Questões de Concursos INFRAERO

Resolva Questões de Concursos INFRAERO Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 14218.   Legislação Federal - Nível Superior - Biólogo - INFRAERO - FCC - 2011
  • Com relação às Áreas de Segurança Aeroportuária, é correto afirmar que se tratam de áreas
  • 2 - Questão 14166.   Português - Nível Superior - Arquivista - INFRAERO - FCC - 2011
  • Os anônimos

     Na história de Branca de Neve, a rainha má consulta o seu espelho e pergunta se existe no reino uma beleza maior do que a sua. Os espelhos de castelo, nos contos de fada, são um pouco como certa imprensa brasileira, muitas vezes dividida entre as necessidades de bajular o poder e de refletir a realidade. O espelho tentou mudar de assunto, mas finalmente respondeu: “Existe". Seu nome: Branca de Neve.
         A rainha má mandou chamar um lenhador e instruiu-o a levar Branca de Neve para a floresta, matá-la, desfazer-se do corpo e voltar para ganhar sua recompensa. Mas o lenhador poupou Branca de Neve. Toda a história depende da compaixão de um lenhador sobre o qual não se sabe nada. Seu nome e sua biografia não constam em nenhuma versão do conto. A rainha má é a rainha má, claramente um arquétipo, e os arquétipos não precisam de nome. O Príncipe Encantado, que aparecerá no fim da história, também não precisa. É um símbolo reincidente, talvez nem a Branca de Neve se dê ao trabalho de descobrir seu nome. Mas o personagem principal da história, sem o qual a história não existiria e os outros personagens não se tornariam famosos, não é símbolo de nada. Ele só entra na trama para fazer uma escolha, mas toda a narrativa fica em suspenso até que ele faça a escolha certa, pois se fizer a errada não tem história. O lenhador compadecido representa dois segundos de livre-arbítrio que podem desregular o mundo dos deuses e dos heróis. Por isso é desprezado como qualquer intruso e nem aparece nos créditos.
         Muitas histórias mostram como são os figurantes anônimos que fazem a história, ou como, no fim, é a boa consciência que move o mundo. Mas uma das pessoas do grupo em que conversávamos sobre esses anônimos discordou dessa tese, e disse que a entrada do lenhador simbolizava um problema da humanidade, que é a dificuldade de conseguir empregados de confiança, que façam o que lhes for pedido.

    (Adaptado de Luiz Fernando Verissimo, Banquete com os deuses)
  • Deve-se deduzir do texto que a razão pela qual os arquétipos não precisam de nome é que
  • 3 - Questão 14191.   Arquivologia - Nível Superior - Arquivista - INFRAERO - FCC - 2011
  • No planejamento de um programa de gestão arquivística, é fundamental
  • 4 - Questão 14204.   Direito Administrativo - Nível Superior - Biólogo - INFRAERO - FCC - 2011
  • De acordo com a Lei no 8.666/1993, a declaração de nulidade do contrato administrativo
  • 5 - Questão 14167.   Português - Nível Superior - Arquivista - INFRAERO - FCC - 2011
  • Os anônimos

     Na história de Branca de Neve, a rainha má consulta o seu espelho e pergunta se existe no reino uma beleza maior do que a sua. Os espelhos de castelo, nos contos de fada, são um pouco como certa imprensa brasileira, muitas vezes dividida entre as necessidades de bajular o poder e de refletir a realidade. O espelho tentou mudar de assunto, mas finalmente respondeu: “Existe". Seu nome: Branca de Neve.
         A rainha má mandou chamar um lenhador e instruiu-o a levar Branca de Neve para a floresta, matá-la, desfazer-se do corpo e voltar para ganhar sua recompensa. Mas o lenhador poupou Branca de Neve. Toda a história depende da compaixão de um lenhador sobre o qual não se sabe nada. Seu nome e sua biografia não constam em nenhuma versão do conto. A rainha má é a rainha má, claramente um arquétipo, e os arquétipos não precisam de nome. O Príncipe Encantado, que aparecerá no fim da história, também não precisa. É um símbolo reincidente, talvez nem a Branca de Neve se dê ao trabalho de descobrir seu nome. Mas o personagem principal da história, sem o qual a história não existiria e os outros personagens não se tornariam famosos, não é símbolo de nada. Ele só entra na trama para fazer uma escolha, mas toda a narrativa fica em suspenso até que ele faça a escolha certa, pois se fizer a errada não tem história. O lenhador compadecido representa dois segundos de livre-arbítrio que podem desregular o mundo dos deuses e dos heróis. Por isso é desprezado como qualquer intruso e nem aparece nos créditos.
         Muitas histórias mostram como são os figurantes anônimos que fazem a história, ou como, no fim, é a boa consciência que move o mundo. Mas uma das pessoas do grupo em que conversávamos sobre esses anônimos discordou dessa tese, e disse que a entrada do lenhador simbolizava um problema da humanidade, que é a dificuldade de conseguir empregados de confiança, que façam o que lhes for pedido.

    (Adaptado de Luiz Fernando Verissimo, Banquete com os deuses)
  • Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um elemento do texto em:
  • 6 - Questão 14201.   Arquivologia - Nível Superior - Arquivista - INFRAERO - FCC - 2011
  • O instrumento de pesquisa que tem por objeto documentos selecionados de um ou mais fundos a partir de critério temático, descrevendo-os individualmente, é
  • 7 - Questão 14205.   Direito Administrativo - Nível Superior - Biólogo - INFRAERO - FCC - 2011
  • De acordo com a Lei no 8.666/1993, a licitação, na modalidade Convite
  • 8 - Questão 14215.   Legislação Federal - Nível Superior - Biólogo - INFRAERO - FCC - 2011
  • No que concerne aos serviços aéreos
  • 9 - Questão 14186.   Informática - Nível Superior - Arquivista - INFRAERO - FCC - 2011
  • Apresenta como característica a não alteração do conteúdo do computador no qual é executado, tanto da memória física quanto dos registros, porque é processado diretamente de um dispositivo que o contém, como um pen drive, por exemplo. Assim, após finalizado, o aplicativo não deixa rastros no computador que, entretanto, deve atender aos requisitos do programa, como memória RAM e velocidade do processador. Trata-se de
  • 10 - Questão 14210.   Legislação Federal - Nível Superior - Biólogo - INFRAERO - FCC - 2011
  • Considere as seguintes assertivas a respeito da entrada e saída do Espaço Aéreo Brasileiro: 

    I. Toda aeronave proveniente do exterior fará, respectivamente, o primeiro pouso ou a última decolagem em aeroporto internacional. 

    II. A lista de aeroportos internacionais será publicada pela autoridade aeronáutica, sendo que suas denominações poderão ser modificadas mediante lei estadual, quando houver necessidade técnica dessa alteração. 

    III. Os aeroportos situados na linha fronteiriça do território brasileiro não poderão ser autorizados a atender ao tráfego regional, entre os países limítrofes, com serviços de infraestrutura aeronáutica comuns. 

    IV. As aeronaves brasileiras poderão ser autorizadas a utilizar aeroportos situados em países vizinhos, na linha fronteiriça ao Território Nacional, com serviços de infraestrutura aeronáutica comuns ou compartilhados. 

    De acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica, está correto o que consta APENAS em