Questões de Concursos Tecnólogo de Administração

Resolva Questões de Concursos Tecnólogo de Administração Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 2 - Q18060.   História - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Há um período da História que na Europa ficou conhecido como “La belle époque” (A bela época). Assinale a alterna­tiva correta a respeito deste período.
  • 3 - Q18027.   Direito Penal - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Com relação ao lugar do crime, o artigo 6.º do Código Penal Brasileiro adotou a teoria
  • 4 - Q18055.   Português - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Leia o trecho de Vidas secas, de Graciliano Ramos, para responder à  questão.

    Fabiano tinha ido à feira da cidade comprar mantimentos. Precisava sal, farinha, feijão e rapaduras. Sinhá Vitória pedira além disso uma garrafa de querosene e um corte de chita vermelha. Mas o querosene de seu Inácio estava misturado com água, e a chita da amostra era cara demais.

    Fabiano percorreu as lojas, escolhendo o pano, regateando um tostão em côvado, receoso de ser enganado. Andava irresoluto, uma longa desconfiança dava-­lhe gestos oblíquos. À tarde puxou o dinheiro, meio tentado, e logo se arrependeu, certo de que todos os caixeiros furtavam no preço e na medida: amarrou as notas na ponta do lenço, meteu­-as na algibeira, dirigiu-­se à bodega de seu Inácio.

    Aí certificou-­se novamente de que o querosene estava batizado e decidiu beber uma pinga, pois sentia calor. Seu Inácio trouxe a garrafa de aguardente. Fabiano virou o copo de um trago, cuspiu, limpou os beiços à manga, contraiu o rosto. Ia jurar que a cachaça tinha água. Por que seria que seu Inácio botava água em tudo? perguntou mentalmente. Animou-­se e interrogou o bodegueiro:

    - Por que é que vossemecê bota água em tudo?

    Seu Inácio fingiu não ouvir. E Fabiano foi sentar-­se na calçada, resolvido a conversar. O vocabulário dele era pequeno, mas em horas de comunicabilidade enriquecia­-se com algumas expressões de seu Tomás da bolandeira. Pobre de seu Tomás. Um homem tão direito andar por este mundo de trouxa nas costas. Seu Tomás era pessoa de consideração e votava. Quem diria?

    (Graciliano Ramos. Vidas secas. 118. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2012, p. 27­28. Adaptado)
  • Pode-­se dizer que, no que se referia ao uso da linguagem, Fabiano
  • 6 - Q18064.   História - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Sentido ! Frente, ordinário marcha!
    Feijó conclama, Tobias manda
    E na distância, desfila a marcha


    (Guilherme de Almeida, “Canção da Polícia Militar de São Paulo”)

    O que explica a referência ao nome de Tobias nessa canção?
  • 8 - Q18050.   Matemática - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • A tabela mostra a carga horária de algumas disciplinas do RASC U NHO Curso de Formação de Oficiais da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, com x representando uma certa quantidade de horas-aula.

                              Disciplina                                               Carga Horária
                           Criminologia                                                       x – 40
                           Policiamento Montado                                       x – 40
                           Toxicologia                                                         x – 40
                           Chefia e Liderança                                              x – 10
                           Inteligência Policial                                             x – 10
                          Gerenciamento de Crises                                       x
                          Tiro Defensivo na Preservação da Vida 4               4x


    Sabendo-­se que a média aritmética do número de horas­aula dessas disciplinas é igual a 80, pode­se afirmar que a razão entre os números de horas ­aula das disciplinas Criminologia e Gerenciamento de Crises, nessa ordem, é de
  • 9 - Q18034.   Direito Penal Militar - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Assinale a alternativa correta com relação ao militar da reserva ou reformado quando pratica ou contra ele é prati­cado crime militar
  • 10 - Q18054.   Português - Nível Superior - Tecnólogo de Administração - Polícia Militar SP - VUNESP - 2014
  • Leia o trecho de Vidas secas, de Graciliano Ramos, para responder à  questão.

    Fabiano tinha ido à feira da cidade comprar mantimentos. Precisava sal, farinha, feijão e rapaduras. Sinhá Vitória pedira além disso uma garrafa de querosene e um corte de chita vermelha. Mas o querosene de seu Inácio estava misturado com água, e a chita da amostra era cara demais.

    Fabiano percorreu as lojas, escolhendo o pano, regateando um tostão em côvado, receoso de ser enganado. Andava irresoluto, uma longa desconfiança dava-­lhe gestos oblíquos. À tarde puxou o dinheiro, meio tentado, e logo se arrependeu, certo de que todos os caixeiros furtavam no preço e na medida: amarrou as notas na ponta do lenço, meteu­-as na algibeira, dirigiu-­se à bodega de seu Inácio.

    Aí certificou-­se novamente de que o querosene estava batizado e decidiu beber uma pinga, pois sentia calor. Seu Inácio trouxe a garrafa de aguardente. Fabiano virou o copo de um trago, cuspiu, limpou os beiços à manga, contraiu o rosto. Ia jurar que a cachaça tinha água. Por que seria que seu Inácio botava água em tudo? perguntou mentalmente. Animou-­se e interrogou o bodegueiro:

    - Por que é que vossemecê bota água em tudo?

    Seu Inácio fingiu não ouvir. E Fabiano foi sentar-­se na calçada, resolvido a conversar. O vocabulário dele era pequeno, mas em horas de comunicabilidade enriquecia­-se com algumas expressões de seu Tomás da bolandeira. Pobre de seu Tomás. Um homem tão direito andar por este mundo de trouxa nas costas. Seu Tomás era pessoa de consideração e votava. Quem diria?

    (Graciliano Ramos. Vidas secas. 118. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2012, p. 27­28. Adaptado)
  • A partir da leitura do texto, pode­se concluir que Fabiano