← Mais simulados

Simulado: Banco da Amazônia - Redes de Computadores - Gerência de Redes - CESPE - Questões

Simulado com Questões da Prova - Banco da Amazônia - Redes de Computadores - Gerência de Redes - CESPE. Ao Terminar de Resolver, Clique em Corrigir para ver o Gabarito.

1 resolveram
82% acertos
Muito fácil
0 gabaritaram
1 ótimo
0 bom
0 regular
0 péssimo
Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

No ciclo de vida da gerência de identidade, o gerenciamento de políticas de direitos de acesso é uma atividade que deve ocorrer antes do provisionamento do usuário.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

O funcionamento das ferramentas para monitoramento de desempenho de serviços em redes fim a fim depende do controle de configuração de dispositivos, e essas ferramentas enquadram-se melhor como pertinentes à área P do modelo FCAPS.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

RADIUS, TACACS+ e Diameter são protocolos que oferecem suporte a ferramentas pertinentes à área A do modelo FCAPS.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

No contexto de ferramentas de gerência de redes heterogêneas, a instalação de mediadores é feita apenas nos casos de se usar protocolos de comunicação síncrona entre o mediador e a estação central.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

Wiring centers, patch panels e fitas sensoras são exemplos de elementos que aparecem com frequência em ferramentas de gerência de patches.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

O provisionamento de sistemas em rede, como atividade rotineira, deverá dar maior foco à configuração dos elementos terminais de uma rede que à dos elementos centrais.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

Ferramentas que usam a linguagem SAML (security assertion markup language) apresentam potencial de uso na gerência de identidade, pois essa linguagem permite a troca de dados de autenticação e autorização entre domínios de segurança, inclusive dentro da tecnologia active directory.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

Ferramentas de gerenciamento de redes que realizam ações de descoberta e mapeamento enquadram-se na área C do modelo FCAPS (fault, configuration, accounting, performance, security) da ITU-T. As informações por elas geradas incluem: conectividade em nível de rede, segmentos, nós e interfaces MAC.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

O centro de comando e controle de uma solução de gerenciamento de redes pode realizar a coleta e o processamento de dados recebidos via protocolo SNMP, bem como pode delegar tais atividades para outras estações de coleta.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

A tecnologia JMX (Java management extensions), disponível como elemento para a construção de ferramentas de gerenciamento, foi projetada para auxiliar, de forma geral, na gerência de aplicações, mas também pode ser usada na gerência de redes.

Texto associado.

A gerência de infraestrutura de tecnologia da informação (TI)
envolve a articulação de diversas ações especializadas de gerência,
como as de aplicações, de ativos, de identidade, de redes de
computadores, de patches, de sistemas e outras. Devido à crescente
complexidade dos ambientes de TI, essas ações necessitam, em
maior extensão possível, ser automatizadas por meio de
ferramentas. Uma ampla gama de ferramentas apresenta-se no
mercado, e várias delas aplicam-se a uma ou mais das gerências
especializadas acima citadas. Com foco mais específico na gerência
de redes, existe ainda um conjunto de esforços de padronização em
modelos de interoperabilidade de dados para permitir que diversas
ferramentas de fabricantes distintos possam ser integradas em um
ambiente distribuído e heterogêneo. Acerca de ferramentas
automatizadas de gestão de infraestrutura, tecnologias e protocolos
pertinentes às referidas ações especializadas, julgue os itens de
106 a117.

A atividade de monitoramento é enquadrada como pertinente à área F do modelo FCAPS, e vários eventos em uma rede podem sujeitar um sistema de monitoramento a ter de lidar com um volume excessivo de notificações, o qual pode ser caracterizado como uma "tempestade".

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.