Questões de Concursos Técnico Judiciário Edificações

Resolva Questões de Concursos Técnico Judiciário Edificações Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 44504.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • A prefeitura de São Paulo pretende iniciar a implantação de um ginásio esportivo com dimensões de 60 m e 90 m. As dimensões na representação gráfica, em cm, para uma planta baixa na escala de 1:200 são iguais, respectivamente, a 
  • 3 - Questão 44536.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Em relação ao projeto de instalações prediais de água quente, considere:

    I. Dependendo do tipo de material especificado e das peculiaridades da instalação, o projetista deve considerar a necessidade de seu isolamento térmico e acústico.
    II. Deve ser levado em consideração no projeto o efeito de dilatação e contração térmica da tubulação e devem ser cumpridas as especificações de instalação para cada tipo de material.
    III. As tubulações não devem ser solidárias aos elementos estruturais, devendo ser alojadas em passagens projetadas para este fim.
    IV. A velocidade da água nas tubulações deve ser superior a 3 m/s.

    Está correto o que consta APENAS em 
  • 4 - Questão 44558.   Direito Penal - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • A respeito do crime de furto, considere:

    I. Peter cavou um túnel e, com grande esforço, conseguiu entrar no interior de uma loja, dali subtraindo produtos eletrônicos.
    II. Paulus, com o auxílio de uma corda, entrou pela janela em uma residência, de onde subtraiu objetos.
    III. Plinius escalou uma árvore, galgou o telhado de um supermercado e removeu várias telhas, entrando no local, de onde subtraiu diversos objetos.

    Ficou caracterizada a qualificadora da escalada 
  • 5 - Questão 44519.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Os serviços de terraplenagem são executados em cinco operações básicas: escavação, carregamento, transporte, espalhamento e compactação. Esta última operação consiste em adensar o solo espalhado e a liberação para medição é dada quando a camada atingir o Grau de Compactação − GC exigido. Entre os ensaios indicados a seguir, NÃO é utilizado para controle da compactação em campo:
  • 6 - Questão 44527.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • No planejamento da construção de uma nova edificação, devem ser previstos serviços iniciais, como levantamento topográfico e serviços geotécnicos, para subsídio do projeto executivo. Os serviços geotécnicos correspondem à execução de sondagens e análise dos resultados, para escolha do tipo de fundação a ser adotada. Para uma edificação cuja área de projeção é igual a 1.400 m2, o número de furos de sondagens a ser executado conforme a norma brasileira é
  • 7 - Questão 44534.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • A dosagem do concreto é realizada tal que a proporção dos materiais constituintes permita a obtenção de concretos com a resistência especificada pelo projetista. Em um traço 1:3:4:0,5, os números 1, 3 e 4 significam, respectivamente, frações de
  • 8 - Questão 44528.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Um edifício institucional será executado com fundações do tipo estacas, com o objetivo de atingir a resistência do solo em camadas mais profundas. Foi adotada no projeto a estaca tipo Strauss, a qual é
  • 9 - Questão 44548.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Para responder a questão considere o texto abaixo. 

    Cidades inteligentes, até demais 

    O conceito de “cidade inteligente” se popularizou como estratégia de solução e gerenciamento de problemas urbanos. Diz respeito à confluência de informação que circula em grandes cidades e ao uso da tecnologia para automatizar a gestão de setores urbanos, desde bases de dados de saúde e educação públicas, por exemplo, até os dados pessoais que circulam em redes sociais e aplicativos móveis. O advogado Cristiano Therrien, pesquisador em Direito da Tecnologia na Universidade de Montreal, no Canadá, conversou com o Observatório da Privacidade e Vigilância sobre o tema.

    Observatório da Privacidade e Vigilância: O que é uma cidade inteligente?

    Cristiano Therrien: Cidades inteligentes, cidades conectadas, cibercidades, cidades responsivas, são muitas as nomenclaturas usadas para destacar a dimensão informativa da cidade. Quando usamos essa terminologia, falamos da cidade enquanto um espaço de fluxos. A maioria das tecnologias necessárias para as cidades inteligentes já são viáveis economicamente em todo o mundo − fácil acessibilidade da computação em nuvem, dispositivos baratos de internet, sistemas de TI cada vez mais flexíveis. As duas cidades mais destacadas nos estudos de cidades inteligentes são Londres e Barcelona. Há experiências importantes em cidades brasileiras também. 

    OPV: A ideia de cidade inteligente sempre aparece relacionada à abertura de bases de dados por parte dos órgãos públicos. Você pode falar sobre isso? 

    CT: Encontramos muitas experiências diferentes em andamento nas cidades: uma parte prioriza a transparência como meio de prestação de contas e responsabilidade política frente à sociedade civil, como a ideia de governo aberto; outra parte prioriza a participação popular através da interatividade, bem como a cooperação técnica para o reuso de dados abertos por entidades e empresas. 

    Mas, se pensarmos na alternativa de projetos de cidades inteligentes que não envolvam políticas públicas de dados abertos, que não prestem conta detalhada de suas atividades, ao mesmo tempo em que disponham dos sofisticados sistemas para o gerenciamento de dados de cidadãos em larga escala, encontraremos condições para o surgimento de um estado de vigilância e controle, pondo em risco as liberdades individuais. 

    Em nome da eficiência administrativa, podem-se armazenar, por exemplo, enormes massas de dados de mobilidade urbana (placas e identificação por radiofrequência em veículos, passes e GPS em ônibus), cujos bancos de dados podem ou não intencionalmente identificar seus usuários. Dados de mobilidade são de grande utilidade pública e podem ser “anonimizados” (ter os seus identificadores pessoais eliminados) e abertos. Contudo, existem estudos que apontam que bastariam meros quatro pontos de dados para identificar os movimentos de uma pessoa na cidade.

    (Adaptado de: “Observatório da Privacidade e Vigilância”. Disponível em: www.cartacapital.com.br/sociedade/cidades-inteligentes-atedemais. Acesso em: 18.01.2016.) 
  • Segundo Cristiano Therrien, o uso da tecnologia para controlar o fluxo de informação em setores urbanos pode
  • 10 - Questão 44571.   Direito Constitucional - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Rivanildo, Ministro de Estado das Relações Exteriores, cometeu, no exercício de suas funções, crime de responsabilidade. Em tal hipótese, o julgamento respectivo competirá ao