Simulado Assembleia Legislativa AM - Direito Constitucional - Procurador - 2011

Resolva 8 questões de Direito Constitucional Ensino Superior Banca ISAE. Teste seus Conhecimentos em Provas Online com Gabarito.

  • 78 Resolveram
  • 34% Acertos
  • 1 Gabaritaram
  • barra ótimo 1 Ótimo
  • barra qtd_bom 25 Bom
  • barra ruim32 Ruim
  • barra péssimo20 Péssimo
  • 1 - Questão 19739.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Com relação ao Mandado de Segurança, analise as afirmativas a seguir.

    I. Não cabe Mandado de Segurança contra decisão judicial com trânsito em julgado.

    II. Pedido de reconsideração na via administrativa interrompe o prazo para o Mandado de Segurança.

    III. A concessão de Mandado de Segurança produz efeitos patrimoniais em relação a período pretérito, não sendo necessário reclamar tais direitos administrativamente ou por outra via judicial.

    Assinale:
  • 2 - Questão 19740.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente ao Mandado de Injunção, analise as afirmativas a seguir.

    I. Conceder-se-á Mandado de Injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.

    II. Para ser cabível o Mandado de Injunção, não basta que haja eventual obstáculo ao exercício de direito ou liberdade constitucional em razão de omissão legislativa, mas concreta inviabilidade de sua plena fruição pelo seu titular.

    III. Uma vez editada a lei em relação à qual restou apontada omissão, tem-se a perda de objeto do Mandado de Injunção.

    Assinale:
  • 3 - Questão 19741.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente ao habeas corpus, analise as afirmativas a seguir.

    I. É inquestionável o direito de súditos estrangeiros ajuizarem, em causa própria, a ação de habeas corpus, eis que esse remédio constitucional – por qualificar-se como verdadeira ação popular – pode ser utilizado por qualquer pessoa, independentemente da condição jurídica resultante de sua origem nacional.

    II. Não cabe habeas corpus contra decisão condenatória à pena de multa, ou relativo a processo em curso por infração penal a que a pena pecuniária seja a única cominada.

    III. Não cabe habeas corpus quando já extinta a pena privativa de liberdade.

    Assinale:
  • 4 - Questão 19742.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente às Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), analise as afirmativas a seguir.

    I. O depoente em Comissão Parlamentar de Inquérito poderá fazer-se acompanhar de advogado, ainda que em reunião secreta.

    II. No exercício de suas atribuições, poderão as CPI’s determinar as diligências que reportarem necessárias e requerer a convocação de Ministros de Estado, tomar o depoimento de quaisquer autoridades federais, estaduais ou municipais, ouvir os indiciados, inquirir testemunhas sob compromisso, requisitar de repartições públicas e autárquicas informações e documentos, e transportar-se aos lugares onde se fizer mister a sua presença.

    III. As CPI’s apresentarão relatório de seus trabalhos à respectiva Câmara, concluindo por projeto de resolução.

    Assinale:
  • 5 - Questão 19743.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente às Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), analise as afirmativas a seguir.

    I. A possibilidade de criação de CPI está condicionada a investigar questões relacionadas à esfera de competência do Poder Legislativo respectivo: Câmara e Senado podem investigar questões relacionadas com a esfera federal de governo; Assembleias Legislativas com a esfera estadual; e, por fim, Câmaras de Vereadores hão de limitar-se às questões de competência do município.

    II. Não está compreendido entre os poderes da CPI a convocação de juiz para depor em CPI da Câmara dos Deputados sobre decisão judicial, por se caracterizar em indevida ingerência de um poder em outro.

    III. Salvo as hipóteses de flagrante delito, a CPI não tem poderes para decretar prisão, por se tratar de faculdade exclusiva de membros do Poder Judiciário.

    Assinale:
  • 6 - Questão 19744.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente às Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), analise as afirmativas a seguir.

    I. A CPI é competente para expedir decreto de indisponibilidade de bens de particular, provimento cautelar de eventual decisão futura.

    II. As comissões parlamentares de inquérito podem determinar a quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico devendo fundamentar sua decisão (exposição das razões pelas quais veio a ser determinada a medida).

    III. Não está no âmbito dos poderes da CPI a decretação de interceptação telefônica.

    Assinale:
  • 7 - Questão 19745.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente aos direitos e deveres individuais e coletivos, analise as afirmativas a seguir.

    I. O princípio constitucional da presunção da inocência recomenda que, em caso de fundada dúvida no momento da sentença, o juiz decida contra o réu, cabendo ao Tribunal, se provocado, reformar a sentença condenatória.

    II. Não viola o princípio constitucional da presunção da inocência, previsto no art. 5º, LVII, da CF, a exclusão de candidato de concurso público que responde a inquérito ou ação penal sem trânsito em julgado da sentença condenatória.

    III. O princípio da não culpabilidade exclui a execução da pena quando pendente recurso, muito embora sem eficácia suspensiva.

    Assinale:
  • 8 - Questão 19746.   Direito Constitucional - Nível Superior - Procurador - AL AM - ISAE - 2011
  • Relativamente aos direitos e deveres individuais e coletivos, analise as afirmativas a seguir.

    I. O privilégio contra a auto-incriminação – que é plenamente invocável perante as Comissões Parlamentares de Inquérito – traduz direito público subjetivo assegurado a qualquer pessoa, que, na condição de testemunha, de indiciado ou de réu, deva prestar depoimento perante órgãos do Poder Legislativo, do Poder Executivo ou do Poder Judiciário.

    II. É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo aos elementos de prova que, já documentados em procedimento investigatório realizado por órgão com competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.

    III. O privilégio contra a auto-incriminação, garantia constitucional, permite ao paciente o exercício do direito de silêncio, não estando, por essa razão, obrigado a fornecer os padrões vocais necessários a subsidiar prova pericial que entende lhe ser desfavorável.

    Assinale:

Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Não elaboramos as questões, apenas as transcrevemos de provas já aplicadas em concursos públicos anteriores.