Questões de Concursos TRT PB

Resolva Questões de Concursos TRT PB Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 2 - Q37424.   Direito Administrativo - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • O Tribunal contratou, mediante prévio procedimento licitatório, serviço de fornecimento de refeição a seus funcionários. No curso do contrato, a empresa contratada solicitou o reajustamento dos preços praticados, em função do aumento dos insumos e da sua folha de pessoal em razão de dissídio coletivo da categoria. De acordo com as disposições aplicáveis da Lei n° 8.666/93,
  • 3 - Q37435.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • Hoje, aos 88 anos, o sociólogo polonês Zygmunt Bauman é considerado um dos pensadores mais eminentes do declínio da civilização. Bauman é autor do conceito de “modernidade líquida”. Com a ideia de “liquidez”, ele tenta explicar a Luís A. Giron as mudanças profundas que a civilização vem sofrendo com a globalização e o impacto da tecnologia da informação. 

    L.A.G. − De acordo com sua análise, as pessoas vivem um senso de desorientação. Perdemos a fé em nós mesmos? 
    Zygmunt Bauman − Ainda que a proclamação do “fim da história” de Francis Fukuyama não faça sentido, podemos falar legitimamente do “fim do futuro”. Durante toda a era moderna, nossos ancestrais avaliaram a virtude de suas realizações pela crescente (genuína ou suposta) proximidade de uma linha final, o modelo da sociedade que queriam estabelecer. A visão do futuro guiava o presente. Nossos contemporâneos vivem sem esse futuro, de modo que estamos mais descuidados, ignorantes e negligentes quanto ao que virá. Fomos repelidos pelos atalhos do dia de hoje. 

    L.A.G. − As redes sociais aumentaram sua força na internet como ferramentas eficazes de mobilização. Como o senhor analisa o surgimento de uma sociedade em rede?
    Bauman − As redes sociais eram atividades de difícil implementação entre as comunidades do passado. De algum modo, elas continuam assim dentro do mundo off-line. No mundo interligado, porém, as interações sociais ganharam a aparência de brinquedo de crianças rápidas. Não parece haver esforço na parcela on-line, virtual, de nossa experiência de vida. Hoje, assistimos à tendência de adaptar nossas interações na vida real (off-line), como se imitássemos o padrão de conforto que experimentamos quando estamos no mundo on-line da internet. 

    L.A.G. − Como o senhor vê a nova onda de protestos no Oriente Médio, nos Estados Unidos e na América Latina, que aumentou nos últimos anos? 
    Bauman − Se Marx e Engels escrevessem o Manifesto Comunista hoje, teriam de substituir a célebre frase inicial – “Um espectro ronda a Europa − o espectro do comunismo” − pela seguinte: “Um espectro ronda o planeta − o espectro da indignação”. Esse novo espectro comprova a novidade de nossa situação em relação ao ano de 1848, quando Marx e Engels publicaram o Manifesto. Faltam-nos precedentes históricos para aprender com os protestos de massa e seguir adiante. Ainda estamos tateando no escuro.

    L.A.G. − O senhor afirma que as elites adotaram uma atitude de máximo de tolerância com o mínimo de seletividade. Qual a razão dessa atitude? 
    Bauman − Em relação ao domínio das escolhas culturais, a resposta é que não há mais autoconfiança quanto ao valor intrínseco das ofertas culturais disponíveis. Ao mesmo tempo, as elites renunciaram às ambições passadas de empreender uma missão iluminadora da cultura. Hoje, as elites medem sua superioridade cultural pela capacidade de devorar tudo. 

    L.A.G. − Como diz o crítico George Steiner, os produtos culturais hoje visam ao máximo impacto e à obsolescência instantânea. Há uma saída para salvar a arte como uma experiência humana importante? 
    Bauman − Esses produtos se comportam como o resto do mercado. Voltam-se para as vendas na sociedade dos consumidores. Uma vez que a busca pelo lucro continua a ser o motor mais importante da economia, há pouca oportunidade para que os objetos de arte cessem de obedecer à sentença de Steiner. 

    L.A.G. − Seus livros parecem pessimistas, talvez porque abram demais os olhos dos leitores. O senhor é pessimista? 
    Bauman − A meu ver, os otimistas acreditam que este mundo é o melhor possível, ao passo que os pessimistas suspeitam que os otimistas podem estar certos... Mas acredito que essa classificação binária de atitudes não é exaustiva. Existe uma terceira categoria: pessoas com esperança. Eu me coloco nessa terceira categoria.

    (Adaptado da entrevista de: GIRON, Luís Antônio, publicada na revista Época. 19/02/2014. Disponível em http://epoca.globo.com) 
  • Ao mesmo tempo, as elites renunciaram às ambições passadas...

    O verbo que, no contexto, exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima está empregado em:
  • 4 - Q37445.   Administração - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • O denominado Ciclo PDCA,
  • 5 - Q37441.   Português - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  •       Em 1973, um livro afirmou que as plantas são seres sencientes que têm emoções, preferem música clássica a rock"n"roll e podem reagir a pensamentos não expressos verbalmente de seres humanos a centenas de quilômetros de distância. Entrou para a lista de best-sellers do New York Times, na categoria não ficção.
          A Vida Secreta das Plantas, de Peter Tompkins e Christopher Bird, apresentou uma fascinante miscelânea de ciência botânica autêntica, experimentos fajutos e culto místico da natureza, que arrebatou a imaginação do público numa época em que o ideário new age começava a ser assimilado pela cultura dominante. As passagens mais memoráveis descreviam os experimentos de Cleve Backster, um ex-agente da CIA especialista em detectores de mentiras. Em 1966, porque lhe deu na veneta, Bakster ligou um galvanômetro - medidor de correntes elétricas - à folha de uma dracena plantada num vaso do seu escritório. Ficou pasmo ao constatar que, quando ele imaginava a dracena pegando fogo, a agulha do polígrafo se mexia, registrando um surto de atividade elétrica indicador de que a planta sentia estresse. “A planta leu a mente dele?", indagam os autores. Backster teve vontade de sair pelas ruas gritando: “As plantas pensam!"
          Nos anos seguintes, vários botânicos sérios tentaram em vão reproduzir o “efeito Backster". Boa parte da ciência em A Vida Secreta das Plantas caiu em descrédito. Mas o livro deixou sua marca na cultura. Norte-americanos começaram a conversar com plantas e a tocar Mozart para elas, e sem dúvida muitos ainda o fazem. Isso pode parecer inofensivo - provavelmente sempre haverá uma veia sentimentalista a influenciar nosso modo de ver as plantas -, mas, na opinião de muitos botânicos, esse livro causou danos duradouros a sua área de estudo. Segundo o biólogo Daniel Chamovitz, Tompkins e Bird foram responsáveis por emperrar “importantes pesquisas  sobre o comportamento das plantas, pois os cientistas passaram a desconfiar de qualquer estudo que sugerisse paralelos entre sentidos dos animais e sentidos dos vegetais”.

    (POLLAN, Michael. “A Planta Inteligente", In: Piauí, maio de 2014. p. 63-64)
  • A frase que pode ser corretamente transposta para a voz passiva encontra-se em:
  • 6 - Q37449.   Informática - Programação - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • O técnico de informática do TRT da 13ª Região deve instalar e configurar um novo Access Point padrão 802.11g, identificado pela letra (C), em um corredor que já possui instalados dois Access Points padrão 802.11g, identificados pelas letras (A) e (B), para melhorar a qualidade do sinal para as salas 3 e 4, conforme a figura abaixo. 
                         Sala 1           Sala 3             Sala 5
                 (A)                 (C)                   (B)      Corredor
                         Sala 2           Sala 4             Sala 6

    Sabendo-se que o Access Point (A) está configurado para utilizar o canal 1 e que o Access Point (B) está configurado para utilizar o canal 6, para que não haja sobreposição do sinal de radiofrequência dos canais, o Access Point (C) deve ser configurado para utilizar o canal
  • 7 - Q37458.   Informática - Segurança da Informação - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • Após a implantação do Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI) de acordo com a norma NBR ISO/IEC 27001: 2006, a equipe de técnicos em informática do TRT da 13ª Região deve Monitorar e Analisar criticamente o SGSI, que compreende a atividade de
  • 8 - Q37455.   Informática - Sistemas Operacionais - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • Mario, usuário comum de um computador com sistema operacional Linux Red Hat, executou o comando: ls –al no prompt de comando e obteve a seguinte informação, apresentada de forma parcial:

                          - rw - r -- r --     1 root root       326  Aug  15  2012   up datedb.conf
                          drwxr - xr - x   10 root root     4096  Oct  17  2012   X 1 1

    De acordo com as informações apresentadas, pode-se dizer que Mario
  • 9 - Q37443.   Português - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  •       Em 1973, um livro afirmou que as plantas são seres sencientes que têm emoções, preferem música clássica a rock"n"roll e podem reagir a pensamentos não expressos verbalmente de seres humanos a centenas de quilômetros de distância. Entrou para a lista de best-sellers do New York Times, na categoria não ficção.
          A Vida Secreta das Plantas, de Peter Tompkins e Christopher Bird, apresentou uma fascinante miscelânea de ciência botânica autêntica, experimentos fajutos e culto místico da natureza, que arrebatou a imaginação do público numa época em que o ideário new age começava a ser assimilado pela cultura dominante. As passagens mais memoráveis descreviam os experimentos de Cleve Backster, um ex-agente da CIA especialista em detectores de mentiras. Em 1966, porque lhe deu na veneta, Bakster ligou um galvanômetro - medidor de correntes elétricas - à folha de uma dracena plantada num vaso do seu escritório. Ficou pasmo ao constatar que, quando ele imaginava a dracena pegando fogo, a agulha do polígrafo se mexia, registrando um surto de atividade elétrica indicador de que a planta sentia estresse. “A planta leu a mente dele?", indagam os autores. Backster teve vontade de sair pelas ruas gritando: “As plantas pensam!"
          Nos anos seguintes, vários botânicos sérios tentaram em vão reproduzir o “efeito Backster". Boa parte da ciência em A Vida Secreta das Plantas caiu em descrédito. Mas o livro deixou sua marca na cultura. Norte-americanos começaram a conversar com plantas e a tocar Mozart para elas, e sem dúvida muitos ainda o fazem. Isso pode parecer inofensivo - provavelmente sempre haverá uma veia sentimentalista a influenciar nosso modo de ver as plantas -, mas, na opinião de muitos botânicos, esse livro causou danos duradouros a sua área de estudo. Segundo o biólogo Daniel Chamovitz, Tompkins e Bird foram responsáveis por emperrar “importantes pesquisas  sobre o comportamento das plantas, pois os cientistas passaram a desconfiar de qualquer estudo que sugerisse paralelos entre sentidos dos animais e sentidos dos vegetais”.

    (POLLAN, Michael. “A Planta Inteligente", In: Piauí, maio de 2014. p. 63-64)
  • Mantendo-se a correção e, em linhas gerais, o sentido original do texto, pode-se substituir
  • 10 - Q37427.   Direito Administrativo - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRT PB - FCC - 2014
  • Acerca das disposições contidas na legislação que disciplina as penas aplicáveis aos atos de improbidade administrativa, considere:

    I. Somente atinge agentes públicos e particulares a estes equiparados em função do exercício de múnus público.
    II. Alcança atos praticados em prejuízo do patrimônio de entidades privadas que contem com a participação pública ainda que a título de subvenção.
    III. Absorve as sanções civis e administrativas previstas para o mesmo ato, porém não exclui a responsabilidade penal do agente.

    Está correto o que consta APENAS em