Questões de Concursos CLIN

Resolva Questões de Concursos CLIN Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 651.   Português - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • Clara dos Anjos
    Lima Barreto

    O carteiro Joaquim dos Anjos não era homem de serestas
    e serenatas, mas gostava de violão e de modinhas. Ele
    mesmo tocava flauta, instrumento que já foi muito estimado,
    não o sendo tanto atualmente como outrora. Acreditava-se
    até músico, pois compunha valsas, tangos e
    acompanhamentos para modinhas.
    Aprendera a “artinha” musical na terra de seu nascimento,
    nos arredores de Diamantina, e a sabia de cor e salteado; mas
    não saíra daí.
    Pouco ambicioso em música, ele o era também nas
    demais manifestações de sua vida. Empregado de um
    advogado famoso, sempre quisera obter um modesto
    emprego público que lhe desse direito à aposentadoria e ao
    montepio, para a mulher e a filha. Conseguira aquele de
    carteiro, havia quinze para vinte anos, com o qual estava
    muito contente, apesar de ser trabalhoso e o ordenado ser
    exíguo.
    Logo que foi nomeado, tratou de vender as terras que
    tinha no local de seu nascimento e adquirir aquela casita de
    subúrbio, por preço módico, mas, mesmo assim, o dinheiro
    não chegara e o resto pagou ele em prestações. Agora, e
    mesmo há vários anos, estava de plena posse dela. Era
    simples a casa. Tinha dois quartos, um que dava para a sala
    de visitas e outro, para a de jantar. Correspondendo a um
    terço da largura total da casa, havia, nos fundos, um puxadito
    que era a cozinha. Fora do corpo da casa, um barracão para
    banheiro, tanque, etc; e o quintal era de superfície razoável,
    onde cresciam goiabeiras maltratadas e um grande
    tamarindeiro copado.
    A rua desenvolvia-se no plano, e, quando chovia,
    encharcava que nem um pântano; entretanto, era povoada e
    dela se descortinava um lindo panorama de montanhas que
    pareciam cercá-la de todos os lados, embora a grande
    distância. Tinha boas casas a rua. Havia até uma grande
    chácara de outros tempos com aquela casa característica de
    velhas chácaras de longa fachada, de teto acaçapado,
    forrada de azulejos até a metade do pé-direito, um tanto feia, é
    fato, sem garridice¹, mas casando-se perfeitamente com as
    anosas² mangueiras, com as robustas jaqueiras e com todas
    aquelas grandes e velhas árvores que, talvez, os que as
    plantaram não tivessem visto frutificar.

    1- Brilho, elegância.
    2- Velhas.

    ( COUTINHO, Afrânio., 4ª ed. vol. I RJ: EDLE, 1970, págs. 248/249.) Clara dos Anjos. In Antologia Brasileira de Literatura.
  • Em: “Ele mesmo tocava flauta,...” (1º§), a concordância nominal está perfeita.A opção abaixo em que a concordância nominal NÃO está correta é:
  • 3 - Questão 25645.   Português - Nível Fundamental - Gari e Operador de Roçadeira - CLIN - COSEAC - 2015
  • Leia o texto abaixo e responda ao que se pede.

    Existe no Oceano Pacífico uma ilha feita de duas montanhas. É como se alguém tivesse colado dois grandes montes de terra no meio do mar. A maior chama-se Tristeza e a menor, Alegria.

    Dizem que há muitos anos atrás a Alegria era maior e mais alta que a Tristeza. Dizem também que, por causa de um terremoto, parte da Alegria caiu no mar e afundou, deixando a montanha do jeito que está hoje.

    Ninguém sabe se isso é mesmo verdade. Verdade é que ao pé desses dois cumes, exatamente onde eles se encontram, moram uma menina chamada Aleteia e sua avó.

    Aleteia e a avó são como as montanhas: duas pessoas que estão sempre juntas.

    Hoje Aleteia é menor, mais baixa que sua avó; acontece que daqui a algum tempo, ninguém sabe quando, Aleteia vai acordar e estará mais alta que a avó. Aleteia vai crescer e eu acho que, quando esse dia chegar, elas ainda estarão juntas. Igual às montanhas da ilha.

    Um dia Aleteia perguntou: “Vovó, quem fez o mundo?”, e sua avó respondeu: “Deus”.

    - Todo ele?
    - Sim, todo.
    - Sozinho?
    - Sim, sozinho.

    Aleteia saiu da sala com aquela conversa na cabeça. Não estava convencida. Pensou muito a respeito do assunto. Para raciocinar melhor, saiu para caminhar e caminhou muito pela ilha. Pensava sozinha, pensava em voz alta e começou a dividir seus pensamentos com as coisas que lhe apareciam pelo caminho: folhas, árvores, pedras, formigas, grilos, etc. Deus tinha criado o mundo sozinho?

    (KOMATSU, Henrique. A menina que viu Deus. p.3-6, formato eletrônico, fragmento.)
  • Se você __________________ Deus, o que lhe _________________?

    Completando-se as lacunas com os verbos nos tempos adequados, as formas corretas são:
  • 4 - Questão 679.   Redação Oficial - Nível Médio - Agente Administrativo - CLIN - FEC
  • O fecho das comunicações oficiais possui, além da finalidade óbvia de arrematar o texto, a de saudar o destinatário. O Manual de Redação da Presidência da República estabelece o emprego de fechos diferentes para as modalidades de comunicação oficial. Assim, para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior, deve-se empregar:
  • 5 - Questão 25668.   Português - Nível Médio - Auxiliar de Enfermagem do Trabalho - CLIN - COSEAC - 2015
  • Primavera

    1 A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

    2 Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, - e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

    3 Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jaipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, - e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

    4 Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

    5 Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, - e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

    6 Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

    7 Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento em que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, - e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora, se entendeu e amou.

    8 Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

    9 Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, - por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida - e efêmera.

    (MEIRELES, Cecília. "Cecília Meireles - Obra em Prosa?, Vol. 1. Nova Fronteira: Rio de Janeiro, 1998, p. 366.)
  • "Há bosques de rododendros.." (3º §)

    Das alterações feitas na redação da oração acima, está em DESACORDO com as normas de concordância a seguinte:
  • 7 - Questão 25640.   Conhecimentos Específicos - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Gari e Operador de Roçadeira - CLIN - COSEAC - 2015
  • Leia o texto abaixo e responda ao que se pede.

    Existe no Oceano Pacífico uma ilha feita de duas montanhas. É como se alguém tivesse colado dois grandes montes de terra no meio do mar. A maior chama-se Tristeza e a menor, Alegria.

    Dizem que há muitos anos atrás a Alegria era maior e mais alta que a Tristeza. Dizem também que, por causa de um terremoto, parte da Alegria caiu no mar e afundou, deixando a montanha do jeito que está hoje.

    Ninguém sabe se isso é mesmo verdade. Verdade é que ao pé desses dois cumes, exatamente onde eles se encontram, moram uma menina chamada Aleteia e sua avó.

    Aleteia e a avó são como as montanhas: duas pessoas que estão sempre juntas.

    Hoje Aleteia é menor, mais baixa que sua avó; acontece que daqui a algum tempo, ninguém sabe quando, Aleteia vai acordar e estará mais alta que a avó. Aleteia vai crescer e eu acho que, quando esse dia chegar, elas ainda estarão juntas. Igual às montanhas da ilha.

    Um dia Aleteia perguntou: “Vovó, quem fez o mundo?”, e sua avó respondeu: “Deus”.

    - Todo ele?
    - Sim, todo.
    - Sozinho?
    - Sim, sozinho.

    Aleteia saiu da sala com aquela conversa na cabeça. Não estava convencida. Pensou muito a respeito do assunto. Para raciocinar melhor, saiu para caminhar e caminhou muito pela ilha. Pensava sozinha, pensava em voz alta e começou a dividir seus pensamentos com as coisas que lhe apareciam pelo caminho: folhas, árvores, pedras, formigas, grilos, etc. Deus tinha criado o mundo sozinho?

    (KOMATSU, Henrique. A menina que viu Deus. p.3-6, formato eletrônico, fragmento.)
  • Em “... ao pé desses dois cumes...” a palavra destacada significa: