Questões de Concursos Agente de Segurança Patrimonial

Resolva Questões de Concursos Agente de Segurança Patrimonial Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 1283.   Matemática - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • O salário de João é de R$ 900,00. Sabe-se que 2/5 de seu salário são gastos para pagar as contas, 1/10 é gasto com diversão e 1/3 com alimentação e vestuário. Tirando esses gastos, o valor que sobra de seu salário é:
  • 2 - Questão 1322.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Durante o transcorrer do plantão, o agente de segurança foi ler o livro de ocorrências. Na parte destinada a anotações das alterações de serviço, deparou-se com a única mensagem anotada pelo seu antecessor: “No 14º andar, a porta da sala 1409 estava aberta e, ao entrar na referida sala, percebi que alguém esteve ali poucos minutos antes, porém não tinha mais ninguém.” Por si só, esse fato demonstra alguns aspectos importantes que não foram observados pelo sistema de segurança. A partir dessa descrição, os ERROS cometidos foram:
  • 3 - Questão 1312.   Português - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • SECRETÁRIA – Luís Fernando Veríssimo

    O teste definitivo para você saber se você está ou não
    integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica. O que
    você faz quando liga para alguém e quem atende é uma
    máquina.
    Tem gente que nem pensa nisso. Falam com a secretária
    eletrônica com a maior naturalidade, qual é o problema? É
    apenas um gravador estranho com uma função a mais. Mas aí
    é que está. Não é uma máquina como qualquer outra. É uma
    máquina de atender telefone. O telefone (que eu não sei como
    funciona, ainda estou tentando entender o estilingue)
    pressupõe um contato com alguém e não com alguma coisa. A
    secretária eletrônica abre um buraco nesta expectativa
    estabelecida. É desconcertante. Atendem – e é alguém dizendo
    que não está lá! Seguem instruções para esperar o bip e gravar
    a mensagem.
    É aí que começa o teste. Como falar com ninguém no
    telefone? Um telefonema é como aqueles livros que a gente
    gosta de ler, que só tem diálogos. É travessão você fala,
    travessão fala o outro. E de repente você está falando sozinho.
    Não é nem monólogo. É diálogo só de um.
    - Ahn, sim, bom, mmm... olha, eu telefono depois. Tchau.
    O “tchau” é para a máquina. Porque temos este absurdo
    medo de magoá-la. Medo de que a máquina nos telefone de
    volta e nos xingue, ou pelo menos nos bipe com reprovação.
    Sei de gente que muda a voz para falar com secretária
    eletrônica. Fica formal, cuida a construção da frase. Às vezes
    precisa resistir à tentação de ligar de novo para regravar a
    mensagem porque errou a colocação do pronome.
    Outros não resistem. Ao saber que estão sendo gravados,
    limpam a garganta, esperam o bip e anunciam:
    - De Augustín Lara...
    E gravam um bolero.
    Talvez seja a única atitude sensata.
  • “Medo de que a máquina nos telefone de volta e nos xingue...”; a forma verbal abaixo que, por não apresentar uma forma correta de presente de subjuntivo, NÃO poderia substituir as formas "telefone" ou "xingue":
  • 5 - Questão 1275.   Informática - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Para as questões, considerar as
    configurações padrões e/ou típicas de instalação dos softwares
    citados na sua versão em português.
  • Uma mensagem de correio eletrônico com um arquivo anexo é enviada simultaneamente a vários destinatários utilizando também cópias (CC) e cópias ocultas (CCO). Nesse cenário, é correto afirmar que:
  • 6 - Questão 1282.   Matemática - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Para organizar os processos da firma em que trabalha, Paulo vai comprar alguns arquivos com quatro gavetas cada. Estimando que em cada gaveta caibam 35 processos e que Paulo tenha 1890 processos para guardar, o número mínimo de arquivos que necessita encomendar é:
  • 7 - Questão 1316.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Considere a ocorrência de um incêndio no oitavo andar de um prédio de 50 andares, em que se localiza determinada empresa, na sala em que funcionam os terminais de computadores que controlam o departamento de pessoal e o estoque. Devem ser tomadas as seguintes ações:
  • 8 - Questão 1277.   Informática - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Para as questões, considerar as
    configurações padrões e/ou típicas de instalação dos softwares
    citados na sua versão em português.
  • Um usuário deseja digitar no MS-Word 2000 uma lista de itens, cada um deles começando por um asterisco, mas cada vez que ele pressiona a tecla Enter para passar para a linha seguinte, o asterisco se transforma em um marcador. Para resolver esse problema, o usuário deve percorrer a seguinte seqüência de comandos:
  • 10 - Questão 1295.   Português - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • SECRETÁRIA – Luís Fernando Veríssimo

    O teste definitivo para você saber se você está ou não
    integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica. O que
    você faz quando liga para alguém e quem atende é uma
    máquina.
    Tem gente que nem pensa nisso. Falam com a secretária
    eletrônica com a maior naturalidade, qual é o problema? É
    apenas um gravador estranho com uma função a mais. Mas aí
    é que está. Não é uma máquina como qualquer outra. É uma
    máquina de atender telefone. O telefone (que eu não sei como
    funciona, ainda estou tentando entender o estilingue)
    pressupõe um contato com alguém e não com alguma coisa. A
    secretária eletrônica abre um buraco nesta expectativa
    estabelecida. É desconcertante. Atendem – e é alguém dizendo
    que não está lá! Seguem instruções para esperar o bip e gravar
    a mensagem.
    É aí que começa o teste. Como falar com ninguém no
    telefone? Um telefonema é como aqueles livros que a gente
    gosta de ler, que só tem diálogos. É travessão você fala,
    travessão fala o outro. E de repente você está falando sozinho.
    Não é nem monólogo. É diálogo só de um.
    - Ahn, sim, bom, mmm... olha, eu telefono depois. Tchau.
    O “tchau” é para a máquina. Porque temos este absurdo
    medo de magoá-la. Medo de que a máquina nos telefone de
    volta e nos xingue, ou pelo menos nos bipe com reprovação.
    Sei de gente que muda a voz para falar com secretária
    eletrônica. Fica formal, cuida a construção da frase. Às vezes
    precisa resistir à tentação de ligar de novo para regravar a
    mensagem porque errou a colocação do pronome.
    Outros não resistem. Ao saber que estão sendo gravados,
    limpam a garganta, esperam o bip e anunciam:
    - De Augustín Lara...
    E gravam um bolero.
    Talvez seja a única atitude sensata.
  • “O teste definitivo para você saber se você está ou não integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica”; a forma de reescrever-se esse segmento do texto que ALTERA o seu sentido original é: