Questões de Concursos CISMARPA

Resolva Questões de Concursos CISMARPA Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 25290.   Português - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • OBESIDADE PRÉ-NATAL

    por Drauzio Varella — publicado 09/07/2015 02h20

    Não é só a gestante que corre riscos futuros quando acumula peso a mais durante a gravidez. O bebê também pode ser afetado.

    No Brasil, mais da metade da população está acima do peso. A obesidade é uma epidemia mundial que se dissemina rapidamente.

    Diabetes do tipo 2 caminha na esteira do excesso de peso; a seguir nesse passo haverá 500 milhões de casos no mundo, em 2030.

    Os estudos mostram que a prevenção à obesidade deve começar cedo. Mulheres obesas ao engravidar tendem a ganhar mais peso ainda, a ter dificuldade de emagrecer depois do parto e a engordar em gestações futuras. O feto também sofre as consequências do excesso de peso materno. Entre elas:

    1. Ganho excessivo de peso na gravidez aumenta o risco de diabetes gestacional, que afeta o crescimento, o metabolismo e a adiposidade fetal.

    2. Se o bebê for do sexo feminino, ao crescer com tendência à obesidade repetirá o ciclo ao engravidar.

    3. O período pré-natal e o primeiro ano depois de dar à luz são cruciais para reduzir a obesidade entre as mulheres e preveni-la nas crianças. Em animais, perturbações dietéticas, hormonais e mecânicas nessas fases induzem a distúrbios irreversíveis na adiposidade e no metabolismo da vida adulta.

    4. Estudos epidemiológicos identificaram os seguintes fatores pré-natais associados ao risco de obesidade na infância e na vida adulta: mães que fumaram durante a gravidez, depressão antes do parto, diabetes gestacional, estresse psicológico (como reflexo da exposição fetal aos glucocorticoides) e até alterações do DNA do cordão umbilical.

    5. Ganho rápido de peso nos primeiros 3 a 6 meses de vida aumenta o risco de obesidade e de doença cardiovascular na vida adulta. A lactação não explica inteiramente essas alterações, já que os bebês amamentados no peito materno tendem a ganhar mais peso do que os demais.

    6. Bebês alimentados com leite em pó, que começam a comer sólidos antes dos 4 meses, apresentam risco 6 vezes mais alto de se tornar obesos aos 3 anos. A idade ideal para introdução de sólidos parece estar entre os 4 e os 6 meses.

    7. Nosso corpo contém dez vezes mais bactérias do que células. O intestino do feto é estéril, mas ao nascer é colonizado na passagem pelo canal de parto. Crianças nascidas de cesariana correm risco mais alto de se tornar obesas.

    8. Está bem documentado que dois fatores pré-natais (ganho de peso materno e fumo durante a gravidez) e dois pós-natais (período mais curto de amamentação e menos horas de sono) estão associados à obesidade infantil.

    Um estudo com crianças em idade escolar mostrou que filhos de mães que não fumaram ou ganharam peso excessivo durante a gravidez, amamentados no peito por pelo menos 12 meses, período no qual dormiam por 12 ou mais horas por dia, apresentavam 6% de prevalência de obesidade, ante 29% nas crianças em que os quatro fatores estavam na condição oposta.

    9. Fatores raciais e socioeconômicos alteram o risco de obesidade na criança. Nos filhos de negros e brancos mais pobres o risco é mais alto. A prevenção da obesidade deve começar no período pré-natal e nos primeiros meses de vida, muito mais cedo do que imaginávamos.

    In http://www.cartacapital.com.br/revista/857/obesidade-pre-natal-9981.html
  • Na passagem “Nosso corpo contém dez vezes mais bactérias do que células", há um verbo elíptico, como recurso de coesão textual. Reescrevendo a passagem de forma a explicitar esse verbo, teríamos:
  • 2 - Questão 25226.   Atualidades - Nível Superior - Enfermeiro - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Começaram nos EUA, as prévias partidárias para eleição presidencial de 2016. Pelo lado do partido Democrata, ao qual pertence o atual presidente Barack Obama, há uma grande expectativa em torno da candidatura de sua atual Secretária de Estado. Quem é a atual Secretária de Estado dos EUA e potencial sucessora de Obama?

    FONTE: http://g 1 .globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/06/*-lanca-oficialmentecampanha-para-presidencia-dos-eua.html
  • 3 - Questão 25295.   Informática - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Em um computador foi instalado o sistema operacional Windows 7 com duas partições NTFS, as quais são apresentadas como unidades C: e D:. Considerando que um usuário possui permissão para gravar dados nas duas unidades, o que ocorre quando o usuário arrasta um arquivo armazenado em uma pasta da unidade C: para uma pasta da unidade D: ?
  • 4 - Questão 25287.   Português - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • OBESIDADE PRÉ-NATAL

    por Drauzio Varella — publicado 09/07/2015 02h20

    Não é só a gestante que corre riscos futuros quando acumula peso a mais durante a gravidez. O bebê também pode ser afetado.

    No Brasil, mais da metade da população está acima do peso. A obesidade é uma epidemia mundial que se dissemina rapidamente.

    Diabetes do tipo 2 caminha na esteira do excesso de peso; a seguir nesse passo haverá 500 milhões de casos no mundo, em 2030.

    Os estudos mostram que a prevenção à obesidade deve começar cedo. Mulheres obesas ao engravidar tendem a ganhar mais peso ainda, a ter dificuldade de emagrecer depois do parto e a engordar em gestações futuras. O feto também sofre as consequências do excesso de peso materno. Entre elas:

    1. Ganho excessivo de peso na gravidez aumenta o risco de diabetes gestacional, que afeta o crescimento, o metabolismo e a adiposidade fetal.

    2. Se o bebê for do sexo feminino, ao crescer com tendência à obesidade repetirá o ciclo ao engravidar.

    3. O período pré-natal e o primeiro ano depois de dar à luz são cruciais para reduzir a obesidade entre as mulheres e preveni-la nas crianças. Em animais, perturbações dietéticas, hormonais e mecânicas nessas fases induzem a distúrbios irreversíveis na adiposidade e no metabolismo da vida adulta.

    4. Estudos epidemiológicos identificaram os seguintes fatores pré-natais associados ao risco de obesidade na infância e na vida adulta: mães que fumaram durante a gravidez, depressão antes do parto, diabetes gestacional, estresse psicológico (como reflexo da exposição fetal aos glucocorticoides) e até alterações do DNA do cordão umbilical.

    5. Ganho rápido de peso nos primeiros 3 a 6 meses de vida aumenta o risco de obesidade e de doença cardiovascular na vida adulta. A lactação não explica inteiramente essas alterações, já que os bebês amamentados no peito materno tendem a ganhar mais peso do que os demais.

    6. Bebês alimentados com leite em pó, que começam a comer sólidos antes dos 4 meses, apresentam risco 6 vezes mais alto de se tornar obesos aos 3 anos. A idade ideal para introdução de sólidos parece estar entre os 4 e os 6 meses.

    7. Nosso corpo contém dez vezes mais bactérias do que células. O intestino do feto é estéril, mas ao nascer é colonizado na passagem pelo canal de parto. Crianças nascidas de cesariana correm risco mais alto de se tornar obesas.

    8. Está bem documentado que dois fatores pré-natais (ganho de peso materno e fumo durante a gravidez) e dois pós-natais (período mais curto de amamentação e menos horas de sono) estão associados à obesidade infantil.

    Um estudo com crianças em idade escolar mostrou que filhos de mães que não fumaram ou ganharam peso excessivo durante a gravidez, amamentados no peito por pelo menos 12 meses, período no qual dormiam por 12 ou mais horas por dia, apresentavam 6% de prevalência de obesidade, ante 29% nas crianças em que os quatro fatores estavam na condição oposta.

    9. Fatores raciais e socioeconômicos alteram o risco de obesidade na criança. Nos filhos de negros e brancos mais pobres o risco é mais alto. A prevenção da obesidade deve começar no período pré-natal e nos primeiros meses de vida, muito mais cedo do que imaginávamos.

    In http://www.cartacapital.com.br/revista/857/obesidade-pre-natal-9981.html
  • Na passagem “Diabetes do tipo 2 caminha na esteira do excesso de peso; a seguir nesse passo haverá 500 milhões de casos no mundo, em 2030", o termo em destaque estabelece, em relação à oração anterior, ideia de:
  • 5 - Questão 25231.   Direito Sanitário - Nível Superior - Enfermeiro - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • A Equipe de Saúde da Família é composta por uma equipe multiprofissional que possui, no mínimo:
  • 6 - Questão 25297.   Informática - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Ao inserir um objeto vinculado em uma apresentação do Microsoft Power Point 2013, este objeto será automaticamente atualizado se o arquivo de origem for alterado. Desse modo, assinale a alternativa que apresenta a afirmação correta em relação à exibição de uma apresentação com um objeto vinculado em outro computador.
  • 7 - Questão 25232.   Enfermagem - Doenças Infecciosas e Parasitárias - Nível Superior - Enfermeiro - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Sobre a “Síndrome da Rubéola Congênita (SRC)", analise as afirmativas:

    I - É uma importante complicação da infecção pelo vírus da Rubéola durante a gestação, principalmente no último trimestre.
    II - Pode comprometer o desenvolvimento do feto e causar aborto, natimorto e anomalias congênitas.
    III - As manifestações clínicas podem ser transitórias, permanentes, ou tardias.
    IV - A vacina contra rubéola é a única medida preventiva e a mais segura.

    Assinale:
  • 8 - Questão 25293.   Matemática - Nível Médio - Auxiliar Administrativo - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Uma fábrica produz apenas dois tipos de produtos, o produto A e o produto B. Em 2013 ela recebeu R$64.000,00 pelo total de suas vendas e vendeu 1.500 unidades do A e 2.000 do B. Já em 2014, esse faturamento foi 20% maior, com a venda de 2.000 unidades do A e 2.240 do B. Considerando que os dois produtos foram vendidos pelo mesmo valor do ano anterior, calcule o valor unitário de venda de cada produto nesse período.
  • 9 - Questão 25230.   Direito Sanitário - Nível Superior - Enfermeiro - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • Qual é a instância colegiada de caráter consultivo que possibilita o exercício do controle social no âmbito do poder executivo e tem por objetivo avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes da política de saúde em cada nível de governo, além de constituir-se no mais importante fórum de participação ampla da população?
  • 10 - Questão 25235.   Enfermagem - Nível Superior - Enfermeiro - CISMARPA - IPEFAE - 2015
  • De acordo com o CAPÍTULO V (das infrações e penalidades) do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem, é incorreto afirmar que: