Questões de Concursos Eletrobrás

Resolva Questões de Concursos Eletrobrás Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 1315.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Correlacione as duas colunas, considerando as definições
    a respeito da ciência do fogo:

    I - temperatura mínima na qual o corpo combustível
    começa a desprender vapores que se incendeiam em
    contato com uma chama ou centelha e mantém-se
    queimando, mesmo com a retirada do agente ígneo;
    II - temperatura mínima na qual o corpo combustível
    começa a desprender vapores que se incendeiam em
    contato com uma chama ou centelha, entretanto a
    chama não se mantém sem a presença do agente
    ígneo;
    III - temperatura mínima na qual os vapores desprendidos
    do combustível entram em combustão apenas pelo
    contato com o oxigênio do ar atmosférico,
    independente da presença de chama ou centelha;
    IV - transferência de calor de um corpo para o outro,
    através de ondas denominadas caloríficas ou
    radiantes; nesse processo não há necessidade de
    suporte material nem de transporte de matéria;
    V - transferência de calor de um ponto para o outro,
    através de um corpo contínuo, transferência essa
    realizada sem que haja transporte de matéria;
    VI - transferência de calor de um ponto para o outro,
    através do deslocamento de matéria, em geral a
    fumaça, que por ser menos densa que o ar
    atmosférico, move-se para cima.

    ( ) convecção;
    ( ) ponto de ignição;
    ( ) irradiação;
    ( ) ponto de fulgor;
    ( ) ponto de combustão;
    ( ) condução.

    A seqüência correta é:
  • 2 - Questão 1318.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • A função de segurança patrimonial requer que sejam mantidas permanentemente a atenção e a vigilância, de modo que o profissional esteja pronto para atuar na prevenção do delito ou do fato adverso. Sendo assim, pode-se afirmar que é correto:
  • 3 - Questão 1297.   Português - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • SECRETÁRIA – Luís Fernando Veríssimo

    O teste definitivo para você saber se você está ou não
    integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica. O que
    você faz quando liga para alguém e quem atende é uma
    máquina.
    Tem gente que nem pensa nisso. Falam com a secretária
    eletrônica com a maior naturalidade, qual é o problema? É
    apenas um gravador estranho com uma função a mais. Mas aí
    é que está. Não é uma máquina como qualquer outra. É uma
    máquina de atender telefone. O telefone (que eu não sei como
    funciona, ainda estou tentando entender o estilingue)
    pressupõe um contato com alguém e não com alguma coisa. A
    secretária eletrônica abre um buraco nesta expectativa
    estabelecida. É desconcertante. Atendem – e é alguém dizendo
    que não está lá! Seguem instruções para esperar o bip e gravar
    a mensagem.
    É aí que começa o teste. Como falar com ninguém no
    telefone? Um telefonema é como aqueles livros que a gente
    gosta de ler, que só tem diálogos. É travessão você fala,
    travessão fala o outro. E de repente você está falando sozinho.
    Não é nem monólogo. É diálogo só de um.
    - Ahn, sim, bom, mmm... olha, eu telefono depois. Tchau.
    O “tchau” é para a máquina. Porque temos este absurdo
    medo de magoá-la. Medo de que a máquina nos telefone de
    volta e nos xingue, ou pelo menos nos bipe com reprovação.
    Sei de gente que muda a voz para falar com secretária
    eletrônica. Fica formal, cuida a construção da frase. Às vezes
    precisa resistir à tentação de ligar de novo para regravar a
    mensagem porque errou a colocação do pronome.
    Outros não resistem. Ao saber que estão sendo gravados,
    limpam a garganta, esperam o bip e anunciam:
    - De Augustín Lara...
    E gravam um bolero.
    Talvez seja a única atitude sensata.
  • A frase do texto em que há claramente a personificação da secretária eletrônica por meio de uma ação humana que lhe é atribuída é:
  • 4 - Questão 1314.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • Em uma parada cardio-respiratória, é fundamental a rápida atuação do socorrista para que aumentem as chances de sobrevida da vítima. No protocolo conhecido como cadeia da sobrevivência, o “ABC da Vida” determina as ações essenciais a serem imediatamente realizadas, que são:
  • 5 - Questão 2142.   Arquivologia - Nível Superior - Arquivista - Eletrobrás
  • As diretrizes para construção de websites de instituições arquivísticas:
  • 7 - Questão 34372.   Informática - Nível Superior - Arquivista - Eletrobrás - IADES - 2016
  • Um usuário do Microsoft Excel inseriu a fórmula “=SOMA(F1:F4)” na célula A1 de uma planilha e pressionou a tecla “Enter”. O resultado dessa operação é o seguinte:
  • 9 - Questão 1304.   Português - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • SECRETÁRIA – Luís Fernando Veríssimo

    O teste definitivo para você saber se você está ou não
    integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica. O que
    você faz quando liga para alguém e quem atende é uma
    máquina.
    Tem gente que nem pensa nisso. Falam com a secretária
    eletrônica com a maior naturalidade, qual é o problema? É
    apenas um gravador estranho com uma função a mais. Mas aí
    é que está. Não é uma máquina como qualquer outra. É uma
    máquina de atender telefone. O telefone (que eu não sei como
    funciona, ainda estou tentando entender o estilingue)
    pressupõe um contato com alguém e não com alguma coisa. A
    secretária eletrônica abre um buraco nesta expectativa
    estabelecida. É desconcertante. Atendem – e é alguém dizendo
    que não está lá! Seguem instruções para esperar o bip e gravar
    a mensagem.
    É aí que começa o teste. Como falar com ninguém no
    telefone? Um telefonema é como aqueles livros que a gente
    gosta de ler, que só tem diálogos. É travessão você fala,
    travessão fala o outro. E de repente você está falando sozinho.
    Não é nem monólogo. É diálogo só de um.
    - Ahn, sim, bom, mmm... olha, eu telefono depois. Tchau.
    O “tchau” é para a máquina. Porque temos este absurdo
    medo de magoá-la. Medo de que a máquina nos telefone de
    volta e nos xingue, ou pelo menos nos bipe com reprovação.
    Sei de gente que muda a voz para falar com secretária
    eletrônica. Fica formal, cuida a construção da frase. Às vezes
    precisa resistir à tentação de ligar de novo para regravar a
    mensagem porque errou a colocação do pronome.
    Outros não resistem. Ao saber que estão sendo gravados,
    limpam a garganta, esperam o bip e anunciam:
    - De Augustín Lara...
    E gravam um bolero.
    Talvez seja a única atitude sensata.
  • O item em que a substituição do termo DESTACADO NÃO é feita de forma adequada é:
  • 10 - Questão 1306.   Português - Nível Médio - Agente de Segurança Patrimonial - Eletrobrás - NCE
  • SECRETÁRIA – Luís Fernando Veríssimo

    O teste definitivo para você saber se você está ou não
    integrado no mundo moderno é a secretária eletrônica. O que
    você faz quando liga para alguém e quem atende é uma
    máquina.
    Tem gente que nem pensa nisso. Falam com a secretária
    eletrônica com a maior naturalidade, qual é o problema? É
    apenas um gravador estranho com uma função a mais. Mas aí
    é que está. Não é uma máquina como qualquer outra. É uma
    máquina de atender telefone. O telefone (que eu não sei como
    funciona, ainda estou tentando entender o estilingue)
    pressupõe um contato com alguém e não com alguma coisa. A
    secretária eletrônica abre um buraco nesta expectativa
    estabelecida. É desconcertante. Atendem – e é alguém dizendo
    que não está lá! Seguem instruções para esperar o bip e gravar
    a mensagem.
    É aí que começa o teste. Como falar com ninguém no
    telefone? Um telefonema é como aqueles livros que a gente
    gosta de ler, que só tem diálogos. É travessão você fala,
    travessão fala o outro. E de repente você está falando sozinho.
    Não é nem monólogo. É diálogo só de um.
    - Ahn, sim, bom, mmm... olha, eu telefono depois. Tchau.
    O “tchau” é para a máquina. Porque temos este absurdo
    medo de magoá-la. Medo de que a máquina nos telefone de
    volta e nos xingue, ou pelo menos nos bipe com reprovação.
    Sei de gente que muda a voz para falar com secretária
    eletrônica. Fica formal, cuida a construção da frase. Às vezes
    precisa resistir à tentação de ligar de novo para regravar a
    mensagem porque errou a colocação do pronome.
    Outros não resistem. Ao saber que estão sendo gravados,
    limpam a garganta, esperam o bip e anunciam:
    - De Augustín Lara...
    E gravam um bolero.
    Talvez seja a única atitude sensata.
  • "Telefonema", como mostra o texto, é uma palavra do gênero masculino. O vocábulo abaixo que é feminino é: