Questões de Concursos TRF 3a

Resolva Questões de Concursos TRF 3a Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 44562.   Direito Penal - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • A respeito dos Crimes contra a Administração pública,
  • 2 - Questão 44549.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Para responder a questão considere o texto abaixo. 

    Cidades inteligentes, até demais 

    O conceito de “cidade inteligente” se popularizou como estratégia de solução e gerenciamento de problemas urbanos. Diz respeito à confluência de informação que circula em grandes cidades e ao uso da tecnologia para automatizar a gestão de setores urbanos, desde bases de dados de saúde e educação públicas, por exemplo, até os dados pessoais que circulam em redes sociais e aplicativos móveis. O advogado Cristiano Therrien, pesquisador em Direito da Tecnologia na Universidade de Montreal, no Canadá, conversou com o Observatório da Privacidade e Vigilância sobre o tema.

    Observatório da Privacidade e Vigilância: O que é uma cidade inteligente?

    Cristiano Therrien: Cidades inteligentes, cidades conectadas, cibercidades, cidades responsivas, são muitas as nomenclaturas usadas para destacar a dimensão informativa da cidade. Quando usamos essa terminologia, falamos da cidade enquanto um espaço de fluxos. A maioria das tecnologias necessárias para as cidades inteligentes já são viáveis economicamente em todo o mundo − fácil acessibilidade da computação em nuvem, dispositivos baratos de internet, sistemas de TI cada vez mais flexíveis. As duas cidades mais destacadas nos estudos de cidades inteligentes são Londres e Barcelona. Há experiências importantes em cidades brasileiras também. 

    OPV: A ideia de cidade inteligente sempre aparece relacionada à abertura de bases de dados por parte dos órgãos públicos. Você pode falar sobre isso? 

    CT: Encontramos muitas experiências diferentes em andamento nas cidades: uma parte prioriza a transparência como meio de prestação de contas e responsabilidade política frente à sociedade civil, como a ideia de governo aberto; outra parte prioriza a participação popular através da interatividade, bem como a cooperação técnica para o reuso de dados abertos por entidades e empresas. 

    Mas, se pensarmos na alternativa de projetos de cidades inteligentes que não envolvam políticas públicas de dados abertos, que não prestem conta detalhada de suas atividades, ao mesmo tempo em que disponham dos sofisticados sistemas para o gerenciamento de dados de cidadãos em larga escala, encontraremos condições para o surgimento de um estado de vigilância e controle, pondo em risco as liberdades individuais. 

    Em nome da eficiência administrativa, podem-se armazenar, por exemplo, enormes massas de dados de mobilidade urbana (placas e identificação por radiofrequência em veículos, passes e GPS em ônibus), cujos bancos de dados podem ou não intencionalmente identificar seus usuários. Dados de mobilidade são de grande utilidade pública e podem ser “anonimizados” (ter os seus identificadores pessoais eliminados) e abertos. Contudo, existem estudos que apontam que bastariam meros quatro pontos de dados para identificar os movimentos de uma pessoa na cidade.

    (Adaptado de: “Observatório da Privacidade e Vigilância”. Disponível em: www.cartacapital.com.br/sociedade/cidades-inteligentes-atedemais. Acesso em: 18.01.2016.) 
  • No contexto da frase, o segmento sublinhado tem seu sentido expresso entre colchetes em:
  • 4 - Questão 44505.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Os desenhos técnicos, a serem elaborados para o projeto executivo de urbanização de uma praça, deverão ser entregues nos formatos A2 e A1 cujas dimensões deverão ser, em milímetros, respectivamente, iguais a
  • 5 - Questão 44507.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Para a locação de obras é necessário conhecer as coordenadas dos vértices do terreno e da edificação, normalmente determinadas a partir da locação de uma poligonal topográfica. Em um levantamento topográfico, determina-se o azimute inicial no primeiro alinhamento da poligonal com o objetivo de orientar o levantamento. Em um levantamento de uma poligonal com os vértices A, B e C, são conhecidos o azimute entre o alinhamento A-B (AzAB = 125°20’25’’) e o rumo entre os alinhamentos B e C (RBC = 30°30’30’’ SO). O azimute entre os alinhamentos B e C (AZBC) é igual a
  • 6 - Questão 44527.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • No planejamento da construção de uma nova edificação, devem ser previstos serviços iniciais, como levantamento topográfico e serviços geotécnicos, para subsídio do projeto executivo. Os serviços geotécnicos correspondem à execução de sondagens e análise dos resultados, para escolha do tipo de fundação a ser adotada. Para uma edificação cuja área de projeção é igual a 1.400 m2, o número de furos de sondagens a ser executado conforme a norma brasileira é
  • 7 - Questão 44517.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Na elaboração do orçamento de uma obra de implantação de uma edificação de pequeno porte verificou-se que para a implantação da estrutura e concreto armado seria necessária a implantação de formas. Para a quantificação deste material e posterior orçamento, sem considerar a necessidade de cimbramento, a unidade utilizada deve ser
  • 8 - Questão 44534.   Engenharia Civil - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • A dosagem do concreto é realizada tal que a proporção dos materiais constituintes permita a obtenção de concretos com a resistência especificada pelo projetista. Em um traço 1:3:4:0,5, os números 1, 3 e 4 significam, respectivamente, frações de
  • 9 - Questão 44564.   Direito Administrativo - Nível Médio - Técnico Judiciário Edificações - TRF 3a - FCC - 2017
  • Francisco é servidor público do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, tendo sido processado administrativamente em razão da prática de conduta sujeita à penalidade de suspensão. No curso do processo disciplinar, Francisco preencheu os requisitos legais para sua aposentadoria. Em razão disso, pleiteou à autoridade competente a extinção do processo disciplinar e a concessão da aposentadoria. Nos termos da Lei no 8.112/1990,