Simulado CGE MT - Controle Externo - Auditor - 2015

Simulado para Auditor - CGE MT com 4 Questões de Conhecimentos Específicos (Controle Externo). Prova com Exercícios de Ensino Superior da Banca FMP com Gabarito.

  • 18 Resolveram
  • 35% Acertos
  • 2 Gabaritaram
  • barra ótimo 2 Ótimo
  • barra qtd_bom 4 Bom
  • barra ruim8 Regular
  • barra péssimo4 Ruim

Para corrigir este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!

  • 1 - Questão 24047.   Conhecimentos Específicos - Controle Externo - Nível Superior - Auditor - CGE MT - FMP - 2015
  • No âmbito da fiscalização contábil, financeira e orçamentária, é correto afirmar que:
  • 2 - Questão 24048.   Conhecimentos Específicos - Controle Externo - Nível Superior - Auditor - CGE MT - FMP - 2015
  • Tendo em vista o tratamento dado pela Constituição Federativa do Brasil ao controle interno, considere as seguintes assertivas.

    I – Os responsáveis pelo sistema de controle interno não podem, em face do sigilo fiscal a que estão submetidos, dar ciência ao Tribunal de Contas sobre irregularidades de que tenham conhecimento.
    II – O cumprimento das metas previstas no plano plurianual e a execução dos planos de governo fazem parte da discricionariedade administrativa, razão pela qual não estão sujeitos ao sistema de controle interno.
    III – A denúncia de irregularidades ou ilegalidades perante o Tribunal de Contas só poderá ser feita por membro de Poder ou do Ministério Público ou por detentor de mandato eletivo.
  • 3 - Questão 24049.   Conhecimentos Específicos - Controle Externo - Nível Superior - Auditor - CGE MT - FMP - 2015
  • NÃO está entre as competências do Tribunal de Contas do Estado:
  • 4 - Questão 24050.   Conhecimentos Específicos - Controle Externo - Nível Superior - Auditor - CGE MT - FMP - 2015
  • De acordo com a Lei Orgânica do Tribunal de Contas do Estado, avalie as assertivas abaixo.

    I – No julgamento de contas e na fiscalização que lhe compete, o Tribunal decidirá sobre a legalidade, a legitimidade, a eficiência e a economicidade dos atos de gestão e das despesas deles decorrentes, bem como sobre a aplicação de subvenções e a renúncia de receitas.
    II – O Tribunal de Contas, por não integrar a estrutura do Poder Judiciário, não pode adotar medidas cautelares.
    III - A decisão do Tribunal de Contas de que resulte imputação de débito ou cominação de multa, torna a dívida líquida e certa e tem a eficácia de título executivo.

    Estão CORRETAS:

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!