Simulado TJ MA - Direito Penal - Titular de Serviços de Notas e de Registros - 2011

Simulado para Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA com 8 Questões de Direito Penal. Prova com Exercícios de Ensino Superior da Banca IESES com Gabarito.

  • 61 Resolveram
  • 47% Acertos
  • 2 Gabaritaram
  • barra ótimo 6 Ótimo
  • barra qtd_bom 25 Bom
  • barra ruim27 Regular
  • barra péssimo3 Ruim

Para corrigir este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!

  • 1 - Questão 36433.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. Ninguém pode ser punido por fato que a lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtude dela a execução e os efeitos penais da sentença condenatória.
    II. A fixação do instante em que o crime ocorre não é importante para fins de aplicação da lei penal, pois importante é o seu resultado.
    III. Leis penais em brando são assim chamadas as leis que não possuem definição integral, necessitando ser completadas por outras leis, decretos ou portarias. Costuma ser divididas em homogênias e heterogêneas.
    IV. O Código Penal acolhe de forma absoluta o princípio da territorialidade, de forma pelo qual a lei penal brasileira é aplicada em nosso território, independentemente da nacionalidade do autor e da vítima do delito.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 2 - Questão 36434.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. Diante do nexo de causalidade, no direito penal, admite-se a culpa presumida ou a responsabilidade objetiva.
    II. Nos crimes cometidos por omissão, a causalidade não é jurídica, mas fática, consistente em não haver o omitente atuado, como devia e podia atuar, para impedir o resultado.
    III. Desprezam-se, nas penas privativas de liberdade e nas restritivas de direitos, as frações de dia, e, na pena de multa, as frações de real.
    IV. A superveniência de causa relativamente independente exclui a imputação quando, por si só, produziu o resultado; os fatos anteriores, entretanto, imputam-se a quem os praticou.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 3 - Questão 36435.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. Declarada a inimputabilidade, o agente não é condenado: é absolvido, mas fica sujeito a medida de segurança.
    II. Imputabilidade é a incapacidade de a pessoa entender que o fato é ilícito e de agir de acordo com esse entendimento.
    III. Somente a pessoa natural pode ser responsabilizada penalmente.
    IV. Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade, podendo a pena ser diminuída se a sua participação for de menor importância.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 4 - Questão 36436.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. Não há participação sem a adesão subjetiva de um na conduta do outro.
    II. São exemplos de penas restritivas de direitos: prestação pecuniária, perda de bens e valores, serviços forçados, interdição temporária de direitos e limitação de fim de semana.
    III. O processo penal rege-se através do princípio publicístico, diante do inafastável interesse estatal em manter a paz pública e do dever de prestar jurisdição, razão através da qual a ação penal pública é a regra.
    IV. Mesmo que se tratando de crime de ação pública, a transação entre as partes, ainda que anterior ao recebimento da denúncia, impede a instauração da ação penal.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 5 - Questão 36437.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. O crime de furto classifica-se como crime comum quanto ao sujeito, doloso, de forma livre, comissivo, de dano, material e instantâneo.
    II. O prazo decadencial do direito de queixa começa a contar da data da consumação do delito.
    III. A competência para julgar o crime de latrocínio é do juiz singular através do procedimento sumário.
    IV. O roubo distingue-se do furto qualificado porquanto nele a violação é praticada contra pessoa, enquanto no furto qualificado ela é empregada contra a coisa.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 6 - Questão 36438.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. O crime de adultério apresenta concurso necessário, porquanto só pode ser cometido por duas pessoas (de sexo opostos), ainda que uma delas aja sem conhecimento, ou seja, penalmente irresponsável.
    II. A embriaguez do agente afasta o dolo de dano, desde que não seja preordenada.
    III. O particular não pode ser co-autor ou partícipe do crime de inserção de dados falsos em sistema de informações, por ser um crime tipicamente funcional.
    IV. Emitir cheque sem suficiente provisão de fundos em poder do sacado, ou lhe frustrar o pagamento, constitui-se em estelionato.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 7 - Questão 36439.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. O crime de violação de direito autoral é delito permanente nas formas de exposição, ocultação e depósito.
    II. São estabelecimentos penais previstos na LEP: penitenciária; casa do albergado; presídio; cadeia pública, prisão agrícola e prisão industrial.
    III. Diante da urgência o mandado de prisão pode ser expedido por qualquer autoridade judicial, mesmo que incompetente.
    IV. É dominante o entendimento de que não existe peculato de uso de coisa fungível.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:
  • 8 - Questão 36440.   Direito Penal - Nível Superior - Titular de Serviços de Notas e de Registros - TJ MA - IESES - 2011
  • É certo afirmar:

    I. A LEP prevê que o trabalho é obrigatório, tanto para o preso definitivo quanto para o provisório.
    II. O infrator quando menor de vinte e um anos e maior de dezoito, em virtude de sua idade, não possui capacidade plena para a prática de atos processuais, razão através da qual é obrigatória a nomeação de “curador”, que lhe “assista” em todo transcurso do processo e, de alguns atos realizados no inquérito policial, tal como o seu interrogatório.
    III. A denúncia ou queixa será rejeitada quando faltar justa causa para o exercício da ação penal.
    IV. No caso de perseguição, o executor poderá efetuar a prisão no local onde alcançar o capturando, podendo assim, invadir uma jurisdição diversa da sua, e, após, capturado, apresentá-lo a autoridade do local em que ocorreu o crime.

    Analisando as proposições, pode-se afirmar:

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!