Questões de Concursos Prefeitura de Santo André SP

Resolva Questões de Concursos Prefeitura de Santo André SP Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 2 - Q61309.   Português - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Atendente de Copa e Cozinha - Prefeitura de Santo André SP - IBAM - 2015
  • CONSTRUÇÃO
    Composição: Chico Buarque

    Amou daquela vez como se fosse a última
    Beijou sua mulher como se fosse a última
    E cada filho seu como se fosse o único
    E atravessou a rua com seu passo tímido
    Subiu a construção como se fosse máquina
    Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
    Tijolo com tijolo num desenho mágico
    Seus olhos embotados de cimento e lágrima
    Sentou pra descansar como se fosse sábado
    Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
    Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
    Dançou e gargalhou como se ouvisse música
    E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
    E flutuou no ar como se fosse um pássaro
    E se acabou no chão feito um pacote flácido
    Agonizou no meio do passeio público
    Morreu na contramão atrapalhando o tráfego.

    (...)

    (Texto retirado do site: http://www.vagalume.com.br/chico-buarque/construcao.html)

    Os versos de “Construção" contam a história de um trabalhador. Podemos inferir que o protagonista das ações descritas é um: 
  • 3 - Q5572.   Informática - Nível Médio - Inspetor de Alunos - Prefeitura de Santo André SP - CAIPIMES - 2011
  • Analise as características para identificar a fórmula do Excel a que se referem.

    - Executa vários cálculos em um ou mais conjuntos de valores
    - Retorna um único resultado ou vários resultados.
    - Fica entre chaves{ }
    - É inserida pressionando-se Ctrl + Shift + Enter.

    São características específicas da:
  • 4 - Q61320.   Português - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Atendente de Copa e Cozinha - Prefeitura de Santo André SP - IBAM - 2015
  • ÁGUAS DE MARÇO
    Tom Jobim

    É pau, é pedra, é o fim do caminho
    É um resto de toco, é um pouco sozinho
    É um caco de vidro, é a vida, é o sol
    É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol

    É peroba do campo, é o nó da madeira
    Caingá, candeia, é o Matita Pereira
    É madeira de vento, tombo da ribanceira
    E o mistério profundo, é o queira ou não queira

    É o vento ventando, é o fim da ladeira
    É a viga, é o vão, festa da cumeeira
    É a chuva chovendo, é conversa ribeira
    Das águas de março, é o fim da canseira

    É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
    Passarinho na mão, pedra de atiradeira
    É uma ave no céu, é uma ave no chão
    É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
    É o fundo do poço, é o fim do caminho
    No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
    É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
    É um pingo pingando, é uma conta, é um conto

    É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
    É a luz da manhã, é o tijolo chegando
    É a lenha, é o dia, é o fim da picada
    É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada

    É o projeto da casa, é o corpo na cama
    É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
    É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
    É um resto de mato, na luz da manhã

    São as águas de março fechando o verão
    É a promessa de vida no teu coração
    É uma cobra, é um pau, é João, é José
    É um espinho na mão, é um corte no pé

    São as águas de março fechando o verão,
    É a promessa de vida no teu coração
    É pau, é pedra, é o fim do caminho
    É um resto de toco, é um pouco sozinho

    É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
    É um belo horizonte, é uma febre terçã
    São as águas de março fechando o verão
    É a promessa de vida no teu coração

    pau, pedra, fim, caminho
    resto, toco, pouco, sozinho
    caco, vidro, vida, sol, noite, morte, laço, anzol
    São as águas de março fechando o verão
    É a promessa de vida no teu coração

    (Texto retirado do site: http://www.vagalume.com.br/elis-regina/aguas- de-marco.htmi)

    Observe o seguinte verso de “Águas de Março": “É o mistério profundo, é o queira ou não queira". O verbo “querer" não aparece nesse momento da letra com a função de verbo, mas sim, como uma palavra de outra classe gramatical. Qual é essa classe?
  • 5 - Q61289.   Português - Nível Fundamental - Auxiliar de Serviços Gerais - Prefeitura de Santo André SP - IBAM - 2015
  • Considerando as orações abaixo.

    I. “O homem sábio é aquele que não se entristece com as coisas que não tem, mas rejubila com as que tem.” - Epicteto
    II. “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” - Sócrates

    A palavra “sábio” nas orações I e II classificam-se, respectivamente, como:
  • 7 - Q61312.   Português - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Atendente de Copa e Cozinha - Prefeitura de Santo André SP - IBAM - 2015
  • CONSTRUÇÃO
    Composição: Chico Buarque

    Amou daquela vez como se fosse a última
    Beijou sua mulher como se fosse a última
    E cada filho seu como se fosse o único
    E atravessou a rua com seu passo tímido
    Subiu a construção como se fosse máquina
    Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
    Tijolo com tijolo num desenho mágico
    Seus olhos embotados de cimento e lágrima
    Sentou pra descansar como se fosse sábado
    Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
    Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
    Dançou e gargalhou como se ouvisse música
    E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
    E flutuou no ar como se fosse um pássaro
    E se acabou no chão feito um pacote flácido
    Agonizou no meio do passeio público
    Morreu na contramão atrapalhando o tráfego.

    (...)

    (Texto retirado do site: http://www.vagalume.com.br/chico-buarque/construcao.html)

    Observe o tempo em que a maior parte dos verbos aparece na letra de Chico Buarque: “amou", “beijou", “atravessou", “subiu", etc. Qual é a relação do uso desse pretérito e o sentido do texto?
  • 8 - Q5562.   Eca - Nível Médio - Inspetor de Alunos - Prefeitura de Santo André SP - CAIPIMES - 2011
  • As medidas de proteção à criança e ao adolescente são aplicáveis sempre que os direitos reconhecidos no Estatuto forem ameaçados ou violados:

    1 - por ação ou omissão da sociedade ou do Estado.
    2 - por falta, omissão ou abuso dos pais ou responsável.
    3 - em razão de sua conduta.

    Constam do Estatuto:
  • 10 - Q61315.   Português - Interpretação de Textos - Nível Fundamental - Atendente de Copa e Cozinha - Prefeitura de Santo André SP - IBAM - 2015
  • Adidas corre para corrigir erro gramatical em camisa comemorativa do Palmeiras

    Martin Fernandez


    A Adidas, fornecedora de material esportivo do Palmeiras, corre contra o tempo para confeccionar novas camisas para os jogadores do time, que nesta quarta-feira inaugura o seu novo estádio em partida contra o Sport, às 22h, pelo Campeonato Brasileiro. A empresa produziu uma peça especial para a festa desta noite, mas o uniforme divulgado tinha um erro de português.

    Ao redor do distintivo, a frase “o bom filho à casa torna" foi escrita equivocadamente com o acento grave, que representa crase, na preposição “a" - a crase é a junção de duas vogais, utilizada, por exemplo, quando se funde o artigo feminino “a" com a preposição “a".

    - Não deveria ter (crase na frase da camisa). Quando se refere a sua própria casa, não existe o artigo. Você sai de casa, passa em casa. O curioso é que se fosse qualquer outra casa, a do vizinho, a da sogra, a do São Paulo, aí haveria o artigo - explica o professor Sérgio Nogueira.

    A Adidas está rastreando a fonte do erro. Algumas camisas foram produzidas com a falha, mas, segundo a empresa, nenhuma chegou às lojas Ainda não se sabe o que será feito com essas peças.

    (Martin Fernandez, em 19 de novembro de 2014. Texto retirado do Blog Bastidores FC: http://globoesporte.globo.com/ blogs/especial-blog/bastidores-fc/post/adidas-corre-para-corrigir-erro-gramatical-em-camisa-comemorativa-do-palmeiras.html)

    Observe a seguinte frase escrita pelo autor da notícia: “Algumas camisas foram produzidas com a falha, mas, segundo a empresa, nenhuma chegou às lojas". O que justifica o fato de, nesse caso, o uso da crase ser obrigatório, segundo a norma-padrão da língua portuguesa?