← Mais simulados

Simulado: Pesquisador INMETRO - Português - Prova CESPE

Ao Terminar de Resolver o Simulado, Clique em Corrigir para ver o Gabarito. Questões da Prova - Pesquisador INMETRO - Português - Prova CESPE .

1.448 resolveram
66% acertos
Médio
164 gabaritaram
494 ótimo
786 bom
134 regular
34 péssimo

Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
O traço comum que impossibilita a aplicação de sistemas de medidas para se medir a extensão do espaço e avaliar a eternidade é a infinitude desse espaço e da eternidade.
Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
Por meio do advérbio "Realmente" (L.4), o autor do texto exprime concordância com o enunciado de Pitágoras citado no primeiro parágrafo.
Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
Desfazendo-se as inversões sintáticas do primeiro período do segundo parágrafo, obtém-se, em ordem direta, a seguinte reescritura desse período: Outra noção de indiscutível importância, que é a base da razão e do entendimento, surge do número: é a noção de medida.
Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
Respeitando-se as normas gramaticais, seria possível reescrever o período iniciado com "Só" (l.9), flexionando-se a palavra "grandezas" (L.10) no singular, da seguinte forma: Só são, entretanto, suscetíveis de medida a grandeza que admite um elemento como base de comparação.
Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
O pronome "se" pode ser retirado do período "Será possível medir-se a extensão do espaço?" (L.11-12), assim como pode ser acrescentado ao período "Será possível avaliar a eternidade?" (L.14), formando avaliar-se, mantendo-se ambos os períodos gramaticalmente corretos.
Texto associado.
      Consultado por um discípulo sobre as forças
dominantes dos destinos dos homens, o grande sábio
Pitágoras respondeu: “Os números governam o mundo!”.
Realmente. O pensamento mais simples não pode ser
formulado sem nele se envolver, sob múltiplos aspectos,
o conceito fundamental do número.
     Do número, que é a base da razão e do
entendimento, surge outra noção de indiscutível
importância: é a noção de medida. Medir é comparar. Só
são, entretanto, suscetíveis de medida as grandezas que
admitem um elemento como base de comparação. Será
possível medir-se a extensão do espaço? De modo
nenhum. O espaço é infinito e, sendo assim, não admite
termo de comparação. Será possível avaliar a eternidade?
De modo nenhum. Dentro das possibilidades humanas, o
tempo é sempre infinito e, no cálculo da eternidade, não
pode o efêmero servir de unidade a avaliações.
     Em muitos casos, entretanto, ser-nos-á possível
representar uma grandeza que não se adapta aos sistemas
de medidas por outra que pode ser avaliada com
segurança e vigor. Essa permuta de grandeza, que visa
simplificar os processos de medida, constitui o objeto
principal de uma ciência que os homens denominam
Matemática.

Malba Tahan. O homem que calculava, cap. XI, p. 53 (com adaptações).

A respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.
Os predicados "é sempre infinito" (L.16) e "não pode o efêmero" (L.16-17) têm como sujeito o substantivo "tempo" (L.16).

Deixe seu comentário (13)

Foto de perfil Priscila de Oliveira Barboza
Por Priscila de Oliveira Barboza em 03/10/2017 21:22:56
Acertei todas!!!
Apesar de estar acostumada com questões da FGV, as da Cespe são bem elaboradas, a ponto de nos confundir. É necessário prestar bastante atenção no que se pede e analisar o texto.
Foto de perfil vazia
Por Renata em 12/04/2016 00:30:34
quase...foram questões muito boas...
Foto de perfil vazia
Por Danielle Bilhar Rodrigues em 08/01/2016 20:05:50
acertei 3 foi bom , só no meu entendimento, mais vou estudar mais
Foto de perfil Mauricio Mazza
Por Mauricio Mazza em 15/06/2015 21:49:34
Essa é a banca CESPE que conheço. Errei uma, que maldade.
Foto de perfil vazia
Por Ana Aparecida Valenzuela Autovicz em 19/09/2014 12:58:56
texto de díficil compreensão , questões de díficil entendimento ! legal pra se pensar mais
Foto de perfil vazia
Por RUTE COELHO DA SILVA em 19/02/2014 19:19:01
Quase gabaritei, se não fosse a falta de atenção...rsrsrs
Foto de perfil vazia
Por Renato Silva em 30/09/2013 20:12:19
Gabaritei, mas admito q a 6 foi na cagada...
Foto de perfil Fabiane Brito dos Santos
Por Fabiane Brito dos Santos em 28/08/2013 11:35:30
Quase gabaritei!
Prova boa!
Foto de perfil Luiz Clayton de Sousa
Por Luiz Clayton de Sousa em 23/04/2013 14:58:47
questões boas de pensar, 83%.
Foto de perfil Cristiano Silveira
Por Cristiano Silveira em 24/12/2012 13:14:55
Ah, errei a questão 5! Mas o texto é muito bom mesmo. :)
Foto de perfil Vivian Cristine Assunção  Alfredo
Por Vivian Cristine Assunção Alfredo em 12/04/2012 19:17:42
Muito cabeça esse texto.
Foto de perfil cristiano l. da silva
Por cristiano l. da silva em 21/01/2012 16:23:43
são boas essas questões da cespe
Foto de perfil vazia
Por CLEMENCIA PEREIRA em 09/08/2011 20:17:54
achei boas as prguntas