Questões de Concursos Servente

Resolva Questões de Concursos Servente Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 2 - Questão 27816.   Português - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Mentem como respiram

        Conheço inúmeras pessoas que mentem. Para falar a verdade, mente-se por qualquer motivo: as pessoas ficam com vergonha quando estão doentes e dizem que estão ótimas; comentam que a amiga está bem vestida, quando acham um horror; elogiam alguém que emagreceu, para comentar nas costas que continua gordíssima. Eu mesmo minto: digo que vou viajar ou reclamo que não me sinto bem e fujo de um compromisso; finjo para mim mesmo que, no próximo mês, começo um regime e perderei a barriga.
        Ultimamente, tento parar com isso. Se me convidam, digo que não posso. Se vou a uma peça de teatro e não gosto, digo que não gostei. Sempre dá errado, a pessoa preferia uma mentira. A franqueza, descobri, é muito malvista. Até considerada falta de educação.
        Quantas mães e avós são assassinadas por empregados que querem faltar ao trabalho? Outros dizem que estão doentes. E por aí vai. A psicologia forjou um termo para designar aquele que faz da mentira um hábito: síndrome de Münchausen. Os mentirosos inventaram outro: “mentira branca", aquela que não prejudica ninguém. Para mim, não existe a tal “mentira branca". Tem gente que mente como respira. Mentira é mentira, e a tal “mentira branca" é só uma mentira a mais.

    (Walcyr Carrasco. http://epoca.globo.com. Adaptado)
  • No trecho do último parágrafo – A psicologia forjou um termo para designar aquele que faz da mentira um hábito… – o termo destacado pode ser corretamente substituído, sem alteração de sentido, por
  • 3 - Questão 27821.   Raciocínio Lógico - Raciocínio Matemático - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Uma pessoa foi, em um mesmo dia, a três bancos diferentes: A, B e C. No banco A, esperou 45 minutos na fila até ser atendida; no banco B, esperou na fila por 1 hora e 5 minutos; e, no banco C, ficou 18 minutos na fila até ser atendida.

    O tempo total que essa pessoa ficou esperando nas filas dos três bancos juntos foi de
  • 4 - Questão 27818.   Português - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Mentem como respiram

        Conheço inúmeras pessoas que mentem. Para falar a verdade, mente-se por qualquer motivo: as pessoas ficam com vergonha quando estão doentes e dizem que estão ótimas; comentam que a amiga está bem vestida, quando acham um horror; elogiam alguém que emagreceu, para comentar nas costas que continua gordíssima. Eu mesmo minto: digo que vou viajar ou reclamo que não me sinto bem e fujo de um compromisso; finjo para mim mesmo que, no próximo mês, começo um regime e perderei a barriga.
        Ultimamente, tento parar com isso. Se me convidam, digo que não posso. Se vou a uma peça de teatro e não gosto, digo que não gostei. Sempre dá errado, a pessoa preferia uma mentira. A franqueza, descobri, é muito malvista. Até considerada falta de educação.
        Quantas mães e avós são assassinadas por empregados que querem faltar ao trabalho? Outros dizem que estão doentes. E por aí vai. A psicologia forjou um termo para designar aquele que faz da mentira um hábito: síndrome de Münchausen. Os mentirosos inventaram outro: “mentira branca", aquela que não prejudica ninguém. Para mim, não existe a tal “mentira branca". Tem gente que mente como respira. Mentira é mentira, e a tal “mentira branca" é só uma mentira a mais.

    (Walcyr Carrasco. http://epoca.globo.com. Adaptado)
  • Nos trechos – … comentam que a amiga está bem vestida… – e – Sempre dá errado… – os termos destacados indicam, correta e respectivamente,
  • 5 - Questão 27819.   Raciocínio Lógico - Raciocínio Matemático - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Em um jogo de futebol, o 1º gol da partida foi marcado aos 5 minutos do 1º tempo e o 2º gol foi marcado faltando exatamente 7 minutos para o término do 2º tempo.

    Sabendo que cada tempo durou exatamente 45 minutos e que o intervalo durou exatamente 15 minutos, então, entre o 1º e o 2º gol, passou-se um tempo total de
  • 6 - Questão 27814.   Português - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Mentem como respiram

        Conheço inúmeras pessoas que mentem. Para falar a verdade, mente-se por qualquer motivo: as pessoas ficam com vergonha quando estão doentes e dizem que estão ótimas; comentam que a amiga está bem vestida, quando acham um horror; elogiam alguém que emagreceu, para comentar nas costas que continua gordíssima. Eu mesmo minto: digo que vou viajar ou reclamo que não me sinto bem e fujo de um compromisso; finjo para mim mesmo que, no próximo mês, começo um regime e perderei a barriga.
        Ultimamente, tento parar com isso. Se me convidam, digo que não posso. Se vou a uma peça de teatro e não gosto, digo que não gostei. Sempre dá errado, a pessoa preferia uma mentira. A franqueza, descobri, é muito malvista. Até considerada falta de educação.
        Quantas mães e avós são assassinadas por empregados que querem faltar ao trabalho? Outros dizem que estão doentes. E por aí vai. A psicologia forjou um termo para designar aquele que faz da mentira um hábito: síndrome de Münchausen. Os mentirosos inventaram outro: “mentira branca", aquela que não prejudica ninguém. Para mim, não existe a tal “mentira branca". Tem gente que mente como respira. Mentira é mentira, e a tal “mentira branca" é só uma mentira a mais.

    (Walcyr Carrasco. http://epoca.globo.com. Adaptado)
  • De acordo com o texto, as pessoas mentem
  • 7 - Questão 27812.   Conhecimentos Específicos - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Paz interior

         Conta a lenda que um velho sábio, tido como um mestre da paciência, era capaz de derrotar qualquer adversário. Ninguém lhe roubava a paz. Certa tarde, um homem conhecido por sua total falta de sentimentos apareceu com a intenção de desafiar o mestre da paciência. O homem começou a insultá-lo, chegou a jogar algumas pedras em sua direção e cuspiu no seu rosto. Durante horas, fez de tudo para provocá-lo, mas o velho sábio permaneceu impassível.
         No final da tarde, já exausto e humilhado, o homem se deu por vencido e foi embora. Impressionados, os discípulos que haviam assistido a tudo queriam saber como o mestre pudera suportar tanta indignidade. O mestre perguntou: “Se alguém vem até você com um presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?". “A quem tentou entregá-lo", respondeu um dos discípulos. “Exatamente. O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando eles não são aceitos, continuam pertencendo a quem os trazia consigo. Sua paz interior depende exclusivamente de você".
         As pessoas não podem lhe tirar a calma, a não ser se você permitir. Não permita que tirem sua paz interior. Não dê ouvidos a fofocas, não se preocupe com o que os outros pensam ou falam de você, isso não muda nada, a Terra continua girando. Muitas vezes nossa calma e nossa paz interior incomodam as pessoas, que tentam nos tirar do sério. Não caia nessa tentação, não aceite esse “presente".
         Quando isso acontecer, respire fundo, olhe nos olhos dessas pessoas e mantenha-se em silêncio por alguns segundos. Dessa forma, você desarma qualquer um e ninguém roubará sua paz interior.
         Quem tem paz interior tem melhor qualidade de vida, atrai mais amigos, é uma pessoa muito mais feliz e, por onde passar, espalhará paz para todos que retornará para si mesmo. A saúde agradece.

    (Luis Carlos Fernandes. http://www.tribunaregiao.com.br. Adaptado)
  • De acordo com o último parágrafo do texto, quem espalhar a paz
  • 8 - Questão 27811.   Conhecimentos Específicos - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Servente - Câmara de Jaboticabal SP - VUNESP - 2015
  • Paz interior

         Conta a lenda que um velho sábio, tido como um mestre da paciência, era capaz de derrotar qualquer adversário. Ninguém lhe roubava a paz. Certa tarde, um homem conhecido por sua total falta de sentimentos apareceu com a intenção de desafiar o mestre da paciência. O homem começou a insultá-lo, chegou a jogar algumas pedras em sua direção e cuspiu no seu rosto. Durante horas, fez de tudo para provocá-lo, mas o velho sábio permaneceu impassível.
         No final da tarde, já exausto e humilhado, o homem se deu por vencido e foi embora. Impressionados, os discípulos que haviam assistido a tudo queriam saber como o mestre pudera suportar tanta indignidade. O mestre perguntou: “Se alguém vem até você com um presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?". “A quem tentou entregá-lo", respondeu um dos discípulos. “Exatamente. O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando eles não são aceitos, continuam pertencendo a quem os trazia consigo. Sua paz interior depende exclusivamente de você".
         As pessoas não podem lhe tirar a calma, a não ser se você permitir. Não permita que tirem sua paz interior. Não dê ouvidos a fofocas, não se preocupe com o que os outros pensam ou falam de você, isso não muda nada, a Terra continua girando. Muitas vezes nossa calma e nossa paz interior incomodam as pessoas, que tentam nos tirar do sério. Não caia nessa tentação, não aceite esse “presente".
         Quando isso acontecer, respire fundo, olhe nos olhos dessas pessoas e mantenha-se em silêncio por alguns segundos. Dessa forma, você desarma qualquer um e ninguém roubará sua paz interior.
         Quem tem paz interior tem melhor qualidade de vida, atrai mais amigos, é uma pessoa muito mais feliz e, por onde passar, espalhará paz para todos que retornará para si mesmo. A saúde agradece.

    (Luis Carlos Fernandes. http://www.tribunaregiao.com.br. Adaptado)
  • Com base nas informações do texto, não se deve dar atenção às fofocas, pois elas