Simulado TRE PB - Interpretação de Texto - Técnico Judiciário - 2015

Resolva 5 questões de Português (Interpretação de Textos) Ensino Médio Banca FCC. Teste seus Conhecimentos em Provas Online com Gabarito.

  • 138 Resolveram
  • 49% Acertos
  • 14 Gabaritaram
  • barra ótimo 28 Ótimo
  • barra qtd_bom 40 Bom
  • barra ruim57 Ruim
  • barra péssimo13 Péssimo
Leia o texto abaixo para responder à questão.

    Nos últimos dias, fomos bombardeados com estatísticas e reportagens alarmantes sobre pais angustiados por não poder gastar o mesmo que gastaram no ano de 2014 no dia da criança − em letras minúsculas. Não acredito em dia da criança em maiúsculas. Não há celebração da infância (ou da maternidade e paternidade) que careça de compras. Todos sabemos que são datas para movimentar o comércio e nada há de errado em aquecer a atividade econômica. Mas, no caso das crianças, que não compreendem a comercialização do afeto, é triste ver pais se desculpando por não poder comprar algo como se isto represente uma falha em demonstrar dedicação aos filhos. Falar de dinheiro com os filhos parece quase tão difícil quanto falar de sexo.
    Num distante longo feriado, visitando uma família querida na costa oeste americana, me surpreendi com a naturalidade de uma menina de oito anos, quando perguntei: “Qual é o plano para amanhã?". “Compras", foi a resposta. A menina não me disse que precisava de um casaco de inverno ou um livro para a escola. É possível que nada lhe faltasse no momento, mas o programa seria comprar, verbo intransitivo. Minha surpresa era explicada pelo choque de cultura e geração. Crescendo no Rio de Janeiro, o verbo comprar como uma atividade, tal como ir à praia ou ao teatro, não era usado por crianças.
    Um jornalista americano, que foi um dos inventores da cobertura sobre finanças pessoais, lançou, este ano, o livro O Oposto de Mimados: Criando Filhos Generosos, Bem Fundamentados e Inteligentes Sobre Dinheiro. Ron Lieber começou a ser emparedado pela própria filha de três anos com perguntas sobre dinheiro que o faziam engasgar. Ele se deu conta de que uma das maiores ofensas que se pode fazer a mães e pais é descrever seus filhos como mimados. O verbo é passivo. Mimados por quem?
    Assim, não chega a surpreender que pais vejam o impedimento para comprar como um fracasso pessoal.

    (Adaptado de: GUIMARÃES, Lúcia. Comprar, verbo intransitivo. In: Cultura-Estadão, 12/10/2015)
  • 1 - Questão 38026.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRE PB - FCC - 2015
  • O texto,
  • 2 - Questão 38027.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRE PB - FCC - 2015
  • Atente para as seguintes afirmações.

    I. Na primeira frase do texto, as formas verbais “poder gastar" e “gastaram" têm o mesmo sujeito.
    II. No segmento É possível que nada lhe faltasse no momento... (2º parágrafo), caso se substitua "nada" por "poucas coisas", o verbo "faltasse" deverá obrigatoriamente ser flexionado no plural.
    III. Em Não acredito em dia da criança em maiúsculas (1º parágrafo), não se pode acrescentar uma vírgula imediatamente após “acredito", uma vez que "em dia da criança" é uma locução adverbial.

    Está correto o que se afirma APENAS em: 
  • 5 - Questão 38030.   Português - Interpretação de Textos - Nível Médio - Técnico Judiciário - TRE PB - FCC - 2015
  • ... nada há de errado em aquecer a atividade econômica. (1º parágrafo)
    ... que não compreendem a comercialização do afeto... (1º parágrafo)
    ... uma falha em demonstrar dedicação aos filhos. (1º parágrafo)

    Na ordem dada, os complementos verbais sublinhados acima são corretamente substituídos por pronomes em:

Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

Não elaboramos as questões, apenas as transcrevemos de provas já aplicadas em concursos públicos anteriores.