Questões de Concursos Assistente de Alunos

Resolva Questões de Concursos Assistente de Alunos Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 12601.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - UFRN - 2015
  • De acordo com a LDB/96,
  • 2 - Questão 34797.   Direito Administrativo - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFPI - FUNRIO - 2014
  • Acerca de provimento e investidura em cargo público, seguem-se três afirmações:

    I. A nacionalidade brasileira, a idade mínima de 21 anos e aptidão física e mental são requisitos básicos para investidura em cargo público;
    II. Somente brasileiros natos podem ocupar cargos públicos;
    III. A investidura em cargo público ocorrerá com a posse.

    Está correto apenas o que se afirma em
  • 3 - Questão 34821.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFPI - FUNRIO - 2014
  • Segundo Chiavenato (2013), uma organização pode ser pequena e simples ou grande e extremamente complexa. Porém, deve abrigar dois tipos de elementos comuns a todas as organizações: o elemento básico e os elementos de trabalho. Isso leva a concluir que os elementos na organização do trabalho são:

    I. O elemento básico: interações individuais; interações entre indivíduos e organização; interações entre a organização e outras organizações; interações entre a organização e seu ambiente total.
    II. O elemento de trabalho: habilidade de fazer; habilidade de influenciar; habilidade de utilizar conceitos.
    III. O elemento básico: relação entre as pessoas; conhecimento da estrutura organizacional; racionalidade e eficácia.
    IV. O elemento de trabalho: desempenha várias tarefas; apresenta domínio dos objetivos da organização; utiliza as ferramentas adequadas no gerenciamento.
    V. O elemento básico: são as pessoas, cujas interações compõem a organização. E o elemento de trabalho favorece à organização de três espécies de habilidades que são usadas para nortear o fazer, o influenciar e abstrair ideias como ferramenta de trabalho.

    Está correto apenas o que se afirma em
  • 4 - Questão 45542.   Português - Nível Médio - Assistente de Alunos - INES - AOCP - 2013
  •                                             Monteiro Lobato?
                                         Não com o nosso dinheiro

                                                                                                            Leando Narloch

        1.§    O movimento negro me odeia. Desde que mostrei, com o livro Guia do Politicamente Incorreto da História do Brasil, que Zumbi mantinha escravos no Quilombo de Palmares, os ativistas das cotas não estão contentes comigo. Do lado de cá, eu também me irrito com boa parte do que eles defendem. Mas, existe um ponto em que eu preciso concordar com eles: a polêmica dos livros do Monteiro Lobato.
        2.§    Se você acaba de despertar de um coma, o que aconteceu foi que, em 2010, o Conselho Nacional de Educação decidiu impedir a distribuição do livro Caçadas de Pedrinho em bibliotecas públicas. Disseram que esse clássico da literatura infantil era racista por causa de frases como “Tia Anastácia trepou que nem uma macaca de carvão” ou “Não vai escapar ninguém, nem Tia Anastácia, que tem carne preta”. Muita gente esperneou contra a decisão, afirmando que se tratava de um exagero, uma patrulha ideológica e um ato de censura contra um dos maiores autores brasileiros.
        3.§    É verdade que é preciso entender a época de Monteiro Lobato, quando o racismo era regra não só entre brancos, mas mesmo entre africanos. Até Gandhi, o líder mundial do bom-mocismo, escreveu e repetiu frases igualmente racistas nos 20 e poucos anos que viveu na África do Sul.
        4.§    A questão, porém, é outra: o governo deve investir em obras que parecem preconceituosas a parte da população? O Conselho Nacional de Educação não defendeu a proibição dos livros de Monteiro Lobato: foi contra apenas a distribuição bancada pelo governo. Pois bem: o Ministério da Educação deve gastar seu disputado dinheiro com esses livros? Eu acredito que não.
        5.§    Os negros que pagam impostos e os outros contribuintes que consideram Monteiro Lobato racista não devem ser obrigados a bancar edições do escritor. É mais ou menos essa a posição do economista Walter Williams, um dos principais intelectuais libertários dos EUA. Defensor da ideia de que o Estado deve se meter o mínimo possível na vida, nas escolhas e no bolso das pessoas, esse economista negro prega a liberdade de se fazer o que quiser desde que isso não implique violência a terceiros. Se um grupo quiser, por exemplo, criar um clube de tênis só para brancos, ou só para negros, tudo bem – desde que não use verba pública e não tente proibir manifestações de repúdio. Se tiver verba pública, não pode discriminar.
        6.§    Para libertários como Williams, ninguém, nem o governo, tem o direito de ameaçar ou praticar violência contra indivíduos pacíficos. Não é correto ameaçar um indivíduo de prisão por sonegação fiscal se ele não topar contribuir com essa ou aquela prática do governo. Um grupo de políticos que defende uma guerra com o Iraque não deve obrigar os cidadãos a contribuir para essa guerra. Do mesmo modo, se uma turma acredita ter uma boa ideia ao criar uma universidade, um estádio de futebol ou um festival de curtas-metragens, essa ideia deixa de ser boa quando implica a ameaça contra aqueles que não querem contribuir.
        7.§    Nada impede, é claro, que os autores dessas ideias tentem convencer as pessoas de que seus projetos merecem contribuições. É o que fazem há séculos as melhores universidades americanas, as instituições de caridade, alguns tipos de fundos de investimento e, há poucos anos, os sites de crowdfunding, o “financiamento coletivo”. Nada impede, também, que os admiradores de Monteiro Lobato se organizem, reúnam doações e publiquem quantas edições quiserem das ótimas histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo.
     
                           Revista Superinteressante, edição 312, de dezembro de 2012.
  • Assinale o fragmento em que NÃO há opinião do autor.
  • 5 - Questão 35456.   Português - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFRJ - BIO-RIO - 2015
  • ENTREVISTA

    PERGUNTA – O que nos dá o direito de submeter outros seres vivos indefesos ao sofrimento em pesquisas médicas?
    RESPOSTA – O fato de que existe um meio termo entre abusar dos animais e acreditar que eles não devem ser usados em pesquisas de maneira nenhuma. E não é preciso ser médico, ou estar envolvido nas pesquisas, para pensar assim. O caso do Dalai Lama, um líder espiritual que não come carne, é interessante nesse aspecto. Ele afirma que devemos tratar os animais com respeito e que não devemos explorá-los. Especificamente em resposta à experimentação animal, ele já disse que as perdas são de curto prazo, mas os benefícios de longo prazo são muitos. Se surgir a necessidade de sacrificar um animal, afirma o Dalai Lama, devemos fazê-lo com empatia, causando o mínimo de dor possível. Menciono o Dalai Lama como um exemplo de que é possível desenvolver um raciocínio ético a respeito deste assunto, compatível inclusive com outras formas de respeito à vida animal, como o vegetarianismo.

    PERGUNTA – Há quem diga que o único motivo por que os cientistas se preocupam com o bem-estar dos animais é porque o estresse e o sofrimento alteram o resultado das pesquisas. É assim que os cientistas agem?
    ENTREVISTADO – Penso que os cientistas são pessoas extremamente morais. Em nosso laboratório, por exemplo, os cientistas tratam os animais como indivíduos muito especiais. Passamos muito tempo cuidando deles, pois vivemos da pesquisa de animais. Nós nos certificamos de que eles estão confortáveis e suas necessidades, supridas. As instalações nas quais a maioria dos animais de pesquisas são acomodados são muito superiores às dos animais de estimação.

    A entrevista acima é realizada com Michael Conn, que defende a ideia do uso de cobaias nos laboratórios como essencial ao progresso da medicina.
  • A finalidade de o entrevistado citar o posicionamento do Dalai Lama é:
  • 6 - Questão 34807.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFPI - FUNRIO - 2014
  • A LDB- Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei 9394/96, em um dos seus artigos menciona que: “Os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e dos educandos”. Conforme o enunciado, avalie as afirmativas abaixo:

    I. Os currículos do fundamental e médio devem ter a base nacional, porém uma parte diversificada para atender as peculiaridades regionais.
    II. Os currículos a que se refere a LDB devem abranger, obrigatoriamente, o estudo da língua portuguesa e da matemática, o conhecimento do mundo físico e natural e da realidade social e política, especialmente do Brasil.
    III. O ensino da arte constituirá componente curricular opcional, nos diversos níveis da educação, podendo ser oferecido nas mais diversas linguagens, objetivando o desenvolvimento cultural dos alunos.
    IV. A educação física, integrada à proposta pedagógica da escola, é componente curricular obrigatório da Educação Básica.
    V. As disciplinas de História e Geografia são de caráter obrigatório, porém deverão ser adequadas a cada região ou comunidade em que vivem os alunos.

    Está correto apenas o que se afirma em:
  • 7 - Questão 23509.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - CEFET RJ - CESGRANRIO - 2014
  • Na escola, o convívio cotidiano entre os adolescentes pode provocar situações de indisciplina que necessitam de uma intervenção para possível resolução.
    Para tal, além da necessidade de se ter uma postura ética, condizente com o trabalho do educador e subjacente aos processos de intervenção, deve-se, também,
  • 8 - Questão 34811.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFPI - FUNRIO - 2014
  • Gadotti (1997) menciona em seu livro que: "O pensamento pedagógico positivista consolidou a concepção burguesa de educação. [...] Para os pensadores positivistas, a liberação social e política passava pelo desenvolvimento da ciência e da tecnologia, sob o controle das elites. São representantes do pensamento positivista:
  • 9 - Questão 35051.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFAP - FUNIVERSA - 2016
  • Também conhecidos como “recursos” ou “tecnologias educacionais”, os materiais e equipamentos didáticos são todo e qualquer recurso utilizado em um procedimento de ensino, visando à estimulação do aluno e à sua aproximação do conteúdo. No que se refere à conservação dos materiais didáticos, assinale a alternativa correta.
  • 10 - Questão 35045.   Pedagogia - Nível Médio - Assistente de Alunos - IFAP - FUNIVERSA - 2016
  • No que se refere à educação básica, assinale a alternativa correta de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBN).