← Início

Questões de Concursos - Câmara de São Caetano do Sul SP - Exercícios com Gabarito

Questões de Concursos Públicos - Câmara de São Caetano do Sul SP - com Gabarito. Exercícios com Perguntas e Respostas, Resolvidas e Comentadas. Acesse Grátis!


Quando Tales tinha 15 anos, seu irmão mais velho, Márcio, tinha o dobro da sua idade.

Hoje Tales tem 30 anos, seu irmão, Márcio, tem hoje:
O uso da crase está incorreto na alternativa:
Texto associado.
A CURIOSIDADE BOA 

Sim, somos curiosos. Se considerarmos que ser curioso é querer saber, conhecer, desbravar, ir além, somos definitivamente uma espécie dotada de grande curiosidade, e talvez essa seja uma vantagem competitiva que estimula nossa evolução. 
Não dá para se habitar um espaço que não se conhece. Qualquer animal ao chegar a um novo lugar trata imediatamente de explorá-lo até entender como pode viver nele, onde estão as melhores fontes de alimento, quais os possíveis perigos, como encontrar abrigo se for necessário. Essa busca de entendimento do ambiente, bem como a necessidade de conhecer novos espaços, pode ser definida como curiosidade, uma qualidade natural e inata, que provoca a exploração, a inspeção e leva à descoberta e à ampliação do conhecimento. 
A curiosidade, então, é uma propriedade dos seres vivos, especialmente dos mamíferos, dotados de um córtex mais desenvolvido, portanto mais apto à busca da adaptação ao ambiente. Pois esse instinto animal também existe no homem, e nele ganha outra proporção, bem aplicada. Nos humanos, a curiosidade vai além da necessidade de sobrevivência, passa pela busca do aprimoramento da qualidade de viver e chega à fantástica capacidade de criar novas possibilidades. Sem a curiosidade e a transgressão não seríamos criativos, não teríamos inventado nem uma roda, quanto mais um smartphone ou um robô espacial. 
É claro que há diferentes, digamos assim, tipos de curiosidade. Uma coisa é querer entender a essência da matéria e descobrir o átomo, outra é não sossegar até descobrir com quem a colega de escritório está saindo às escondidas e espalhar uma fofoca braba por toda a empresa. Apesar disso, a essência é a mesma: a necessidade humana de transformar o desconhecido em conhecido, deslindando os mistérios, esclarecendo as incógnitas, desnudando as verdades. 

Eugenio Mussak – Revista Vida Simples – Edição 123 – outubro 2012.
Somente em uma das alternativas o plural está correto, assinale-a.
Um agente administrativo, pensando em construir casa própria, comprou um terreno que mede 15 m de largura por 18 m de comprimento.

Pagou R$ 36,00 o m2 em 3 prestações de:
A pontuação está incorreta na alternativa:
Um agente operacional reservou certa quantia em dinheiro para repartir entre seus 4 filhos. Deu 1/4 para um, 2/10 para outro, 2/8 para outro.

A porcentagem que coube ao seu 4º filho é de: 
Pensando na preservação de sua saúde, o funcionário deve executar as atividades rotineiras evitando abusos e riscos desnecessários. Para evitar problemas de saúde ou acidentes, ele deve:

( ) usar equipamento e proteção individual (EPI) recomendado e adequado para cada atividade.
( ) ao usar escada para alcançar lugares altos, certificar-se de que ela está bem apoiada.
( ) utilizar carrinhos para apoio e transporte de carga e descarga de material pesado ou em grande quantidade.
( ) pedir ajuda quando precisar levantar peso.
( ) andar cuidadosamente sobre piso recém lavado e ainda úmido.

As afirmações são (V) verdadeiras ou (F) falsas na sequência:
O agente operacional deve estar atento para evitar possíveis focos de incêndio, pois a prevenção depende de algumas atitudes básicas como as descritas abaixo.

Identifique a afirmação que está incorreta, de acordo com o enunciado.
Leia as frases abaixo. 

I - ______ sempre reutilizamos as sacolas plásticas.
II - ______ reutiliza as sacolas plásticas?
III - ______ reutilizam as sacolas plásticas.

De acordo com a flexão verbal, a alternativa que preenche corretamente os espaços das frases acima é:
Texto associado.
A CURIOSIDADE BOA 

Sim, somos curiosos. Se considerarmos que ser curioso é querer saber, conhecer, desbravar, ir além, somos definitivamente uma espécie dotada de grande curiosidade, e talvez essa seja uma vantagem competitiva que estimula nossa evolução. 
Não dá para se habitar um espaço que não se conhece. Qualquer animal ao chegar a um novo lugar trata imediatamente de explorá-lo até entender como pode viver nele, onde estão as melhores fontes de alimento, quais os possíveis perigos, como encontrar abrigo se for necessário. Essa busca de entendimento do ambiente, bem como a necessidade de conhecer novos espaços, pode ser definida como curiosidade, uma qualidade natural e inata, que provoca a exploração, a inspeção e leva à descoberta e à ampliação do conhecimento. 
A curiosidade, então, é uma propriedade dos seres vivos, especialmente dos mamíferos, dotados de um córtex mais desenvolvido, portanto mais apto à busca da adaptação ao ambiente. Pois esse instinto animal também existe no homem, e nele ganha outra proporção, bem aplicada. Nos humanos, a curiosidade vai além da necessidade de sobrevivência, passa pela busca do aprimoramento da qualidade de viver e chega à fantástica capacidade de criar novas possibilidades. Sem a curiosidade e a transgressão não seríamos criativos, não teríamos inventado nem uma roda, quanto mais um smartphone ou um robô espacial. 
É claro que há diferentes, digamos assim, tipos de curiosidade. Uma coisa é querer entender a essência da matéria e descobrir o átomo, outra é não sossegar até descobrir com quem a colega de escritório está saindo às escondidas e espalhar uma fofoca braba por toda a empresa. Apesar disso, a essência é a mesma: a necessidade humana de transformar o desconhecido em conhecido, deslindando os mistérios, esclarecendo as incógnitas, desnudando as verdades. 

Eugenio Mussak – Revista Vida Simples – Edição 123 – outubro 2012.
Assinale a alternativa em que a palavra é escrita com SS como “transgressão”: