Questões de Concursos Câmara de Descalvado SP

Resolva Questões de Concursos Câmara de Descalvado SP Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 27564.   Português - Interpretação de Textos - Nível Superior - Secretário Administrativo - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • O despertar da ambição

         Até pouco tempo atrás, apontar alguém como ambicioso era quase uma ofensa no Brasil. A palavra, carregada de conotação negativa, era praticamente um pecado. A má impressão nasceu da confusão que as pessoas fazem com a ganância – sentimento que faz o indivíduo passar por cima de tudo e de todos. Hoje, porém, a ambição está sendo redimida e seu verdadeiro significado resgatado.
         A palavra vem do latim ambi dire, que significa “entre dois caminhos". Basicamente, escolher para alcançar um objetivo. É um adjetivo positivo, que define as pessoas determinadas. É o combustível daqueles que vão atrás de desejos pessoais e profissionais. E o brasileiro está mais afinado com essas ideias do que o senso comum supõe. Uma pesquisa da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR), de 2009, concluiu que 41% da população se define como ambiciosa.
         Essa visão mais moderna, que eleva a ambição a uma espécie de força motriz do sucesso, transformou-a também em objeto de curiosidade científica mundo afora. É possível medi-la? Podemos turbiná-la? Ela tem explicação biológica? Já há respostas para algumas dessas perguntas. Estudos mostram, por exemplo, que a ambição, essa mistura de energia com determinação, se manifesta no sistema límbico, área do cérebro relacionada às emoções e aos hábitos. Pesquisadores da Universidade de Washington usaram imagens cerebrais para investigar a persistência – a habilidade de focar em uma tarefa até terminá-la –, considerada a mola propulsora da ambição. Eles recrutaram um grupo de estudantes e deram a cada um deles questionários elaborados para mensurar o nível de perseverança por meio de um aparelho de ressonância magnética, que registrava o que se passava na cabeça dos alunos. Em geral, os estudantes com as maiores pontuações (os mais persistentes) apresentaram maior atividade na região límbica.
         Mas não há consenso entre os especialistas sobre em que medida a ambição está dentro de todos. Para uns, a educação é a maior influência. Para outros, é um sentimento inerente ao ser humano e depende apenas de autoconhecimento para vir à tona. A única certeza é que quem opta por ficar numa zona de conforto, sem enfrentar desafios, acaba jogado de um lado para o outro, sem tomar as rédeas da própria vida. As circunstâncias acabam por definir o futuro. E aí é mais cômodo culpar o destino, a sorte ou terceiros pelas mazelas.
         “Quem pensa assim desconsidera que os vencedores estudaram muito, foram atrás, deram a cara para bater", diz a psicóloga Maria de Lurdes Damião, mestre em gestão de pessoas. O ambicioso incomoda, antes de mais nada, os acomodados, que, em vez de se mexerem, preferem criticar.

    (Suzane G. Frutuoso. www.istoe.com.br. 12.02.2010. Adaptado)
  • Considere a frase do segundo parágrafo.

    E o brasileiro está mais afinado com essas ideias do que o senso comum supõe.

    Para que essa frase mantenha o sentido do texto e esteja de acordo com a norma-padrão, deve-se reescrevê-la da seguinte forma:
  • 3 - Questão 27569.   Português - Interpretação de Textos - Nível Superior - Secretário Administrativo - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • Leia a crônica “Ser Tudo", de Walcyr Carrasco, para responder à questão.

          Ao entrar na sala de um amigo, observo uma luminária idêntica a um chifre. Ele a exibe, orgulhoso.
          – Phillipe Starck1 . Só existem três no Brasil.
          Atarraxo um sorriso de admiração. Como dizer que parece o despojo2 de uma fantasia de Carnaval? Entusiasmado, ele aconselha:
          – Na loja havia uma cadeira de couro de vaca incrível, assinada. Você precisa comprar.
          – Mas não preciso de mais uma cadeira.
          – É uma oportunidade única, e você vai jogar fora?
          Suspiro. É impressionante como as pessoas dão valor a grifes. Há bastante tempo vi uma linda carteira Louis Vuitton com desenho quadriculado. Fui verificar. Meus documentos não cabiam. O vendedor explicou:
          – É que os documentos europeus são de tamanho menor. Os nossos ficam sobrando. Agradeci e ia sair da loja. Um amigo que me acompanhava se escandalizou.
          – Não vai levar? – Onde vou botar minha identidade?
          – Mas, quando você abrir a carteira, todo mundo vai notar. É chique.
          Sou do tipo que só compra quando gosta e espanto-me quando vejo as pessoas se digladiando para ser elegantes.
          É só observar a mania de conhecer vinhos. Se parte das pessoas se dedicasse a estudar os gregos com o mesmo afinco com que decora rótulos, teríamos um país de filósofos. Guerra semelhante acontece entre os que se dizem conhecedores de charuto. O fato é que a maioria seria incapaz de distinguir um cubano de um cigarro de palha do sítio. Respeito os apreciadores das coisas boas da vida. Mas é terrível ver alguém bebendo e fumando só para parecer o que não é, nem precisa ser.
          Inventaram até uma expressão para dizer que alguma coisa é chique e imprescindível. Estava em uma famosa loja de roupas masculinas. A gerente conversava com um rapaz e comentou:
          – Seu sapato é tudo.
          O elogiado sorriu como se tivesse ganho a Mega-Sena.
          – Eu sei. É mesmo. Tudo.
          Como um sapato pode ser tudo?
          Falando assim, parece que estou me referindo aos ricos ou à classe média abastada. Coisa nenhuma. Muitas pessoas gastam o pouco que ganham para ter roupa com etiqueta. Quanto mais jovens, mais estritos3 : é preciso usar os tênis que todos usam, botar o jeans, a calça. Caso contrário, serão desdenhados como o patinho feio. Fico pensando: nessa ânsia por ser especiais, as pessoas tornam-se idênticas. Ser “tudo" acaba sendo um bom caminho para terminar em nada.

    (VejaSP, 05.04.2000. Adaptado)

    1. Phillipe Starck: designer francês
    2. despojo: resto, sobra
    3. estrito: rigoroso, exato
  • A colocação pronominal está em conformidade com a norma-padrão da língua portuguesa em:
  • 7 - Questão 27634.   Administração Financeira e Orçamentária - Nível Médio - Tesoureiro - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • A contabilidade deverá evidenciar, em seus registros, o montante dos créditos orçamentários vigentes, a despesa empenhada e a despesa realizada, à conta dos mesmos créditos, e as dotações disponíveis. O registro contábil da receita e da despesa far-se-á de acordo com as especificações constantes da Lei de Orçamento e dos créditos adicionais.

    Nesse caso, a dívida flutuante compreenderá: os serviços da dívida a pagar, os depósitos e os débitos de tesouraria, bem como:
  • 8 - Questão 27603.   Informática - Sistema Operacional e Software - Nível Superior - Técnico em Informática - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • Um usuário de um computador portátil (do tipo notebook), operando apenas com a sua bateria, e com o sistema operacional Windows 7 (em sua configuração padrão), estava utilizando um editor de textos quando resolveu se ausentar por algum tempo, após o qual pretendia continuar essa edição.

    Para tanto, ativou a opção de desligamento do Windows denominada Suspender. Nessa situação,
  • 9 - Questão 27630.   Conhecimentos Específicos - Legislação Municipal - Nível Médio - Tesoureiro - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • Com vistas ao que dispõe a Lei Orgânica do Município de Descalvado, em relação ao Processo Legislativo, assinale a alternativa correta.
  • 10 - Questão 27631.   Administração Financeira e Orçamentária - Nível Médio - Tesoureiro - Câmara de Descalvado SP - VUNESP - 2015
  • Conforme a Lei Complementar nº 101/2000, para fins de observância da ordem cronológica determinada na constituição federal, a execução orçamentária e financeira identificará os beneficiários de pagamento de sentenças judiciais por meio de