Questões de Concursos MPU

Resolva Questões de Concursos MPU Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Q1465.   Direito do Trabalho - Nível Médio - Técnico Administrativo - MPU - FCC
  • Um empregado trabalhou de 15 de janeiro de 1996 a 28 de outubro de 2005. Considerando a prescrição, poderá ajuizar reclamação trabalhista até 28 de outubro de
  • 2 - Q1538.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Técnico Administrativo - MPU - CESPE
  • Considere que, após aprovação em concurso público de provas e títulos para cargo de professor da Fundação Universidade de Brasília, universidade pública federal, João Carlos, que não possuía qualquer vínculo com o serviço público, entrou em exercício e, conseqüentemente, submeteu-se ao estágio probatório. A avaliação do desempenho do professor, após ser-lhe assegurada ampla defesa, nos termos da lei, constatou a sua inassiduidade, indisciplina e improdutividade. Decidiu-se, então, pela não-aprovação no estágio probatório. Nesses termos, João Carlos deverá ser:
  • 3 - Q1486.   Português - Nível Médio - Técnico Administrativo - MPU - FCC
  • Atenção: As questões de números 1 a 14  referem-se ao texto
    seguinte.

    A propósito de uma aranha

    Fiquei observando a aranha que construía sua teia, com
    os fios que saem dela como um fruto que brota e se alonga de
    sua casca. A aranha quer viver, e trabalha nessa armadilha caprichosa
    e artística que surpreenderá os insetos e os enredará
    para morrer. Tua morte, minha vida − diz uma frase antiga,
    resumindo a lei primeira da natureza. A frase pode soar amarga
    em nossos ouvidos delicados, enquanto comemos nosso
    franguinho. Sua morte, vida nossa.

    Os vegetarianos não fiquem aliviados, achando que,
    além de terem hábitos mais saudáveis, não dependem da morte
    alheia para viver. É verdade que a alface, a cenoura, a batata, o
    arroz, o espinafre, a banana, a laranja não costumam gritar
    quando arrancados da terra, decepados do caule, cortados e
    processados na cozinha. Mas por que não imaginar que
    estavam muito bem em suas raízes, e se deleitavam com o
    calor do sol, com a água refrescante da chuva, com os sopros
    do vento? Sua morte, vida nossa.

    Mas voltemos à aranha. Ela não aprendeu arquitetura ou
    geometria, nada sabe sobre paralelas e losangos; vive da
    ciência aplicada e laboriosa dos fios quase invisíveis que não
    perdoam o incauto. Uma vez preso na teia, o inseto que há
    pouco voava debate-se inutilmente, enquanto a aranha caminha
    com leveza em sua direção, percorrendo resoluta o labirinto de
    malhas familiares. Se alguém salvar esse inseto, num gesto de
    misericórdia, e se dispuser a salvar todos os outros que caírem
    na armadilha, a aranha morrerá de fome. Em outras palavras: a
    boa alma tomará partido entre duas mortes.

    A cada pequena cena, a natureza nos fala de sua
    primeira lei: a lei da necessidade. O engenho da aranha, a
    eficácia da teia, o vôo do inseto desprevenido compõem uma
    trama de vida e morte, da qual igualmente participamos todos
    nós, os bichos pensantes. Que necessidade tem alguém de ser
    cronista? − podem vocês me perguntar. O que leva alguém a
    escrever sobre teias e aranhas? Minha resposta é crua como a
    natureza: os cronistas também comem. E como não sabem
    fazer teias, tecem palavras, e acabam atendendo a necessidade
    de quem gosta de ler. A pequena aranha, com sua pequena
    teia, leva a gente a pensar na vida, no trabalho, na morte. A
    natureza está a todo momento explicando suas verdades para
    nós. Se eu soubesse a origem e o fim dessas verdades todas,
    acredite, leitor, esta crônica teria um melhor arremate.

    (Virgílio Covarim)
  • Está adequada a correlação entre os tempos e os modos verbais na frase:
  • 4 - Q12721.   Noções de Ética - Ética na Administração Pública - Nível Superior - Analista do MPU - MPU - CESPE - 2015
  • Considerando as disposições do Decreto n.º 1.171/1994 e as resoluções da Comissão de Ética Pública da Presidência da República (CEP), julgue o item a seguir.

    Em observância aos princípios da publicidade e da transparência, as comissões de ética instituídas pelo Decreto n.º 1.171/1994 deverão, a partir da instauração de procedimento para a apuração de infração ética, dar ampla publicidade aos expedientes adotados em todas as fases processuais.
  • 5 - Q12786.   Auditoria - Nível Superior - Analista do MPU - MPU - CESPE - 2015
  • No que se refere a definição, objetivos e componentes do controle interno, julgue o item a seguir.

    A salvaguarda dos ativos da entidade para evitar perdas ou uso prejudicial dos recursos é um objetivo da atuação do controle interno, sendo o componente relacionado ao ambiente de controle primordial na definição dos riscos para evitar ocorrências indesejáveis.
  • 6 - Q1529.   Português - Nível Médio - Técnico Administrativo - MPU - CESPE
  • Aqui, ali, por toda a parte, encontravam-se trabalhadores, uns ao sol, outros debaixo de pequenas barracas feitas
    de lona ou de folhas de palmeira. De um lado cunhavam pedra cantando; de outro a quebravam a picareta; de
    outro afeiçoavam lajedos a ponta de picão; mais adiante faziam paralelepípedos a escopro e macete. E todo
    aquele retintim de ferramentas, e o martelar da forja, e o coro dos que lá em cima brocavam a rocha para lançar-lhe ao fogo, e a surda zoada ao longe, que vinha do cortiço, como de uma aldeia alarmada; tudo dava a idéia de uma atividade feroz, de uma luta de vingança e ódio. Aqueles homens gotejantes de suor, bêbedos de calor, desvairados de insolação, a quebrarem, a espicaçarem, a torturarem a pedra, pareciam um punhado de demônios revoltados na sua impotência contra o impassível gigante que os contemplava com desprezo, imperturbável a todos os golpes e a todos os tiros que lhe desfechavam no dorso, deixando sem um gemido que lhe abrissem as entranhas de granito.

    Aluizio de Azevedo, O cortiço
  • O que leva o autor a comparar os trabalhadores a um "punhado de demônios" (L.7) é
  • 7 - Q12757.   Contabilidade - Nível Superior - Analista do MPU - MPU - CESPE - 2015
  • De acordo com as normas emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis, julgue o item a seguir, relativos às demonstrações contábeis.

    Para avaliar a conformidade da apresentação das contas de forma separada no balanço patrimonial, a entidade deve utilizar os seguintes critérios: a natureza e a liquidez dos ativos; a função dos seus ativos; e os montantes, a natureza e o prazo dos passivos.
  • 8 - Q12700.   Redação Oficial - Nível Superior - Analista do MPU - MPU - CESPE - 2015
  • Julgue o seguinte item de acordo com a prescrição constante no Manual de Redação da Presidência da República acerca das características formais e linguísticas das correspondências oficiais.

    O telegrama é uma forma de comunicação oficial que, por ser dispendiosa e tecnologicamente ultrapassada, foi substituída integralmente por formas de comunicação mais modernas, econômicas e rápidas, como o fax e o correio eletrônico.
  • 9 - Q1504.   Conhecimentos Específicos - Nível Médio - Técnico Administrativo - MPU - CESPE
  • Considerando-se incompetente para processar e julgar uma determinada ação, um Juiz Federal da Seção Judiciária de Goiás remeteu os autos para a Comarca de Luziânia - GO. O Juiz de Direito, contudo, entendeu diversamente, considerando competente para a causa o Juiz Federal que lhe remetera o processo. O conflito de jurisdição será, então, decidido pelo
  • 10 - Q46545.   Odontologia - Nível Superior - Cirurgião Dentista - MPU - CESPE - 2013
  • Julgue os itens seguintes, que versam acerca de implantes e princípios gerais de radiologia e interpretação radiográfica.

    Nas radiografias panorâmicas, o defeito ósseo de Stafne apresenta-se como uma área radiolúcida na região posterior da mandíbula, associada com os terceiros molares impactados.