Questões de DPE SP Grátis - Exercícios com Gabarito

Resolva Questões de DPE SP com Gabarito. Exercícios com Atividades Grátis Resolvidas e Comentadas. Teste seus conhecimentos com Perguntas e Respostas sobre o Assunto.

1Questão 179764. Direito Administrativo, Poderes Administrativos, Defensor Público, DPE SP, FCC, 2010

A restrição de acesso a local de repartição pública, onde se realiza atendimento ao público, de determinada pessoa que rotineiramente ali comparece, causando tumultos aos trabalhos desenvolvidos, é

2Questão 187057. Ciências Sociais, Agente de Defensoria Cientista Social, DPE SP, FCC, 2010

A partir do arcabouço metodológico proposto por Émile Durkheim, no que se refere às fases de uma investigação científica, a sequência correta é:

3Questão 176272. Direito da Criança e do Adolescente, Jurisprudência do STJ, Defensor Público, DPE SP, FCC, 2009

Dentre os temas que resultaram na edição de SÚMULAS pelo Superior Tribunal de Justiça a respeito da aplicação e execução de medidas socioeducativas encontram-se:

4Questão 180713. Princípios, Defensor Público, DPE SP, FCC, 2010

Entre as inovações advindas da reforma da Lei Orgânica Nacional da Defensoria Pública, promovida pela Lei Complementar Federal nº 132, de 07 de outubro de 2009, destaca-se:

5Questão 436054. Direito Constitucional, Assistência Social, Agente de Defensoria, DPE SP, FCC, 2010

O art. 193 da Constituição Federal de 1988 preconiza que a ordem social brasileira tem como base o primado do trabalho e como objetivo o bem-estar e a justiça social. A legislação social aborda os direitos dos cidadãos referen tes ao trabalho, na qual se pode afirmar que

6Questão 460257. Direito Penal, Extinção da Punibilidade, Defensor Público, DPE SP, FCC, 2013

Sobre a prescrição é correto afirmar que

7Questão 180093. , Finalidade e natureza jurídica, Defensor Público, DPE SP, FCC, 2013

Sobre os princípios da liquidação e execução civis, é correto afirmar que:

8Questão 185620. Português, Interpretação de Textos, Agente de Defensoria Psicólogo, DPE SP, FCC, 2010

Texto associado.

Administração da linguagem

Nosso grande escritor Graciliano Ramos foi, como se
sabe, prefeito da cidade alagoana de Palmeira dos Índios. Sua
gestão ficou marcada não exatamente por atos administrativos
ou decisões políticas, mas pelo relatório que o prefeito deixou,
terminado o mandato. A redação desse relatório é primorosa,
pela concisão, objetividade e clareza (hoje diríamos:
transparência), qualidades que vêm coerentemente combinadas
com a honestidade absoluta dos dados e da autoavaliação -
rigorosíssima, sem qualquer complacência - que faz o prefeito.
Com toda justiça, esse relatório costuma integrar sucessivas
edições da obra de Graciliano. É uma peça de estilo raro e de
espírito público incomum.

Tudo isso faz pensar na relação que se costuma promover
entre linguagens e ofícios. Diz-se que há o "economês", jargão
misterioso dos economistas, o "politiquês", estilo evasivo
dos políticos, o "acadêmico", com o cheiro de mofo dos baúsda
velha retórica etc. etc. E há, por vezes, a linguagem processual,
vazada em arcaísmos, latinismos e tecnicalidades que a tornam
indevassável para um leigo. Há mesmo casos em que se pode
suspeitar de estarem os litigantes praticando - data venia - um
vernáculo estrito, reservado aos iniciados, espécie de senha
para especialistas.

Não se trata de ir contra a necessidade do uso de conceitos
específicos, de não reconhecer a vantagem de se empregar
um termo técnico em vez de um termo impreciso, de abolir,
em suma, o vocabulário especializado; trata-se, sim, de evitar o
exagero das linguagens opacas, cifradas, que pedem "tradução"
para a própria língua a que presumivelmente pertencem. O
exemplo de Graciliano diz tudo: quando o propósito da comunicação
é honesto, quando se quer clareza e objetividade no que
se escreve, as palavras devem expor à luz, e não mascarar, a
mensagem produzida. No caso desse honrado prefeito alagoano,
a ética rigorosa do escritor e aética irrepreensível do
administrador eram a mesma ética, assentada sobre os princípios
da honestidade e do respeito para com o outro.

(Tarcísio Viegas, inédito)

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

9Questão 190987. Gestão de Pessoas, Qualidade nas Organizações, Agente de Defensoria Administrador, DPE SP, FCC, 2010

Analise o caso a seguir:

Foi constatado um vazamento de água no escritório da diretoria. O primeiro funcionário, imediatamente correu atrás de um pano, de um balde e de um rodo para retirar toda a água do ambiente. (...) Um segundo funcionário observou toda a sala para encontrar a origem do vazamento. Concluiu que vinha exclusivamente do banheiro instalado dentro da sala. Lá dentro percebeu que a torneira estava aberta e simplesmente a fechou, eliminando todo o problema de vazamento.

Os dois funcionários foram, respectivamente:

10Questão 186754. Direito Constitucional, Direito de Propriedade, Agente de Defensoria Psicólogo, DPE SP, FCC, 2010

De acordo com a Constituição Federal, em relação ao direito de propriedade e a desapropriação, é correto afirmar que a desapropriação