orçamentária - Nível Superior - Temporário Superior 1 - ANS - FEC - 2010
  • Uma vez registrado um documento no SIAFI,não é permitida a sua alteração. A imutabilidade dos documentos permite que sejamacompanhadas todas asmodificações nos dados do sistema e, para a correção ou anulação de um documento já registrado,é necessário que seja incluído um novo documento de forma a retificar o anterior. Esta característica do SIAFI é denominada:
  • 3 - Q667.   Arquivologia - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • Arquivo é um conjunto de documentos, independente da natureza dos suportes, acumulados por uma pessoa física ou jurídica, pública ou privada, ao longo de suas atividades, bem como a instituição ou serviço que tem por finalidade a custódia, o processamento técnico, a conservação e utilização de arquivos. A totalidade dos documentos sob custódia de um arquivo é chamada de:
  • 4 - Q661.   Informática - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • Em relação ao software, a opção que contém apenas linguagens de programação, é:
  • 5 - Q20452.   Conhecimentos Gerais - Atualidades - Nível Superior - Temporário Superior 1 - ANS - FEC - 2010
  • A meta do governo brasileiro é elevar o número de domicílios com internet dos atuais 13,5 milhões para 35 milhões no ano de 2014, números estes divulgados na Folha de São Paulo de 6 de maio deste ano por Rogério Santanna, secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento.Segundo Santanna, a banda larga, por exemplo,é de extrema importância na economia globalizada, no entanto, no Brasil ela é cara,lenta e concentrada nas regiões com alta renda e densidade populacional.Promover o acesso universal à internet, especialmente à banda larga, é uma forma de:
  • 6 - Q20464.   Direito Administrativo - Nível Superior - Temporário Superior 1 - ANS - FEC - 2010
  • Abuso de poder; excesso de poder; desvio de poder:
  • 7 - Q664.   Informática - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • Em relação à formatação de células no Excel 2000, a opção que contém apenas algumas das opções oferecidas por default nas guias da janela formatar células:
  • 8 - Q20474.   Direito Civil - Nível Superior - Temporário Superior 1 - ANS - FEC - 2010
  • Segundo o Código Civil brasileiro,a liberdade de contratar será exercida em razão e nos limites da:
  • 10 - Q658.   Português - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • Clara dos Anjos
    Lima Barreto

    O carteiro Joaquim dos Anjos não era homem de serestas
    e serenatas, mas gostava de violão e de modinhas. Ele
    mesmo tocava flauta, instrumento que já foi muito estimado,
    não o sendo tanto atualmente como outrora. Acreditava-se
    até músico, pois compunha valsas, tangos e
    acompanhamentos para modinhas.
    Aprendera a “artinha” musical na terra de seu nascimento,
    nos arredores de Diamantina, e a sabia de cor e salteado; mas
    não saíra daí.
    Pouco ambicioso em música, ele o era também nas
    demais manifestações de sua vida. Empregado de um
    advogado famoso, sempre quisera obter um modesto
    emprego público que lhe desse direito à aposentadoria e ao
    montepio, para a mulher e a filha. Conseguira aquele de
    carteiro, havia quinze para vinte anos, com o qual estava
    muito contente, apesar de ser trabalhoso e o ordenado ser
    exíguo.
    Logo que foi nomeado, tratou de vender as terras que
    tinha no local de seu nascimento e adquirir aquela casita de
    subúrbio, por preço módico, mas, mesmo assim, o dinheiro
    não chegara e o resto pagou ele em prestações. Agora, e
    mesmo há vários anos, estava de plena posse dela. Era
    simples a casa. Tinha dois quartos, um que dava para a sala
    de visitas e outro, para a de jantar. Correspondendo a um
    terço da largura total da casa, havia, nos fundos, um puxadito
    que era a cozinha. Fora do corpo da casa, um barracão para
    banheiro, tanque, etc; e o quintal era de superfície razoável,
    onde cresciam goiabeiras maltratadas e um grande
    tamarindeiro copado.
    A rua desenvolvia-se no plano, e, quando chovia,
    encharcava que nem um pântano; entretanto, era povoada e
    dela se descortinava um lindo panorama de montanhas que
    pareciam cercá-la de todos os lados, embora a grande
    distância. Tinha boas casas a rua. Havia até uma grande
    chácara de outros tempos com aquela casa característica de
    velhas chácaras de longa fachada, de teto acaçapado,
    forrada de azulejos até a metade do pé-direito, um tanto feia, é
    fato, sem garridice¹, mas casando-se perfeitamente com as
    anosas² mangueiras, com as robustas jaqueiras e com todas
    aquelas grandes e velhas árvores que, talvez, os que as
    plantaram não tivessem visto frutificar.

    1- Brilho, elegância.
    2- Velhas.

    ( COUTINHO, Afrânio., 4ª ed. vol. I RJ: EDLE, 1970, págs. 248/249.) Clara dos Anjos. In Antologia Brasileira de Literatura.
  • O item que NÃO apresenta sujeito é: