Bombeiro Militar PE - Português - Bombeiro Militar - 2006

Responda as 13 questões abaixo (Bombeiro Militar PE - Português - Bombeiro Militar - 2006). Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa prova!

13 questões Português, Soldado Bombeiro Militar, Bombeiro Militar PE, IPAD, Médio

246 resolveram
53% média
Regular
6 gabaritaram
30 Ótimo
102 Bom
100 Regular
14 Péssimo
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Considerando a tipologia do texto, sua finalidade principal é
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Considerando que a organização do Texto 1 se dá com base em dados que podem ser sintetizados nas expressões o quê, quem, onde, quando, como, por quê, identifique a alternativa que relaciona corretamente expressão e informação.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Identifique a alternativa que contém a informação coerente com o texto.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

A última parte do texto, pelo seu conteúdo, serve de
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

A palavra que melhor traduz o sentido que combustão (linha 3) assume no texto é
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Aponte a alternativa em que todas as palavras apresentam a mesma identidade de significado entre si.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Assinale a alternativa em que a correspondência entre o verbo e o substantivo formado está correta.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Um dos empregos dos pronomes em uma língua é substituir termos para evitar a sua repetição. Identifique a alternativa em que o pronome destacado substitui o termo ao seu lado.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Considere o fragmento “Três bombeiros participaram como vítimas da simulação”. De acordo com o sentido global do texto e com as regras da gramática normativa, indique a opção que completa corretamente: “Três bombeiros participaram
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Sobre as relações morfossintáticas do texto, analise as seguintes proposições:

1. O termo “a primeira simulação do ano” (linha 2) funciona como sujeito da forma verbal “realizou” (linha 1).
2. O segmento “Para representar a combustão do álcool” (linhas 3/4) estabelece uma relação de finalidade com a idéia principal do período.
3. Em “Apesar de considerado satisfatório (...), o procedimento das equipes (...) apresentou falhas” (linhas 9 (...) 11), temos um segmento formado por relação de concessão e idéia principal.
4. Não é possível recuperar o sujeito responsável pela ação das formas verbais “explicou” (linha 13) e “resumiu” (linha 15).
5. Em “O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias” (linhas 16/17), a forma verbal destacada deveria estar no plural para atender as regras de concordância verbal.

Estão corretas, apenas:
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Indique a alternativa em que todos os vocábulos são acentuados graficamente pela mesma razão que a palavra emergência.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

Aponte a alternativa em que a forma verbal destacada está empregada de acordo com o que recomenda a norma gramatical.
Texto associado.

Profissionais treinam em acidente simulado

    O plano de emergência para transporte de produtos perigosos na Região Metropolitana do Recife (Previne) realizou, ontem pela manhã, a primeira simulação do ano. Para isso, um caminhão carregando 10 mil litros de álcool etílico e uma kombi foram colocados em uma das faixas da BR-232, no Curado, em posição que simulava uma colisão traseira. Para representar a combustão do álcool, foi usado um sinalizador que liberava uma fumaça alaranjada. Três bombeiros participaram como vítimas da simulação. Esta foi a etapa final de uma capacitação que envolveu órgãos públicos e privados de Pernambuco com o objetivo de treinar profissionais para atuar nos acidentes envolvendo carregamentos de materiais como álcool, gasolina e diesel. Participaram da capacitação 42 profissionais de órgãos como o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Estadual, Codecipe, Petrobras, Chesf e empresas privadas. Todos receberão um certificado e poderão repassar o que aprenderam nas empresas ou instituições de origem.
    Apesar de considerado satisfatório pela coordenadora do Previne, Suely Ferreira, o procedimento das equipes do Grupamento de Bombeiros de Atendimento Pré-Hospitalar (GBAPH), do Corpo de Bombeiros (CB) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou falhas. "Tivemos três grandes problemas. O Corpo de Bombeiros não isolou a área antes de começar a atender os feridos e conter o incêndio. O GBAPH demorou 25 minutos para chegar quando o ideal seria 12 minutos e a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH)", explicou. O Major do CB, Márcio Tenório, afirmou que os resultados da simulação são importantes para o aperfeiçoamento do órgão. "É preciso identificar as falhas para resolvê-las", resumiu.

Dados – Em apenas 15 dias do último mês de agosto, o Previne vistoriou 880 caminhões nas principais BRs e PEs do estado. O programa verificou que a maioria dos caminhões que transporta as substâncias não possui kits de emergência e os motoristas não são devidamente capacitados para enfrentar acidentes ou eventuais vazamentos da carga perigosa.

In: Diario de Pernambuco. Vida urbana. 23 de set. de 2006. p.C5. Adapt.

O emprego da crase no fragmento “a PRF não informou sobre o acidente à Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos” SÓ NÃO ESTÁ JUSTIFICADO em: “A palavra agência