← Mais simulados

Simulado: SES DF - Enfermagem - Doenças Cardiovasculares - IADES - Questões

Simulado com Questões da Prova - SES DF - Enfermagem - Doenças Cardiovasculares - IADES. Ao Terminar de Resolver, Clique em Corrigir para ver o Gabarito.

5 resolveram
56% acertos
Médio
0 gabaritaram
0 ótimo
4 bom
1 regular
0 péssimo

A aterosclerose é uma doença inflamatória crônica das artérias, que ocorre principalmente mediante o processo contínuo de lesões da parede arterial. Em humanos, essas lesões geralmente podem ser encontradas na aorta na primeira década de vida, nas artérias coronárias na segunda década e nas artérias cerebrais na terceira ou na quarta décadas. A formação das placas pode se tornar cada vez mais complexa, com ulceração na superfície luminal e hemorragia de pequenos vasos que crescem na lesão a partir da parede média do vaso sanguíneo.

Acerca desse assunto e com base nos conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

No idoso de até 75 anos de idade, o tratamento da dislipidemia segue as mesmas orientações direcionadas para o não idoso.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

Nesse caso, com alta suspeita clínica segundo valores de BNP e NT-proBNP, caso a ultrassonografia e o ecocardiograma de tórax sejam negativos, e os raios X de tórax apresentem-se sem congestão, é importante fazer uma avaliação de outras possíveis causas para a dispneia.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

O ultrassom de tórax é um instrumento usado como complemento da avaliação clínica à beira leito. Esse instrumento pode ser manuseado por não especialista em ecocardiografia, além de ter alta acurácia na detecção de congestão pulmonar e sistêmica.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

O captopril pode ser usado no tratamento farmacológico da insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida.

A fibrilação atrial caracteriza-se por excitação de alta frequência do átrio, que resulta em contração atrial dessincronizada e irregularidade da excitação ventricular. A maioria dos casos de fibrilação atrial não é genética e está relacionada a doenças cardiovasculares subjacentes. Normalmente, um gatilho inicial excita um foco ectópico nos átrios, mais comumente em torno da área das veias pulmonares, e permite um disparo não sincronizado de impulsos elétricos, levando à fibrilação dos átrios.

Com relação a esse assunto, julgue o item a seguir.

A cardioversão elétrica pode ser indicada após anticoagulação por, no mínimo, três semanas com uso de varfarina ou rivaroxabana.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está entre as condições médicas crônicas mais comuns, caracterizada por uma elevação persistente da pressão arterial. A hipertensão tem sido uma das comorbidades mais significativas da atualidade, contribuindo para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal.
Quanto à hipertensão arterial, julgue o item a seguir.
Na terapia medicamentosa da HAS, recomenda-se a associação de inibidores da ECA a bloqueadores dos receptores da angiotensina.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

Pacientes com disfunção do ventrículo esquerdo, que apresenta fração de ejeção do ventrículo esquerdo < 40%, e com contraindicação ao uso de inibidores da ECA ou a bloqueadores de receptores da angiotensina não podem ter, em sua substituição, a prescrição de hidralazina e nitrato.

A fibrilação atrial caracteriza-se por excitação de alta frequência do átrio, que resulta em contração atrial dessincronizada e irregularidade da excitação ventricular. A maioria dos casos de fibrilação atrial não é genética e está relacionada a doenças cardiovasculares subjacentes. Normalmente, um gatilho inicial excita um foco ectópico nos átrios, mais comumente em torno da área das veias pulmonares, e permite um disparo não sincronizado de impulsos elétricos, levando à fibrilação dos átrios.

Com relação a esse assunto, julgue o item a seguir.

Ao se realizar o eletrocardiograma, é comum ver a substituição das ondas P por um tremor de alta frequência da linha de base, o qual pode variar em forma e amplitude.

A aterosclerose é uma doença inflamatória crônica das artérias, que ocorre principalmente mediante o processo contínuo de lesões da parede arterial. Em humanos, essas lesões geralmente podem ser encontradas na aorta na primeira década de vida, nas artérias coronárias na segunda década e nas artérias cerebrais na terceira ou na quarta décadas. A formação das placas pode se tornar cada vez mais complexa, com ulceração na superfície luminal e hemorragia de pequenos vasos que crescem na lesão a partir da parede média do vaso sanguíneo. Acerca desse assunto e com base nos conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.
Na preparação para a avaliação laboratorial dos parâmetros lipídicos e das apolipoproteínas, recomenda-se ao paciente que mantenha o estado metabólico estável e reduza a dieta habitual uma semana antes da coleta.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

A abordagem da insuficiência cardíaca de estágio D considera transplante cardíaco e dispositivos de assistência ventricular.

A fibrilação atrial caracteriza-se por excitação de alta frequência do átrio, que resulta em contração atrial dessincronizada e irregularidade da excitação ventricular. A maioria dos casos de fibrilação atrial não é genética e está relacionada a doenças cardiovasculares subjacentes. Normalmente, um gatilho inicial excita um foco ectópico nos átrios, mais comumente em torno da área das veias pulmonares, e permite um disparo não sincronizado de impulsos elétricos, levando à fibrilação dos átrios.

Com relação a esse assunto, julgue o item a seguir.

Não existe associação da fibrilação atrial com o aumento do risco de acidente vascular encefálico e nem com a insuficiência cardíaca.

A fibrilação atrial caracteriza-se por excitação de alta frequência do átrio, que resulta em contração atrial dessincronizada e irregularidade da excitação ventricular. A maioria dos casos de fibrilação atrial não é genética e está relacionada a doenças cardiovasculares subjacentes. Normalmente, um gatilho inicial excita um foco ectópico nos átrios, mais comumente em torno da área das veias pulmonares, e permite um disparo não sincronizado de impulsos elétricos, levando à fibrilação dos átrios.

Com relação a esse assunto, julgue o item a seguir.

A fibrilação atrial persistente é aquela na qual a cardioversão falhou ou na qual se optou pela não reversão.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está entre as condições médicas crônicas mais comuns, caracterizada por uma elevação persistente da pressão arterial. A hipertensão tem sido uma das comorbidades mais significativas da atualidade, contribuindo para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal.
Quanto à hipertensão arterial, julgue o item a seguir.
Na avaliação clínica da hipertensão arterial, é importante a medição da pressão arterial nos dois braços.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

O suporte respiratório tem como objetivo a manutenção da SatO2 > 88% em ar ambiente e a redução do trabalho respiratório, tendo como opção de abordagem inicial a oxigenoterapia de alto fluxo.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está entre as condições médicas crônicas mais comuns, caracterizada por uma elevação persistente da pressão arterial. A hipertensão tem sido uma das comorbidades mais significativas da atualidade, contribuindo para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal.
Quanto à hipertensão arterial, julgue o item a seguir.
A presença de cefaleia, dor torácica atípica, dispneia, estresse psicológico agudo e síndrome de pânico, associados a pressão arterial elevada, pode ser caracterizada como uma urgência hipertensiva.

A fibrilação atrial caracteriza-se por excitação de alta frequência do átrio, que resulta em contração atrial dessincronizada e irregularidade da excitação ventricular. A maioria dos casos de fibrilação atrial não é genética e está relacionada a doenças cardiovasculares subjacentes. Normalmente, um gatilho inicial excita um foco ectópico nos átrios, mais comumente em torno da área das veias pulmonares, e permite um disparo não sincronizado de impulsos elétricos, levando à fibrilação dos átrios.

Com relação a esse assunto, julgue o item a seguir.

Antes do início da terapia medicamentosa com drogas antiarrítmicas, as possíveis causas reversíveis devem ser descartadas, e devem-se iniciar medidas não farmacológicas para o manejo clínico.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está entre as condições médicas crônicas mais comuns, caracterizada por uma elevação persistente da pressão arterial. A hipertensão tem sido uma das comorbidades mais significativas da atualidade, contribuindo para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal.
Quanto à hipertensão arterial, julgue o item a seguir.
O diagnóstico da pré-eclâmpsia ocorre quando a paciente tem hipertensão arterial após a 20a semana de gestação, associada a proteinúria significativa. Caso a paciente não apresente proteinúria significativa, o diagnóstico tem base em fatores como edema pulmonar, comprometimento renal, elevação das enzimas hepáticas, plaquetopenia, dor abdominal, turvação visual, cefaleia e distúrbios visuais ou cerebrais.

A aterosclerose é uma doença inflamatória crônica das artérias, que ocorre principalmente mediante o processo contínuo de lesões da parede arterial. Em humanos, essas lesões geralmente podem ser encontradas na aorta na primeira década de vida, nas artérias coronárias na segunda década e nas artérias cerebrais na terceira ou na quarta décadas. A formação das placas pode se tornar cada vez mais complexa, com ulceração na superfície luminal e hemorragia de pequenos vasos que crescem na lesão a partir da parede média do vaso sanguíneo.

Acerca desse assunto e com base nos conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

Existe uma relação entre a prática de exercícios físicos e a aterosclerose, uma vez que predominará a participação do metabolismo aeróbico na realização de uma atividade prolongada que usa grandes grupos musculares, com o indivíduo permanecendo confortável e, assim, sincronizando o movimento do corpo e a ventilação pulmonar.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está entre as condições médicas crônicas mais comuns, caracterizada por uma elevação persistente da pressão arterial. A hipertensão tem sido uma das comorbidades mais significativas da atualidade, contribuindo para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal.
Quanto à hipertensão arterial, julgue o item a seguir.
Para avaliação primária de um paciente com HAS, é importante a confirmação do diagnóstico, a identificação da causa secundária e a avaliação do risco cardiovascular.

Um paciente de 66 anos de idade, viúvo, dono de restaurante, tem insuficiência cardíaca com suspeita de fração de ejeção reduzida, peptídeo natriurético do tipo B (BNP) = 52 pg/mL, fração N-terminal do peptídeo natriurético do tipo B (NT-proBNP) = 127 pg/mL, alteração estrutural e disfunção sistólica. Teve duas internações nos últimos 12 meses, com duração entre 7 e 27 dias para tratamento de hepatomegalia congestiva. Hipertenso há 22 anos, tem disfunção no nó sinusal e anemia ferropriva e realizou cirurgia de revascularização do miocárdio há 10 anos. Há cinco anos, submeteu-se a uma angioplastia transluminal coronária percutânea com implante de stent. O paciente deu entrada no pronto-socorro (PS) apresentando dispneia, fadiga, dor abdominal, taquicardia e edema periférico. Os sintomas estão presentes há cerca de quatro horas e, por esse motivo, os filhos levaram o paciente para a unidade. No PS, ele apresenta FC = 122 bpm, FR = 22 irpm e SatO2 = 91%.

A respeito desse caso clínico e tendo em vista os conhecimentos correlatos, julgue o item a seguir.

Na insuficiência cardíaca crônica de classe II, o paciente, ao realizar atividades físicas menos intensas que as habituais, apresenta sintomas e limitação importante, porém permanece confortável em repouso.

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.