← Mais simulados

Simulado: SEE SP - Pedagogia - Supervisor Escolar - 2008 - iii

Ao Terminar de Resolver o Simulado, Clique em Corrigir para ver o Gabarito. Questões da Prova - SEE SP - Pedagogia - Supervisor Escolar - 2008 - iii.

328 resolveram
38% acertos
Difícil
3 gabaritaram
11 ótimo
96 bom
190 regular
31 péssimo

Ao tratar do multiculturalismo e seus contextos, Luiz A. O. Gonçalves e Petronilha B. Gonçalves e Silva (2002) destacam que, no Brasil
Cavalleiro (2001), ao tratar a presença de racismo, preconceito e discriminação, nas escolas brasileiras, afirma que
Em "A Religação dos Saberes - O desafio do século XXI", Morin (2004) dialoga com textos de inúmeros colaboradores sobre a produção do conhecimento, com pressupostos da dialógica ou lógica da complexidade, herdeira e superadora da lógica racional, da Ciência Moderna.

Considere o trecho que se segue do autor, para responder à questão abaixo.

Quando nos limitamos às disciplinas compartimentadas - ao vocabulário, à linguagem própria a cada disciplina -, temos a impressão de estar diante de um quebra-cabeças, cujas peças não conseguimos juntar a fim de compor uma figura. Mas, a partir do momento em que temos um certo número de instrumentos conceituais que permitem reorganizar os conhecimentos (...), temos a possibilidade de começar a descobrir o semblante de um conhecimento global, mas não para chegar a uma homogeneidade no sentido holista, uma homogeneidade que sacrifique a visão das coisas particulares e concretas em nome de uma espécie de névoa generalizada. Sem dúvida, é a relação que é a passarela permanente do conhecimento das partes ao do todo, do todo ao das partes (...).

Na doutrina de currículo que sustenta a proposta de organização e tratamento dos conteúdos para o Ensino Médio, tanto no Parecer CNE 15/1998, quanto nos fundamentos das Propostas Curriculares do Estado de São Paulo, encontramos a valorização de princípios coerentes com o pensamento de Morin. São eles:
Ao afirmar que a sociedade do século XXI é cada vez mais caracterizada pelo uso intensivo do conhecimento, seja para trabalhar, conviver ou exercer a cidadania; seja para cuidar do ambiente em que se vive e reconhecer as pressões que a contemporaneidade exerce sobre os jovens cidadãos, a Secretaria de Estado da Educação propõe princípios orientadores para a prática educativa no sentido de que os alunos sejam preparados para esse novo tempo (Proposta Curricular do Estado de São Paulo, 2008). Essa proposta
Um grupo de Supervisores de Ensino, ao orientar as escolas da Diretoria de Ensino a respeito de atitudes que podem prevenir problemas disciplinares (Stainback, 1999), enfatizou a importância de

I. dispor os móveis e equipamentos de sala de aula de forma que o professor tenha visão rápida da turma para detectar quando os alunos precisam de ajuda e que padrões de interação social ocorre entre eles.
II. ter como objetivo aumentar o tempo do aluno na tarefa.
III. envolver o aluno em tarefas relacionadas a coisas de seu interesse; a partir daí, estimulá-lo a descobrir novas informações, idéias e conceitos próprios de uma maneira estruturada e a compartilhar suas informações com os colegas.
IV. propor atividades, em maior número, a serem realizadas individualmente, para que o aluno possa testar suas próprias habilidades e ampliá-las, para sentir-se à altura do grupo.
V. adotar, na classe, uma atitude de estímulo para que cada aluno divida com o professor a responsabilidade de atingir seu objetivo de aprendizagem, o que pode fazer muito para concentrar sua atenção na aula.

Está de acordo com as estratégias apresentadas em Stainback (1999) o contido apenas em
Zabala (2002) afirma que "A resposta à função social que deve exercer o sistema educativo é o único meio para poder entender a pertinência e a relevância dos conteúdos disciplinares que devem ser objeto de aprendizagem e, como resultado dessa função, definir a melhor maneira de apresentar os conteúdos." Ainda, segundo o autor, a definição da função social do ensino se reveste de complexidade, pois
Analise as seguintes afirmações:

- Lá fui eu para uma escola (...) Tinha algumas idéias genéricas sobre o fato de que todas as crianças eram capazes de aprender e de que havia técnicas para ensinar. Passei a empregá-las. (...) alguém pensava procedimentos técnicos, passava-os como um pacote para o professor, que entrava na classe e executava. (Weisz, 2002)

- O professor é que precisa compreender o caminho da aprendizagem que o aluno está percorrendo naquele momento e, em função disso, identificar as informações e as atividades que permitam a ele avançar do patamar de conhecimento que já conquistou para outro mais evoluído. (Weisz, 2002)


Os dois recortes do relato de Weisz (2002) tratam de duas concepções distintas de aprendizagem que influenciam o ato de ensinar. Referem-se, respectivamente, às concepções:
Leia a proposição a seguir: Coll (1994) relata que investigações antropológicas e transculturais colocaram em relevo a universalidade das capacidades cognitivas básicas, como a capacidade de generalizar, recordar, formar conceitos, raciocinar logicamente etc, em todos os grupos culturais estudados. Afirma que as mesmas investigações evidenciam diferenças importantes na maneira de utilizar tais capacidades em situações concretas de resolução de problemas. Ao final, sugere que há alguns universais cognitivos, mas a sua colocação em prática efetiva depende da natureza das aprendizagens específicas que as experiências educacionais propiciam. As afirmações do autor nos permitem concluir que
A análise psicológica para a elaboração de um Modelo de Plano Curricular proposta por Coll (1994) apresenta dois princípios gerais que impregnam o Modelo analisado. Tomados em conjunto, estes princípios definem, segundo o autor, uma concepção construtivista de aprendizagem escolar que situa a atividade mental do aluno na base dos processos de desenvolvimento pessoal e
Martha Kohl, em Castorina, J. A. (2003), refletindo sobre as contribuições de Vygotsky para a educação e o ensino escolar, analisa a intervenção do outro social. De acordo com Vygotsky, pode-se entender essa intervenção como

Deixe seu comentário (2)

Foto de perfil vazia
Por Sandra Valéria Rocha de Carvalho Novaes em 02/09/2016 20:06:35
Realizar simulados é importante, pois podemos testar nosso conhecimento, e assim avançarmos o nível de aprendizagem.
Foto de perfil vazia
Por Weslaine Rodrigues marinho em 25/10/2015 19:11:39
achei muito proveitoso, pois possibilita um maior aprendizado para os estudantes de pedagogia , já que ajuda a testar os seus conhecimentos.