← Mais simulados

Simulado: SES DF - Terapia Ocupacional - Terapia Ocupacional na Atenção à Saúde - Questões

Simulado com Questões da Prova - SES DF - Terapia Ocupacional - Terapia Ocupacional na Atenção à Saúde. Ao Terminar de Resolver, Clique em Corrigir para ver o Gabarito.

1 resolveram
75% acertos
Fácil
0 gabaritaram
0 ótimo
1 bom
0 regular
0 péssimo
Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  
Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.
O terapeuta ocupacional pode ter a respectiva intervenção, com crianças e adolescentes em sofrimento psíquico, mediada por animais, pois estes são comprovadamente uma fonte de apoio social, além de facilitarem e promoverem o contato interpessoal.
Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

As relações entre pares e familiares próximos ao adolescente ou à criança podem ser desencadeadoras de estresse e contribuir para o sofrimento psíquico vivenciado, ou ser fatores protetivos ao gerarem sentimentos de segurança e de possibilidades de suporte e apoio.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

Os problemas de saúde mental em crianças e adolescentes costumam ser decorrentes de vários fatores, entre eles: problemas genéticos; desordens cerebrais; violências; adoção; abrigamento; e aspectos culturais e sociais.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

Para construir estratégias de prevenção da violência, o terapeuta ocupacional deve conduzir a respectiva ação por meio do reconhecimento e da compreensão do cotidiano e da história ocupacional dos adolescentes.

Uma criança de 7 anos de idade, com diagnóstico transtorno de deficit de atenção e hiperatividade compareceu com o pai no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi), próximo à respectiva residência. O genitor relata que a criança apresenta comportamento agressivo e agitação psicomotora, além da dificuldade de lidar com a rotina. Faz uso de risperidona com canabidiol. 

Considerando o caso exemplificativo e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O terapeuta ocupacional tem como alvo final a promoção do desenvolvimento infantil dentro do sistema educacional, seja pela atuação direta com a criança, seja por meio de capacitação dos educadores.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

A brincadeira pode ser utilizada pelo terapeuta ocupacional para avaliar o desenvolvimento cognitivo e físico, a comunicação, as habilidades sociais, a habilidade de resolução de problemas, a criatividade e a flexibilidade.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ) pode ser usado pelo terapeuta ocupacional para avaliar algumas áreas de desempenho de crianças ou adolescentes.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

Com a implantação da rede de serviços substitutivos, o terapeuta ocupacional tem uma prática voltada para atender os pacientes graves dentro da internação psiquiátrica.

Uma criança de 7 anos de idade, com diagnóstico transtorno de deficit de atenção e hiperatividade compareceu com o pai no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi), próximo à respectiva residência. O genitor relata que a criança apresenta comportamento agressivo e agitação psicomotora, além da dificuldade de lidar com a rotina. Faz uso de risperidona com canabidiol. 

Considerando o caso exemplificativo e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

Crianças apresentam comportamento na escola, por exemplo, com o fim de vivenciar aquilo que os respectivos lares não puderam oferecer: a possibilidade de uma expressão afetiva mais espontânea e o estabelecimento de limites.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

A percepção de que a adolescência é uma fase, por si só, problemática individualiza a questão e fragiliza a criação e a manutenção de redes de apoio, além de contribuir para o aumento das dificuldades no processo de busca de novas possibilidades para seguir a vida, potencializando, assim, o sofrimento psíquico.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O terapeuta ocupacional social deve estar aberto às necessidades do outro, e esse outro, contextualizado em relação a um meio que o produz e é produzido por ele, no qual o terapeuta ocupacional também participa e intervém.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O terapeuta ocupacional pode utilizar a atividade de teatro como recurso terapêutico com a população infantojuvenil, pois esta permite a manifestação de conteúdos grupais na respectiva horizontalidade (o acontecer grupal) e verticalidade (a história pessoal).

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O cerne da teoria de Piaget está na díade mãe-bebê. Não é possível haver um bebê sem que haja os cuidados maternos, em razão da “dependência absoluta”, marca dos primeiros meses de vida do bebê para com a mãe.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O cuidado ampliado em terapia ocupacional deve mapear as redes de suporte e proteção dos envolvidos, contribuindo para a construção e o fortalecimento de uma atenção interdisciplinar, intersetorial e em rede.

Uma criança de 7 anos de idade, com diagnóstico transtorno de deficit de atenção e hiperatividade compareceu com o pai no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi), próximo à respectiva residência. O genitor relata que a criança apresenta comportamento agressivo e agitação psicomotora, além da dificuldade de lidar com a rotina. Faz uso de risperidona com canabidiol. 

Considerando o caso exemplificativo e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O brincar facilita o acesso à atividade simbólica e à elaboração psíquica de vivências do cotidiano infantil.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

A Functional Independence Measure é uma bateria de testes elaborada para avaliar as capacidades cognitivas básicas de crianças e de adolescentes.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

A criação dos CAPSi e o direcionamento intersetorial constituem ações-chave para alavancar a montagem da rede pública ampliada de atenção em saúde mental da criança e do adolescente no País.

Uma criança de 9 anos de idade, com suspeita de transtorno do espectro autista e diagnóstico neuropsicológico de altas habilidades, compareceu com mãe no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) próximo à respectiva residência. Em acolhimento, apresentou sintomas de baixa autoestima, introspecção, dificuldade de tomar decisões, passividade excessiva e medo de exposições sociais. A genitora relata que a criança evita contato com outras crianças mesmo quando tem oportunidade de brincar.  

Levando em consideração o caso de caráter exemplificativo e quanto à atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

A Medida Canadense de Desempenho Ocupacional (COPM) foi construída para ser utilizada por terapeutas ocupacionais, com objetivo de detectar mudanças nos componentes de desempenho ocupacional ao longo do tempo.

Uma criança de 7 anos de idade, com diagnóstico transtorno de deficit de atenção e hiperatividade compareceu com o pai no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi), próximo à respectiva residência. O genitor relata que a criança apresenta comportamento agressivo e agitação psicomotora, além da dificuldade de lidar com a rotina. Faz uso de risperidona com canabidiol. 

Considerando o caso exemplificativo e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O brincar com o outro ressalta a importância das brincadeiras para a promoção da inclusão e transformação sociais, assim como para a convivência intercultural, inclusive em pátios escolares.

Um adolescente de 16 anos de idade compareceu ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) com a mãe, que relata que o adolescente teve o primeiro episódio psicótico em 2018, e ela nega questões psiquiátricas na família. Ele está concluindo ensino fundamental. Em acolhimento, o adolescente refere que sempre foi solitário, não tem amigos e não namora. É o mais novo de quatro irmãos. Apresentou-se ao exame psiquiátrico com aparência cuidada, orientado, desconfiado, lacônico, não verbalizando delírios nem alucinações. 

Considerando o caso de caráter motivador e com base na atuação da terapia ocupacional na saúde mental infantojuvenil, julgue o item a seguir.

O adolescente possui o próprio pensamento abstrato ainda em construção, o que favorece a linguagem da ação como uma forma de comunicação, e é por meio do fazer que o terapeuta ocupacional identifica essa peculiaridade e traduz a expressão.

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.