Questões de Concursos Engenheiro Ambiental

Resolva Questões de Concursos Engenheiro Ambiental Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 29408 - Engenharia Ambiental - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CODEBA - FGV - 2016
  • Posteriormente à Resolução CONAMA nº 237/97 foram editadas Resoluções CONAMA como forma de acelerar o processo por meio de um Licenciamento Ambiental Simplificado (LAS). Dentro dessa linha de pensamento foram editadas as Resoluções CONAMA 279/01, 312/02, 349/04, 377/06, 385/06, 412/09 e 413/09.

    As opções a seguir apresentam exemplos de atividades para as quais está previsto um Licenciamento Ambiental Simplificado, à exceção de uma. Assinale-a.
  • 2 - Questão 29410 - Engenharia Ambiental - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CODEBA - FGV - 2016
  • A Lei Federal nº 12.305/10, regulamentada pelo decreto Federal nº 7.404/10, estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

    Segundo esse instrumento legal, assinale a opção que indica a ordem de prioridade que deve ser observada na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos.
  • 3 - Questão 23756 - Meio Ambiente - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • Relacione os componentes principais do processo de tratamento de esgoto urbano/doméstico por lodo ativado e os processos envolvidos:

    1. Decantador primário assistido;
    2. Reator biológico;
    3. Digestor anaeróbico;
    4. Gradeamento grosso;
    w - Processo aeróbico a céu aberto;
    x - Separação de sólidos grosseiros;
    y - Sedimentação e precipitação química;
    z - Digestão microbiológica de lodo com formação de metano.

    A associação correta é
  • 5 - Questão 23762 - Meio Ambiente - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • A qualidade da água para consumo humano, de acordo com a Portaria n.º 518/04 do Ministério da Saúde, deve atender, entre outros, aos seguintes parâmetros analíticos:

    I. cloro;
    II. turbidez, cor e pH.
    III. coliformes e flúor.

    Está correto o contido em
  • 6 - Questão 23752 - Português - Interpretação de Textos - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • Que coreanos comam cachorros é um fato antropológico que não deveria causar maior surpresa nem revolta. Franceses deliciam-se com cavalos e rãs, chineses devoram tudo o que se mexe - aí inclusos escorpiões e gafanhotos - e boa parte das coisas que não se mexem também. Os papuas da Nova Guiné, até algumas décadas atrás, fartavam-se no consumo ritual dos miolos de familiares mortos. Só pararam porque o hábito estava lhes passando o kuru, uma doença neurológica grave. Nosso consolidadíssimo costume de comer vacas configura, aos olhos dos hinduístas, nada menos do que deicídio. A não ser que estejamos prontos a definir e impor um universal alimentar, é preciso tolerar as práticas culinárias alheias, por mais exóticas ou repugnantes que nos pareçam.

    (Hélio Schwartsman, Folha de S.Paulo, 14.11.2009)
  • No texto, Schwartsman critica
  • 7 - Questão 23751 - Português - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • O que distingue os milhares de anos de história do que consideramos os tempos modernos? A resposta transcende em muito o progresso da ciência, da tecnologia, do capitalismo e da democracia.
    O passado remoto foi repleto de cientistas brilhantes, de matemáticos, de inventores, de tecnólogos e de filósofos políticos.
    Centenas de anos antes do nascimento de Cristo, os céus haviam sido mapeados, a grande biblioteca de Alexandria fora construída e a geometria de Euclides era ensinada. A demanda por inovações tecnológicas para fins bélicos era tão insaciável quanto atualmente.
    Carvão, óleo, ferro e cobre estiveram a serviço dos seres humanos por milênios, e as viagens e comunicações marcaram os primórdios da civilização conhecida.
    A ideia revolucionária que define a fronteira entre os tempos modernos e o passado é o domínio do risco: a noção de que o futuro é mais do que um capricho dos deuses e de que homens e mulheres não são passivos ante a natureza. Até os seres humanos descobrirem como transpor essa fronteira, o futuro era um espelho do passado ou o domínio obscuro de oráculos e adivinhos que detinham o monopólio sobre o conhecimento dos eventos previstos.

    (Peter L. Bernstein, Desafio aos Deuses)
  • Assinale a alternativa que apresenta a voz passiva da frase: viagens e comunicações marcaram os primórdios da civilização...
  • 8 - Questão 29411 - Engenharia Ambiental - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CODEBA - FGV - 2016
  • A Lei nº 10.431/06 e suas alterações estabelece o Sistema Estadual do Meio Ambiente da Bahia (SISEMA).

    Segundo esse instrumento legal, assinale a opção que indica o órgão superior, de natureza consultiva, normativa, deliberativa e recursal do SISEMA.
  • 9 - Questão 23753 - Português - Interpretação de Textos - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • Que coreanos comam cachorros é um fato antropológico que não deveria causar maior surpresa nem revolta. Franceses deliciam-se com cavalos e rãs, chineses devoram tudo o que se mexe - aí inclusos escorpiões e gafanhotos - e boa parte das coisas que não se mexem também. Os papuas da Nova Guiné, até algumas décadas atrás, fartavam-se no consumo ritual dos miolos de familiares mortos. Só pararam porque o hábito estava lhes passando o kuru, uma doença neurológica grave. Nosso consolidadíssimo costume de comer vacas configura, aos olhos dos hinduístas, nada menos do que deicídio. A não ser que estejamos prontos a definir e impor um universal alimentar, é preciso tolerar as práticas culinárias alheias, por mais exóticas ou repugnantes que nos pareçam.

    (Hélio Schwartsman, Folha de S.Paulo, 14.11.2009)
  • Deicídio significa um ato de
  • 10 - Questão 23747 - Português - Nível Superior - Engenheiro Ambiental - CETESB - VUNESP - 2009
  • O que distingue os milhares de anos de história do que consideramos os tempos modernos? A resposta transcende em muito o progresso da ciência, da tecnologia, do capitalismo e da democracia.
    O passado remoto foi repleto de cientistas brilhantes, de matemáticos, de inventores, de tecnólogos e de filósofos políticos.
    Centenas de anos antes do nascimento de Cristo, os céus haviam sido mapeados, a grande biblioteca de Alexandria fora construída e a geometria de Euclides era ensinada. A demanda por inovações tecnológicas para fins bélicos era tão insaciável quanto atualmente.
    Carvão, óleo, ferro e cobre estiveram a serviço dos seres humanos por milênios, e as viagens e comunicações marcaram os primórdios da civilização conhecida.
    A ideia revolucionária que define a fronteira entre os tempos modernos e o passado é o domínio do risco: a noção de que o futuro é mais do que um capricho dos deuses e de que homens e mulheres não são passivos ante a natureza. Até os seres humanos descobrirem como transpor essa fronteira, o futuro era um espelho do passado ou o domínio obscuro de oráculos e adivinhos que detinham o monopólio sobre o conhecimento dos eventos previstos.

    (Peter L. Bernstein, Desafio aos Deuses)
  • De acordo com o texto,