Questões de Concursos UNESP

Resolva Questões de Concursos UNESP Grátis. Exercícios com Perguntas e Respostas. Provas Online com Gabarito.

  • 1 - Questão 49788.   Matemática - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  • O tempo de uma viagem foi de 2 horas e 20 minutos, com o veículo trafegando a uma velocidade média de 72 km/h. Na volta, o mesmo trajeto foi percorrido em 3 horas e 30 minutos. A diferença entre a velocidade média do veículo na ida e a velocidade média do veículo na volta é igual a
  • 2 - Questão 49778.   Português - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  •                              Fogo e Madeira

          Não foi pouco para um único dia de fiscalização. Dois caminhões, um trator, uma camionete e uma pá carregadeira foram inutilizados pelo Ibama*, por servirem à extração ilegal de madeira na divisa entre Rondônia e Mato Grosso.
          Embora os agentes do instituto tivessem o que comemorar, seria incorreto qualificar como êxito o que ocorreu – pelo menos de uma perspectiva mais alongada no tempo.
          A facilidade com que se encontraram sinais flagrantes de desmatamento nada mais revela do que o extremo de sem- -cerimônia dos madeireiros ilegais na Amazônia.
          Autorizada por decreto de 2008, a destruição dos equipamentos empregados nessa atividade predatória parece ser uma das poucas punições efetivamente ressentidas pelos infratores. Levada a cabo por meio de helicópteros, a ação do Ibama afugenta, pelo mero estardalhaço de sua aproximação, os responsáveis diretos pelo crime.
          Porém, mal os helicópteros levantam voo novamente, o desmatamento prossegue. Operações dessa monta se fazem de raro em raro, e os madeireiros não chegam a abalar-se da área protegida.
          Além da óbvia extensão da floresta, outros fatores tornam complexa a fiscalização. Madeireiros possuem, por exemplo, licença para a exploração sustentável do recurso natural, mas a utilizam para enveredar em áreas protegidas.
          Iniciativas mais extensas e difíceis, mas de maior alcance, envolveriam o engajamento da população em outras atividades atraentes do ponto de vista econômico. A falta de alternativas de trabalho sem dúvida explica por que madeireiros ilegais encontram algum apoio entre os habitantes da região.
          Ainda que fulgurante, a ação de poucos fiscais será incapaz de interromper o desmatamento.
    * Ibama: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

                                                                   (Folha de S.Paulo, 24.12.2016. Adaptado)
  • Nas passagens “A facilidade com que se encontraram sinais flagrantes de desmatamento…” (3° parágrafo) e “Operações dessa monta se fazem de raro em raro…” (5° parágrafo), os termos em destaque significam, respectivamente:
  • 3 - Questão 49789.   Matemática - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  • Com 48 kg de comida estocada, 15 pessoas podem permanecer isoladas durante 28 dias. Considerando que haja proporcionalidade de consumo, com 60 kg de comida estocada, 35 pessoas podem permanecer isoladas durante um número de dias igual a
  • 5 - Questão 49794.   Direito Constitucional - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  • Conforme estabelece a Constituição Federal, são dois exemplos de cargos públicos privativos de brasileiro nato:
  • 6 - Questão 49777.   Português - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  •                              Fogo e Madeira

          Não foi pouco para um único dia de fiscalização. Dois caminhões, um trator, uma camionete e uma pá carregadeira foram inutilizados pelo Ibama*, por servirem à extração ilegal de madeira na divisa entre Rondônia e Mato Grosso.
          Embora os agentes do instituto tivessem o que comemorar, seria incorreto qualificar como êxito o que ocorreu – pelo menos de uma perspectiva mais alongada no tempo.
          A facilidade com que se encontraram sinais flagrantes de desmatamento nada mais revela do que o extremo de sem- -cerimônia dos madeireiros ilegais na Amazônia.
          Autorizada por decreto de 2008, a destruição dos equipamentos empregados nessa atividade predatória parece ser uma das poucas punições efetivamente ressentidas pelos infratores. Levada a cabo por meio de helicópteros, a ação do Ibama afugenta, pelo mero estardalhaço de sua aproximação, os responsáveis diretos pelo crime.
          Porém, mal os helicópteros levantam voo novamente, o desmatamento prossegue. Operações dessa monta se fazem de raro em raro, e os madeireiros não chegam a abalar-se da área protegida.
          Além da óbvia extensão da floresta, outros fatores tornam complexa a fiscalização. Madeireiros possuem, por exemplo, licença para a exploração sustentável do recurso natural, mas a utilizam para enveredar em áreas protegidas.
          Iniciativas mais extensas e difíceis, mas de maior alcance, envolveriam o engajamento da população em outras atividades atraentes do ponto de vista econômico. A falta de alternativas de trabalho sem dúvida explica por que madeireiros ilegais encontram algum apoio entre os habitantes da região.
          Ainda que fulgurante, a ação de poucos fiscais será incapaz de interromper o desmatamento.
    * Ibama: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

                                                                   (Folha de S.Paulo, 24.12.2016. Adaptado)
  • Assinale a alternativa em que a reescrita do período “Além da óbvia extensão da floresta, outros fatores tornam complexa a fiscalização.” (6° parágrafo) está correta quanto à concordância, de acordo com a norma-padrão.
  • 8 - Questão 49775.   Português - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  •                              Fogo e Madeira

          Não foi pouco para um único dia de fiscalização. Dois caminhões, um trator, uma camionete e uma pá carregadeira foram inutilizados pelo Ibama*, por servirem à extração ilegal de madeira na divisa entre Rondônia e Mato Grosso.
          Embora os agentes do instituto tivessem o que comemorar, seria incorreto qualificar como êxito o que ocorreu – pelo menos de uma perspectiva mais alongada no tempo.
          A facilidade com que se encontraram sinais flagrantes de desmatamento nada mais revela do que o extremo de sem- -cerimônia dos madeireiros ilegais na Amazônia.
          Autorizada por decreto de 2008, a destruição dos equipamentos empregados nessa atividade predatória parece ser uma das poucas punições efetivamente ressentidas pelos infratores. Levada a cabo por meio de helicópteros, a ação do Ibama afugenta, pelo mero estardalhaço de sua aproximação, os responsáveis diretos pelo crime.
          Porém, mal os helicópteros levantam voo novamente, o desmatamento prossegue. Operações dessa monta se fazem de raro em raro, e os madeireiros não chegam a abalar-se da área protegida.
          Além da óbvia extensão da floresta, outros fatores tornam complexa a fiscalização. Madeireiros possuem, por exemplo, licença para a exploração sustentável do recurso natural, mas a utilizam para enveredar em áreas protegidas.
          Iniciativas mais extensas e difíceis, mas de maior alcance, envolveriam o engajamento da população em outras atividades atraentes do ponto de vista econômico. A falta de alternativas de trabalho sem dúvida explica por que madeireiros ilegais encontram algum apoio entre os habitantes da região.
          Ainda que fulgurante, a ação de poucos fiscais será incapaz de interromper o desmatamento.
    * Ibama: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

                                                                   (Folha de S.Paulo, 24.12.2016. Adaptado)
  • Nas passagens “… pelo mero estardalhaço de sua aproximação…” (4° parágrafo) e “… mas a utilizam para enveredar em áreas protegidas.” (6° parágrafo), os pronomes em destaque retomam, correta e respectivamente, as expressões
  • 10 - Questão 49784.   Matemática - Nível Médio - Assistente Administrativo - UNESP - VUNESP - 2017
  • As duas rodas gigantes de um parque de diversões giram em velocidades diferentes. Uma delas gasta 50 segundos para dar uma volta, e a outra gasta 40 segundos para também dar uma volta. Se as duas rodas ficassem girando sem parar durante uma hora, o número de voltas somadas que as duas rodas fariam é igual a