Questões de Concursos IFSP

Resolva Questões de Concursos IFSP Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 38612.   Pedagogia - Nível Superior - Professor - IFSP - 2015
  • A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (lei nº 9394, de 1996) apresenta regras comuns para o ensino fundamental e médio em relação ao processo de avaliação. Leia as afirmativas a seguir sobre o artigo nº 24 da referida lei:

    ( ) a classificação em qualquer série ou etapa, exceto a primeira do ensino fundamental, pode ser feita por promoção, para alunos que cursaram, com aproveitamento, a série ou fase anterior, na própria escola.
    ( ) a classificação em qualquer série ou etapa, exceto a primeira do ensino fundamental, pode ser feita por transferência, para candidatos procedentes de outras escolas.
    ( ) a classificação em qualquer série ou etapa, exceto a primeira do ensino fundamental, pode ser feita independentemente de escolarização anterior, mediante avaliação feita pela escola, que defina o grau de desenvolvimento e experiência do candidato e permita sua inscrição na série ou etapa adequada, conforme regulamentação do respectivo sistema de ensino.
    ( ) nos estabelecimentos que adotam a progressão regular por série, o regimento escolar pode admitir formas de progressão parcial, desde que preservada a sequência do currículo, observadas as normas do respectivo sistema de ensino.

    Assinale a alternativa que contemple a sequência correta de afirmações verdadeiras (V) ou falsas (F):
  • 2 - Questão 38916.   Português - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Eu Sei, Mas Não Devia
                                                                            Clarice Lispector

    Eu sei, mas não devia. Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão. 
    A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo, porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo de viagem. A comer sanduíches porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. 
    A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz [...]. 
    A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: “Hoje não posso ir". A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa tanto ser visto.
    A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. A lutar para ganhar o dinheiro com que se paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar muito mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra. 
    A gente se acostuma a andar nas ruas e ver cartazes. A abrir revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos. 
    A gente se acostuma à poluição. A luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias de água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta. 
    A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente se senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só o pé e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre o sono atrasado. 
    A gente se acostuma para não ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que de tanto se acostumar, se perde de si mesma.
  • Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE as lacunas.

    A gente se acostuma ____________ coisas demais, para não sofrer.
    A gente se acostuma ____________ poluição.
    A gente se acostuma a morar ____________ apartamentos de fundos.
  • 3 - Questão 38929.   Informática - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Assinale a alternativa que apresenta CORRETAMENTE quais são as ações de um protocolo de rede.
  • 4 - Questão 38935.   Direito Administrativo - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Consoante o que prevê a Lei do Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, “o vencimento do cargo efetivo acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei” dá o conceito de
  • 5 - Questão 38906.   Português - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Eu Sei, Mas Não Devia
                                                                            Clarice Lispector

    Eu sei, mas não devia. Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão. 
    A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo, porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo de viagem. A comer sanduíches porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. 
    A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz [...]. 
    A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: “Hoje não posso ir". A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa tanto ser visto.
    A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. A lutar para ganhar o dinheiro com que se paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar muito mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra. 
    A gente se acostuma a andar nas ruas e ver cartazes. A abrir revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos. 
    A gente se acostuma à poluição. A luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias de água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta. 
    A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente se senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só o pé e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre o sono atrasado. 
    A gente se acostuma para não ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que de tanto se acostumar, se perde de si mesma.
  • A autora expressa poeticamente a tendência que as pessoas têm em se acostumar com problemas, pressa e injustiças.

    O sentimento que a autora rejeita é a
  • 6 - Questão 38639.   Pedagogia - Nível Superior - Professor - IFSP - 2015
  • Segundo a Lei nº 9394, de 1996, a respeito do tema “diplomas", é incorreto afirmar que: 
  • 7 - Questão 38948.   Administração - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Analise as seguintes afirmativas sobre os tipos de processos e assinale com V as verdadeiras e com F as falsas. 

    ( ) Os processos centrais estão relacionados com a transformação de insumos em produtos destinados a clientes internos ou externos.
    ( ) Recursos humanos e tecnologia da informação são processos centrais.
    ( ) Processos de apoio são aqueles que sustentam os processos centrais e medem seu desempenho.
    ( ) Produção e atendimento ao cliente são processos de apoio.

    Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
  • 8 - Questão 38924.   Informática - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • Analise as seguintes afirmativas sobre a função de imprimir do MS Word 2010.

    I. Permite imprimir o conteúdo selecionado de um documento.
    II. Não permite imprimir mais de uma página na mesma folha.
    III. Permite imprimir somente as páginas ímpares de um documento.

    A partir da análise, conclui-se que estão CORRETAS.
  • 9 - Questão 38919.   Informática - Nível Médio - Auxiliar em Administração - IFSP - FUNDEP - 2014
  • O ______________é o aplicativo do Windows que permite ao usuário enxergar a organização do disco, criar pastas, apagar pastas e arquivos entre outros.

    Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE a lacuna.
  • 10 - Questão 38620.   Pedagogia - Nível Superior - Professor - IFSP - 2015
  • Levando-se em conta o que defende Dermeval Saviani no livro “Educação: Do senso comum à consciência filosófica", o que significa, do ponto de vista da educação, “promover o homem"?